Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Desmaio

Por

Andrea D. Thompson

, MD, PhD, Department of Internal Medicine, Division of Cardiovascular Medicine, University of Michigan;


Michael J. Shea

, MD, Michigan Medicine at the University of Michigan

Última revisão/alteração completa mai 2018| Última modificação do conteúdo jun 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A sensação de desmaio iminente (quase síncope) é a sensação de que se está prestes a desmaiar.

O desmaio (síncope) é uma perda repentina e rápida de consciência em que a pessoa cai no chão ou em uma cadeira, seguida pelo retorno da consciência. A pessoa fica sem movimento e enfraquecida e, geralmente, fica com as pernas e braços frios, pulso fraco e respiração superficial.

Algumas pessoas sentem vertigem ou tontura antes de desmaiar. Outras podem ter náusea, sudorese, visão turva ou em túnel, formigamento dos lábios ou pontas dos dedos, dor torácica ou palpitações. Com menor frequência, há pessoas que desmaiam repentinamente, sem nenhum sintoma.

Convulsões, que são uma perturbação da atividade elétrica do cérebro, e ataque cardíaco, no qual o coração para de bater completamente, são causas de perda da consciência, mas esses eventos não são considerados desmaios. No entanto, em algumas pessoas que desmaiam, os músculos se contraem de forma breve e involuntária, fazendo parecer uma convulsão.

O desmaio pode acontecer em pessoas de qualquer idade, mas as causas mais perigosas de desmaio são comuns em pessoas mais velhas.

Causas

Uma pessoa não deve perder a consciência, a não ser que haja a perturbação de uma função cerebral. Essa perturbação normalmente ocorre porque o fluxo de sangue para o cérebro é reduzido. Às vezes, entretanto, o fluxo de sangue é adequado, mas o sangue não contém oxigênio ou glicose (açúcar no sangue) suficientes para o funcionamento do cérebro.

O fluxo de sangue para o cérebro pode ser reduzido de diversas formas. É mais frequente que a razão seja uma interferência no retorno normal do sangue para o coração (o que implica em um fluxo de sangue menor saindo do coração). Com menor frequência, a causa é um problema que interfere no bombeamento do sangue (normalmente uma doença cardíaca). Embora os acidentes vasculares cerebrais reduzam o fluxo de sangue que chega ao cérebro, eles reduzem apenas parte desse fluxo. Assim, os acidentes vasculares cerebrais raramente causam desmaios, exceto os que envolvem a porção do cérebro que mantém a consciência.

As causas mais comuns são

  • Emoções fortes (como medo, dor ou visão de sangue derramado)

  • Tosse ou força ao evacuar ou urinar

  • Ficar em pé por tempo prolongado

  • Levantar-se repentinamente

  • Gravidez

  • Uso de certos medicamentos

  • Idiopática (sem razão determinada)

Essas causas comuns praticamente sempre causam desmaio apenas quando as pessoas estão em pé. Quando elas caem, o fluxo sanguíneo para o cérebro aumenta, restabelecendo rapidamente a consciência, mesmo que muitas pessoas não se sintam completamente normais por algumas horas. Alguns se sentem cansados ou exaustos por muitas horas. Essas causas tendem a não ser sérias, exceto quando as pessoas se machucam ao caírem.

Muitas dessas razões envolvem a redução do retorno do sangue para o coração. Emoções fortes (particularmente as que são disparadas pela visão de sangue) ou dor podem ativar o nervo vago. A ativação do nervo vago expande os vasos sanguíneos, reduzindo o retorno do sangue para o coração, o que diminui a frequência cardíaca. Esses dois fatores levam à sensação de desmaio iminente e, em alguns casos, ao desmaio (o que se conhece por síncope vasovagal ou síncope neurocardiogênica).

Fazer força ao evacuar, urinar ou tossir eleva a pressão torácica. A pressão torácica elevada pode ativar o nervo vago e também diminuir o retorno de sangue para o coração — dois fatores que podem causar desmaios.

Pessoas saudáveis podem desmaiar após ficarem em pé por um longo período (mais comum em soldados, trata-se de um fenômeno conhecido como síncope das paradas militares), pois os músculos das pernas precisam estar ativos para auxiliar o sangue a voltar para o coração.

Sentar-se ou levantar-se muito rapidamente pode produzir uma sensação de tontura ou desmaio, uma vez que a alteração de posição faz com que o sangue se acumule nas pernas, o que resulta em uma queda na pressão arterial. Normalmente, o corpo eleva rapidamente a frequência cardíaca e contrai os vasos sanguíneos para manter a pressão arterial. Se o corpo não compensar dessas formas, é comum ocorrer sensação de desmaio iminente, porém, o mesmo raramente ocorre. Certas doenças do cérebro e da medula espinhal, repouso absoluto prolongado e alguns medicamentos (especialmente os usados para tratar hipertensão arterial) podem interferir nessa compensação e provocar um desmaio ao se levantar.

Mudanças hormonais no início da gravidez às vezes podem levar ao desmaio.

Um baixo nível de açúcar (hipoglicemia) inicialmente gera confusão, sensação de desmaio iminente, tremores e outros sintomas, mas se a hipoglicemia for grave ou prolongada, as pessoas podem perder a consciência. Esses sintomas frequentemente aparecem antes do desmaio, então, as pessoas que têm hipoglicemia em geral percebem um alerta antes de desmaiarem. Geralmente, a causa da hipoglicemia é o uso de medicamentos para diabetes, em particular a insulina. Em poucos casos, existe um tumor que secreta insulina.

Motivos menos comuns, porém mais sérios, incluem:

  • Doenças da válvula cardíaca (mais frequentemente a aorta)

  • Frequência cardíaca muito acelerada ou lenta

  • Bloqueio de uma artéria que chega aos pulmões por um coágulo de sangue (embolia pulmonar)

  • Ataque cardíaco ou outros problemas no miocárdio

As doenças da válvula cardíaca podem impedir que o sangue saia do coração. Uma frequência cardíaca muito rápida não permite que o coração tenha tempo suficiente para ser preenchido novamente, então, pouco sangue é bombeado. Uma frequência cardíaca muito lenta pode não bombear sangue suficiente. Coágulos nos pulmões podem impedir que o coração bombeie sangue suficiente. Pessoas com ataque cardíaco raramente desmaiam durante o ataque (situação mais comum em idosos). Outros problemas cardíacos pouco comuns, denominados cardiomiopatias, podem gerar desmaios, em particular durante o exercício, em geral por causa de uma arritmia.

Embora muitos acidentes vasculares cerebrais não causem desmaio, um acidente vascular cerebral ou ataque isquêmico transitório (AIT) envolvendo certos vasos sanguíneos na base do cérebro (acidente vascular cerebral de circulação posterior) podem causar desmaio. Da mesma forma, uma enxaqueca envolvendo esses mesmos vasos sanguíneos pode gerar um desmaio.

Avaliação

Se possível, a pessoa que testemunhou o desmaio deve informar ao médico a descrição do evento, pois a pessoa que desmaiou pode não se lembrar.

Sinais de alerta

Em pessoas que desmaiaram, alguns sintomas e características são motivos de preocupação. Incluem

  • Desmaio ao se exercitar

  • Diversos episódios em um curto período

  • Desmaio repentino sem nenhum sintoma ou razão aparente

  • Desmaio precedido ou seguido de possíveis sintomas cardíacos, como dor torácica, palpitações ou falta de ar.

  • Idade avançada

  • Lesão significativa após um desmaio

  • Histórico familiar de morte súbita inesperada, desmaio durante exercício ou episódios repetidos de desmaio ou convulsões cujas causas não foram encontradas

Quando consultar um médico

Embora a maior parte das causas de desmaios não sejam graves, é necessária uma avaliação médica para distinguir as causas sérias das relativamente inofensivas. A pessoa que desmaiou deve procurar um médico imediatamente, especialmente se ela apresentar algum sinal de alerta.

O que o médico faz

Primeiro, o médico faz perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que os médicos encontram durante a avaliação do histórico ou exame físico geralmente sugere a razão do desmaio e os testes que devem ser feitos.

Os médicos perguntam sobre os eventos que levaram ao episódio de desmaio. Eles perguntam se a pessoa estava se exercitando, discutindo ou envolvida em uma situação potencialmente emocional. Eles indagam se a pessoa estava em pé ou sentada e, caso estivesse em pé, por quanto tempo. Eles também perguntam sobre os sintomas ocorridos imediatamente antes ou depois do evento, incluindo se houve vertigem, tontura ou náusea, sudorese, visão turva ou em túnel, formigamento dos lábios ou pontas dos dedos, dor torácica ou palpitações.

Os médicos podem pedir às testemunhas do episódio que descrevam o evento. Um desmaio repentino e brusco, sem nenhum sintoma ou razão aparente, sugere doença cardíaca. Se o desmaio for precedido por período curto de sintomas, como sensação de desmaio iminente, náusea, bocejo, visão turva ou sudorese, e ocorrer durante uma situação desagradável ou dolorosa, é provável que seja uma síncope vasovagal, que não é perigosa.

Os médicos perguntam sobre episódios prévios de tontura ou desmaio e sobre outras doenças, medicamentos ou sintomas que possam estar relacionados ao desmaio. Os médicos também verificam se a pessoa se machucou após o desmaio.

Então, são verificados os sinais vitais da pessoa. A frequência cardíaca e a pressão arterial são medidas enquanto a pessoa está deitada e depois de três minutos em pé. Os médicos escutam o coração para verificar se há sinais anormais na válvula cardíaca ou no fluxo sanguíneo. Um exame neurológico é feito para verificar se há sinais de acidente vascular cerebral.

Tabela
icon

Algumas causas e características do desmaio

Causa

Características comuns*

Exames

Causas graves

Distúrbios da válvula cardíaca, como estenose aórtica, estenose mitral ou insuficiência de uma válvula artificial

Cardiomiopatia (doenças que afetam o miocárdio), em particular cardiomiopatia hipertrófica

Desmaio durante ou após exercício físico, seguido por recuperação rápida

Em jovens ou idosos

Frequentemente em pessoas que sabidamente têm sopro cardíaco

Ecocardiografia (ultrassonografia do coração)

Uma frequência cardíaca muito lenta (normalmente inferior a 35 batimentos por minuto), mais comum em pessoas mais idosas

Uma frequência cardíaca muito acelerada (normalmente superior a 150 batimentos por minuto)

Desmaio sem sintomas de alerta, seguido por uma recuperação imediata após retomar a consciência

Desmaios podem acontecer em qualquer posição

Algumas vezes, em pessoas que tomam certos medicamentos, especialmente aqueles usados para tratar doenças cardíacas, como ritmo cardíaco anormal (medicamentos antiarrítmicos)

ECG, às vezes ECG ambulatorial contínuo (usando o método Holter por 24 horas ou, raramente, um equipamento de gravação implantado sob a pele)

Em alguns casos, exames de sangue para medir eletrólitos, como sódio e potássio

Embolia pulmonar (artéria dos pulmões bloqueada por um coágulo sanguíneo)

Normalmente, dor aguda ao inspirar, falta de ar, respiração e frequência cardíaca aceleradas

Às vezes, febre leve, tosse com sangue ou choque

Mais provável em pessoas com fatores de risco para embolia pulmonar (como coágulos sanguíneos preexistentes, cirurgias recentes, especialmente nas pernas, bem como repouso absoluto prolongado, uso de gesso ou tala em uma das pernas, idade avançada, tabagismo ou câncer)

TC ou ressonância magnética dos pulmões

Um exame de sangue para detectar coágulos (teste de dímero d)

Ataque cardíaco (infarto do miocárdio)

Geralmente em pessoas mais idosas

Às vezes, desconforto torácico, sensação de indigestão, falta de ar ou náusea

ECG

Exames de sangue para medir substâncias que indicam quando há lesão cardíaca (marcadores cardíacos)

Uma reação alérgica grave (anafilaxia) que provoca uma pressão arterial muito baixa.

Desmaio durante ou logo após exposição a algo que pode desencadear uma reação alérgica, como um medicamento ou picada de inseto

Sudorese excessiva ou palidez

Em pessoas que podem ou não ter histórico de alergias

Normalmente, urticária, sibilos ou inchaço de parte do corpo (chamado edema angioneurótico)

Teste de alergia

Baixo nível de açúcar no sangue (hipoglicemia)

Desmaio após um período de outros sintomas, como confusão, tremores e sudorese

Pessoa não responsiva ou apresentando confusão que não se normaliza até tratamento

Quase sempre em pessoas com diabetes

Glicosímetro

Recuperação imediata após a infusão de glicose

Casos menos sérios

Aumento de pressão torácica (por exemplo, devido à tosse ou à força exercida para evacuar ou urinar)

Desmaio durante uma atividade que aumenta a pressão torácica

Sintomas de alerta (por exemplo, tontura, náusea ou sudorese)

Recuperação rápida, mas não imediata (entre 5 e 15 minutos, mas a pessoa pode não se sentir bem por várias horas)

Somente exame médico

Emoções fortes (como dor, medo ou aflição por exposição ao sangue)

Desmaio ao vivenciar uma emoção forte

Sintomas de alerta (por exemplo, tontura, náusea ou sudorese)

Recuperação rápida, mas não imediata (entre 5 e 15 minutos)

Uma causa que, geralmente, é aparente

Somente exame médico

O desmaio, às vezes, é precedido por perturbações relacionadas ao tato, visão ou outras funções (evento conhecido como aura)

Sensibilidade à luz

Somente exame médico

Ficar em pé por um período longo

Uma razão que aparentemente seja baseada em um histórico

Nenhum outro sintoma

Somente exame médico

Gravidez

Em mulheres saudáveis ou em idade fértil

Nenhum outro sintoma

Em geral, em mulheres no início da gravidez ou cuja gravidez ainda não foi detectada

Teste de gravidez urinário

Hiperventilação

Frequente formigamento ao redor da boca ou nos dedos antes do desmaio

Comum durante ou em resposta a uma situação emocional

Respiração rápida, que pode não ser notada pela própria pessoa ou por outros

Normalmente em pessoas mais jovens

Somente exame médico

Medicamentos usados para reduzir a pressão arterial (mas raramente betabloqueadores), como diuréticos de alça e nitratos

Sensação de desmaio iminente seguida de desmaio após muito tempo em pé ou sentado

Queda da pressão arterial ao ficar em pé, detectada durante o exame

Exame médico

Às vezes, teste de inclinação ortostática

Medicamentos que podem causar frequência cardíaca rápida e irregular por afetar a atividade elétrica do coração, como antipsicóticos (principalmente fenotiazinas), alguns antiarrítmicos, alguns antidepressivos e alguns antibióticos

Às vezes, palpitações e sensação de desmaio iminente

Perda de consciência súbita

Exame médico

ECG

Funcionamento inadequado do sistema nervoso (que regula os processos internos do organismo que não requerem esforço consciente, como a pressão arterial)

Sensação de desmaio iminente seguida de desmaio após muito tempo em pé ou sentado

Queda da pressão arterial ao ficar em pé, detectada durante o exame

Exame médico

Às vezes, teste de inclinação ortostática

Falta de condicionamento gerada por repouso absoluto por muitos dias

Sensação de desmaio iminente seguida de desmaio após muito tempo em pé ou sentado

Queda da pressão arterial ao ficar em pé, detectada durante o exame

Exame médico

Às vezes, teste de inclinação ortostática

Anemia

Sensação de desmaio iminente seguida de desmaio após muito tempo em pé ou sentado

Fadiga crônica

Em alguns casos, fezes escuras ou menstruação intensa

Um hemograma completo

Exames de fezes para avaliar se há sangue

*As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

Em todas as pessoas que desmaiaram, é feito um ECG e são medidos os níveis de oxigênio com um sensor colocado em um dos dedos (oximetria de pulso).

TC = tomografia computadorizada; ECG = eletrocardiograma; RM = ressonância magnética.

Exames

São feitos exames, a não ser que haja um desencadeador emocional óbvio e inofensivo e que a pessoa esteja bem no demais. Os médicos escolhem os exames de acordo com a causa suspeita.

  • Eletrocardiograma (ECG)

  • ECG ambulatorial contínuo (monitor Holter ou gravador de eventos)

  • Medição do oxigênio no sangue (oximetria de pulso)

  • Medição de glicemia em material coletado na ponta do dedo

  • Às vezes, ultrassonografia do coração (ecocardiografia)

  • Às vezes, teste de inclinação ortostática

  • Às vezes, exames de sangue

  • Raramente, exame por imagem do sistema nervoso central (cérebro e medula espinhal)

Em geral, se o desmaio for resultado de uma lesão ou tiver ocorrido diversas vezes (particularmente em um período), é recomendada uma avaliação mais completa. Os exames de imagem do coração e do cérebro não são feitos rotineiramente, a menos que o médico suspeite de um problema no coração ou no cérebro.

Pessoas com suspeita de problemas cardíacos, como ataque cardíaco, arritmia cardíaca ou anomalia da válvula do coração, geralmente são internadas para avaliação.

É feito um ECG. O ECG pode apontar uma arritmia ou outro problema cardíaco, porém, o resultado pode ser normal caso a arritmia tenha se resolvido. Em alguns casos, os médicos internam a pessoa no hospital para monitorar a atividade cardíaca por 24 horas. Com menos frequência, os médicos podem pedir que a pessoa use um pequeno monitor cardíaco enquanto estiver em casa (chamado ECG ambulatorial contínuo). Ou, raramente, os médicos podem implantar um dispositivo para gravação sob a pele.

É medido o oxigênio no sangue. A oximetria de pulso é feita durante ou imediatamente após um episódio para identificar baixos níveis de oxigênio no sangue (o que pode indicar um coágulo sanguíneo). Se o nível de oxigênio no sangue estiver baixo, os médicos fazem uma tomografia computadorizada (TC) ou um ultrassom do pulmão para verificar a presença de coágulos.

São realizados testes laboratoriais se os resultados dos exames sugerirem que seja necessário. No entanto, todas as mulheres em idade fértil devem fazer um teste de gravidez.

Uma ecocardiografia pode ser feita em pessoas com desmaio induzido por exercícios, sopro no coração ou quando o desmaio acontece quando a pessoa está sentada ou em pé.

Algumas vezes, é realizado um teste da mesa basculante quando a pessoa desmaia ao se levantar. O teste também é usado para avaliar se o desmaio é causado por exercício, caso a ecocardiografia ou o teste de esforço não revelem uma causa.

O teste de esforço é feito quando os médicos suspeitam de uma perturbação do ritmo cardíaco causada pela prática de exercícios. Ele é realizado com frequência em pacientes com sintomas induzidos por exercícios.

O estudo eletrofisiológico (EF) inclui testes que registram a atividade elétrica e as vias elétricas do coração por meio de fios que passam pelos vasos sanguíneos e chegam ao coração. Às vezes é feito um estudo EF quando outros testes não conseguem identificar um distúrbio no ritmo cardíaco em uma pessoa com episódios recorrentes inexplicáveis de desmaio, em pessoas com sinais de alerta inexplicáveis e em pessoas com histórico de insuficiência cardíaca decorrente de ataque cardíaco.

Pode ser realizada uma electroencefalografia quando os médicos suspeitarem de convulsão.

TC e ressonância magnética de cabeça e cérebro podem ser feitas se os médicos suspeitarem de alguma doença no sistema nervoso central.

Tratamento

O tratamento específico depende da causa. Por exemplo, pessoas que tenham desmaiado por causa de uma arritmia cardíaca podem precisar que seja implantado um marca-passo e/ou desfibrilador.

Quando as pessoas presenciam alguém desmaiando, devem verificar se a pessoa está respirando. Se a pessoa não estiver respirando, as pessoas presentes devem ligar para o serviço de emergência médica e iniciar a reanimação cardiopulmonar (RCP), incluindo uso de um desfibrilador externo automatizado (DEA), se disponível. Assim que a pessoa chegar ao hospital, os médicos tratarão o motivo do desmaio com medicamentos ou medidas apropriadas, como desfibrilador cardíaco de corrente contínua para recuperar a atividade cardíaca ou medicamentos ou cirurgia para desbloquear artérias entupidas.

Uma pessoa que está respirando deve permanecer deitada. Se a pessoa se sentar muito rapidamente, pode desmaiar.

Informações essenciais para idosos

Pessoas idosas são particularmente suscetíveis ao desmaio porque o fluxo sanguíneo diminui quando se envelhece. A razão mais comum de desmaio em idosos é a incapacidade da pressão arterial se ajustar quando a pessoa se levanta. O fluxo sanguíneo se reduz porque as artérias se tornam mais rígidas e menos capazes de se ajustar rapidamente e a inatividade física reduz a atividade muscular, que empurra o sangue pelas veias e de volta ao coração, além de doenças cardíacas diminuírem a eficiência do bombeamento de sangue.

Em pessoas com mais idade, o desmaio frequentemente é causado por mais de um fator. Por exemplo, a combinação do uso de diversos medicamentos para o tratamento de problemas cardíacos ou hipertensão arterial com o fato de ficar em pé em uma igreja quente durante muito tempo ou em um contexto emocional impactante pode provocar um desmaio, mesmo que nenhum dos fatores isolados possa fazê-lo.

Pontos-chave

  • O desmaio geralmente é causado por fluxo sanguíneo insuficiente para o cérebro.

  • A maioria das causas de desmaio não são sérias.

  • Algumas causas menos comuns são graves e potencialmente fatais.

  • Se o desmaio tiver um desencadeador aparente (como uma emoção forte), for precedido por sintomas (como sensação de desmaio iminente, náusea ou sudorese) e a pessoa necessitar de alguns minutos para se recuperar, trata-se provavelmente de uma síncope vasovagal, que não é grave.

  • O desmaio causado por perturbações do ritmo cardíaco acontece normalmente de forma abrupta e com recuperação rápida.

  • Os médicos podem pedir a uma pessoa que desmaiou que ela evite dirigir e operar equipamentos até que a razão do desmaio seja determinada e tratada, pois, se a causa for uma doença cardíaca desconhecida, a próxima manifestação pode ser fatal.

  • Se o desmaio for causado por frequência cardíaca lenta, pode ser necessário um marca-passo.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Valvuloplastia mitral
Vídeo
Valvuloplastia mitral
O coração é um músculo pulsante que bombeia sangue para todo o corpo. No interior do coração...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Pulso arterial
Modelo 3D
Pulso arterial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS