Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tratamento medicamentoso para acidez gástrica

Por

Nimish Vakil

, MD, University of Wisconsin School of Medicine and Public Health

Última revisão/alteração completa mar 2020| Última modificação do conteúdo mar 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

O ácido gástrico está envolvido em diversos distúrbios do estômago, incluindo úlcera péptica, gastrite e doença do refluxo gastroesofágico (DRGE). Embora a quantidade de ácido no estômago seja geralmente normal em pessoas com esses distúrbios, é importante reduzir a quantidade de ácido no estômago no tratamento da lesão do estômago e dos intestinos, bem como para o alívio dos sintomas.

Inibidores da bomba de prótons

Bomba de prótons é o nome de um processo químico pelo qual o estômago secreta ácido. Os inibidores da bomba de prótons são os medicamentos mais eficazes na inibição da produção de ácido. A cicatrização das úlceras ocorre em menos tempo e em uma porcentagem maior de pessoas que usam inibidores da bomba de prótons em comparação aos bloqueadores de histamina-2 (H2) e, portanto, costumam ser usados com mais frequência para tratar úlceras que os bloqueadores de H2. Eles são usados para formas graves de gastrite (como quando há sangramento) e para DRGE grave. Os inibidores da bomba de prótons são também muito úteis no tratamento de quadros clínicos que causam secreção excessiva de ácido gástrico, como a síndrome de Zollinger-Ellison.

Os inibidores da bomba de prótons podem ser administrados pela boca ou na veia (IV). Em geral, esses medicamentos são bem tolerados, mas podem causar diarreia, constipação e dor de cabeça. O uso prolongado de inibidores da bomba de prótons pode diminuir a absorção de B12, ferro, magnésio e cálcio.

Bloqueadores de histamina-2 (H2)

Histamina é uma substância produzida naturalmente no corpo e ela tem várias funções. A histamina é uma das principais substâncias responsáveis por reações alérgicas, motivo pelo qual anti-histamínicos (bloqueadores de histamina) são administrados a pessoas que estejam apresentando uma reação alérgica. A histamina também ajuda a sinalizar o corpo para produzir ácido gástrico, motivo pelo qual um determinado tipo de anti-histamínico, chamado bloqueador de histamina-2, é usado para reduzir o ácido gástrico. Assim, bloqueadores de H2 são usados para muitos dos mesmos distúrbios para os quais inibidores da bomba de prótons são usados.

Os bloqueadores H2 são tomados uma ou duas vezes ao dia e podem ser administrados pela boca ou pela veia (IV). Os bloqueadores de H2 não costumam causar efeitos colaterais sérios. No entanto, todos os bloqueadores de H2 podem causar diarreia, eritema, febre, dores musculares e confusão. A cimetidina pode causar aumento da mama e disfunção erétil em homens. Além disso, a cimetidina e, em menor grau, os outros bloqueadores de H2 podem interferir com a eliminação de certos medicamentos do corpo, como teofilina para a asma, varfarina para coagulação sanguínea excessiva e fenitoína para convulsões.

Antiácidos

Antiácidos são substâncias químicas que neutralizam o ácido gástrico que já foi secretado elevando, assim, o nível de pH no estômago (tornando-o menos acídico). Antiácidos podem ser usados isoladamente para sintomas leves causados pelo ácido gástrico. Contudo, antiácidos não são em si adequados para o tratamento de distúrbios sérios relacionados ao ácido, como úlceras e gastrite grave. Nesses distúrbios, os antiácidos são normalmente tomados juntamente com inibidores da bomba de prótons ou bloqueadores de H2 para ajudar a aliviar os sintomas na fase inicial do tratamento. A eficácia varia conforme a quantidade de antiácido tomada e da quantidade de ácido produzida pela pessoa. Quase todos os antiácidos podem ser adquiridos sem receita médica e encontram-se disponíveis na forma líquida ou em comprimidos. No entanto, os antiácidos podem interferir com a absorção de muitos medicamentos diferentes, portanto, um farmacêutico deve ser consultado sobre possíveis interações medicamentosas antes de serem tomados antiácidos.

Bicarbonato de sódio e carbonato de cálcio, os antiácidos mais potentes, podem ser tomados ocasionalmente para alívio rápido e de curta duração. Contudo, visto que esses medicamentos são absorvidos pela corrente sanguínea, seu uso constante pode tornar o sangue demasiado alcalino (alcalose), resultando em náuseas, dor de cabeça e fraqueza. Assim, o consumo de grandes doses desses antiácidos deve limitar-se a poucos dias. Esses produtos também são ricos em sal e não devem ser utilizados por pessoas que estejam seguindo uma dieta com restrição de sódio ou naquelas com insuficiência cardíaca ou com hipertensão arterial.

O hidróxido de alumínio é um antiácido de uso frequente e relativamente seguro. No entanto, o alumínio pode se ligar ao fosfato no trato digestivo, o que provoca o esgotamento das reservas de cálcio do corpo e a redução dos níveis de fosfato no sangue, causando fraqueza, náuseas e perda de apetite. O risco desses efeitos colaterais é maior em alcoólatras, subnutridos e portadores de doença renal, incluindo aqueles submetidos a diálise. O hidróxido de alumínio também pode causar constipação.

O hidróxido de magnésio é um antiácido mais eficaz do que o hidróxido de alumínio. Esse antiácido atua rapidamente e neutraliza os ácidos de forma eficaz. No entanto, o magnésio é também um laxante. As evacuações geralmente permanecem regulares se forem consumidas apenas poucas colheres de sopa por dia. Mais de quatro doses por dia podem causar diarreia. Uma vez que a corrente sanguínea absorve pequenas quantidades de magnésio, pessoas que apresentam lesões renais só devem tomar hidróxido de magnésio em pequenas doses. Para limitar a diarreia, muitos antiácidos contêm tanto hidróxido de magnésio quanto hidróxido de alumínio.

Pessoas com doença cardíaca, hipertensão ou doença renal devem consultar um médico antes optarem por um antiácido.

Outros medicamentos para acidez gástrica

O sucralfato pode funcionar formando um revestimento protetor na base de uma úlcera e promover sua cicatrização. Ele tem maior eficácia contra úlceras pépticas e pode ser uma alternativa aos antiácidos. O sucralfato é tomado de duas a quatro vezes por dia e não é absorvido para a corrente sanguínea, por isso, provoca poucos efeitos secundários. No entanto, ele pode causar constipação e, em alguns casos, isso reduz a eficácia de outros medicamentos.

O misoprostol pode ser utilizado para reduzir a tendência ao desenvolvimento de úlceras gástricas e duodenais provocadas por AINEs. O misoprostol pode funcionar reduzindo a produção de ácido no estômago e deixando o estômago mais resistente ao ácido. Idosos, pessoas que tomam corticosteroides e pessoas que têm um histórico de úlceras ou de complicações resultantes de úlceras estão em maior risco de desenvolverem uma úlcera quando tomam AINEs. Essas pessoas podem tomar misoprostol com alimentos e seu AINE. No entanto, o misoprostol provoca diarreia e outros problemas digestivos em 30% das pessoas que o utilizam. Além disso, esse medicamento pode causar abortos espontâneos em gestantes. Alternativas ao misoprostol estão disponíveis para usuários de aspirina, AINEs ou corticosteroides. Essas alternativas, como os inibidores da bomba de prótons, são igualmente eficazes na redução das probabilidades de desenvolvimento de úlcera, além de provocarem efeitos colaterais menores.

Tabela
icon

Medicamentos usados para tratar acidez gástrica

Tipo de medicamento

Alguns efeitos colaterais

Comentários

Antiácidos

  • Hidróxido de alumínio

  • Carbonato de cálcio

  • Hidróxido de magnésio

  • Bicarbonato de sódio

Hidróxido de alumínio: Náusea, cefaleia, fraqueza, perda de apetite e constipação

Hidróxido de magnésio: Diarreia

Esses medicamentos são usados principalmente para alívio dos sintomas, mas não com o objetivo de cura.

Bloqueadores de histamina-2 (H2)

  • Cimetidina

  • Famotidina

  • Nizatidina

Eritema, febre, diarreia, dores musculares e confusão

Cimetidina: Pode causar aumento da mama e disfunção erétil em homens e pode interferir com a eliminação de determinados medicamentos

Uma dose única diária é tomada à noite ou antes de dormir. Doses tomadas pela manhã são menos eficazes.

Inibidores da bomba de prótons

  • Esomeprazol

  • Lansoprazol

  • Omeprazol

  • Pantoprazol

  • Rabeprazol

Diarreia, constipação e cefaleia

Esses medicamentos geralmente são bem tolerados e constituem o meio mais eficaz para redução de ácido gástrico.

Outros medicamentos para acidez gástrica

  • Misoprostol

  • Sucralfato

Misoprostol: Cólicas abdominais, aborto espontâneo, diarreia

Sucralfato: Pode reduzir a absorção de outros medicamentos, constipação intestinal

Misoprostol é raramente usado no tratamento de distúrbios gástricos devido aos seus efeitos colaterais.

Sucralfato não afeta a produção de ácido, mas reveste as úlceras gástricas para protegê-las do ácido.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre a doença celíaca
Vídeo
Considerações gerais sobre a doença celíaca
Modelos 3D
Visualizar tudo
Sistema digestivo
Modelo 3D
Sistema digestivo

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS