Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Dermatite de estase

Por

Mercedes E. Gonzalez

, MD, University of Miami Miller School of Medicine

Última revisão/alteração completa mar 2018| Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A dermatite de estase é uma inflamação na parte inferior das pernas resultante de estagnação do sangue e de líquidos.

A dermatite de estase ocorre em pessoas que têm insuficiência venosa crônica na parte inferior das pernas, que corresponde a danos nas veias das pernas, impedindo o sangue de circular normalmente. As pessoas desenvolvem inchaço (edema), veias varicosas (veias dilatadas e torcidas) raramente e, por último, dermatite de estase. A dermatite de estase costuma aparecer nos tornozelos, mas pode espalhar-se até os joelhos.

Sintomas

A princípio, a pele fica vermelha e apresenta uma leve escamação. Passadas várias semanas ou meses, fica pardacenta. Algumas zonas da pele podem se romper e acabar formando uma ferida aberta (úlcera), geralmente perto do tornozelo. Por vezes, as úlceras podem sofrer uma infecção bacteriana. A dermatite por estase faz com que se sinta coceira, vermelhidão e inchaço nas pernas, mas não causa dor. No entanto, as úlceras são, geralmente, dolorosas.

A pele pode ficar endurecida, grossa, dolorida e sensível. Esta complicação é chamada lipodermatosclerose.

Diagnóstico

Os médicos diagnosticam dermatite de estase em pessoas que manifestam as alterações cutâneas características e insuficiência venosa crônica, mas, às vezes, é necessária uma avaliação mais abrangente e exames de imagem (como ultrassonografia).

Tratamento

  • Medidas para prevenir o sangue de estagnar-se nas pernas

  • Medidas para aliviar a dermatite

  • Para úlceras, compressas especiais ou uma bota de pasta de Unna

  • Para infecção, antibióticos

Tratamento da insuficiência venosa crônica

O tratamento em longo prazo tem como finalidade tratar a insuficiência venosa crônica reduzindo a possibilidade de o sangue estagnar nas veias ao redor dos tornozelos. Quando está sentada, a pessoa deve elevar as pernas acima do nível do coração. As meias elásticas de prescrição médica, que exerçam a pressão apropriada (meias de compressão), também impedem a estagnação do sangue e diminuem o inchaço. As meias de suporte que se vendem nos centros comerciais geralmente não são adequadas.

Tratamento de dermatite

Para as dermatites recentes, as compressas calmantes, como as tiras de gaze embebidas em água corrente ou acetato de alumínio (solução de Burow), podem fazer com que a pele melhore e podem ajudar a prevenir infecções, mantendo a pele limpa. Se o distúrbio piorar, conforme evidenciado por aumento do calor, da vermelhidão, do exsudato, ou por pequenas úlceras, um curativo mais absorvente, como curativo hidrocoloide, pode ser usado.

Os cremes e pomadas com corticosteroides também ajudam e são associados, frequentemente, com uma pasta de óxido de zinco que se aplica de imediato numa camada fina. Os corticosteroides não devem ser aplicados diretamente sobre uma úlcera, porque isto impedirá a sua cicatrização.

Tratamento de úlceras

Quando uma pessoa apresenta úlceras grandes ou generalizadas, podem ser utilizados curativos especiais absorventes de umidade, de hidrocoloide ou hidrogel. Antibióticos são administrados somente quando a pele já está infectada. Por vezes, é possível realizar enxertos de pele de outras partes do corpo, para cobrir úlceras muito grandes.

Algumas pessoas podem precisar de uma bota de pasta Unna, que é uma bandagem elástica cheia de uma pasta gelatinosa que contém zinco. Essa cobertura é aplicada no tornozelo e na parte inferior da perna, onde endurece, de forma semelhante ao gesso, mas mais fina. Essa bota limita o inchaço e ajuda a proteger a pele de possíveis irritações e a massa acelera a sua cura. No início, essa bota é mudada a cada 2 ou 3 dias, mas depois pode ficar durante uma semana. Depois que a úlcera cicatriza, um suporte elástico deve ser aplicado antes que a pessoa levante pela manhã. Independentemente do curativo usado, a redução do inchaço (geralmente com compressão) é essencial para a cicatrização.

Na dermatite de estase, a pele fica irritada com facilidade. Não se devem administrar cremes com antibióticos, nem cremes de primeiros socorros (anestésicos), álcool, tintura de hamamélis de Virgínia, lanolina, nem outras substâncias químicas, uma vez que podem piorar ainda mais a doença.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Câncer de pele
Vídeo
Câncer de pele
A pele é o maior órgão do corpo. Ela tem muitas funções importantes, incluindo a de proteger...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS