Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Transtornos do sono relacionados ao ritmo circadiano

Por

Richard J. Schwab

, MD, University of Pennsylvania, Division of Sleep Medicine

Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família

Os transtornos do sono relacionados ao ritmo circadiano são dessincronizações entre os ritmos de sono-vigília internos e externos. Em geral, os pacientes apresentam insônia, sonolência diurna excessiva, ou ambas, que normalmente desaparecem quando o relógio biológico se realinha. O diagnóstico é clínico. O tratamento depende da causa.

Nos transtornos do ritmo circadiano, ritmos de sono-vigília endógenos (relógio corporal) e ciclo externo claro-escuro estão desalinhados (dessincronizados). A causa pode ser interna (p. ex., síndrome de fase do sono adiantada ou retardada) ou externa (p. ex., jet lag ou turnos de trabalho). Os distúrbios do ritmo circadiano do sono podem ocorrer em pacientes com doença de Alzheimer ou de Parkinson e em pacientes que tiveram traumatismo cranioencefálico ou encefalite.

Se a causa é externa, outros ritmos circadianos do corpo, incluindo temperatura e secreção de hormônios, podem se tornar dessincronizados com o ciclo luz-escuridão (dessincronização externa) e um com o outro (dessincronização interna); além da insônia e sonolência excessiva, essas alterações podem causar náuseas, mal-estar, irritabilidade e depressão. Os riscos de doenças cardiovasculares e metabólicas também podem aumentar.

As alterações circadianas repetitivas (p. ex., viagens longas frequentes ou trabalho em turnos alternados) são particularmente de difícil adaptação, em especial quando a mudança ocorre contra o relógio. Mudanças no sentido anti-horário são as que adiantam o despertar e o sono (p. ex. a voar para o leste ou ao trocar o turno de dia para a tarde ou noite). Os sintomas desaparecem após alguns dias ou em, alguns pacientes (p. ex., idosos), após algumas semanas ou meses, quando o ritmo se reajusta. Como a luz é um sincronizador forte do ritmo circadiano, a exposição à luz brilhante (luz do dia ou luz artificial com intensidade de 5.000 a 10.000 luxes) após o momento desejado para o despertar acelera o reajuste e o uso de óculos de sol para diminuir a exposição à luz antes da hora desejada de dormir. Melatonina antes de dormir pode ajudar.

Os pacientes com transtornos do ritmo circadiano geralmente fazem uso abusivo de álcool, hipnóticos e estimulantes.

Os transtornos do ritmo circadiano incluem os seguintes:

  • jet lagTranstorno do sono relacionado com o ritmo circadiano, do tipo jet lag (transtorno de jet lag)

  • Transtorno do sono de ritmo circadiano, do tipo turno de trabalho (transtorno de turno de trabalho)

  • Transtorno do sono de ritmo circadiano, tipos de fases alteradas do sono

Transtorno do sono relacionado com o ritmo circadiano, do tipo jet lag (transtorno de jet lag)

Essa síndrome é causada por viagens rápidas por > 2 fusos horários. A viagem em direção ao Leste (avançando o ciclo de sono) causa sintomas mais graves que a viagem para Oeste (retardando o sono).

Se possível, antes de viajar, as pessoas devem alterar gradualmente seu horário de sono-vigília de acordo com aquele aproximado do local de destino e, depois de chegar no novo local, maximizar a exposição à luz do dia (em particular pela manhã), bem exposição à escuridão antes da hora de dormir. Os hipnóticos de curta duração e/ou os fármacos promotores do estado de alerta (p. ex., modafinila) podem ser utilizados por curtos períodos após a chegada.

Transtorno do sono de ritmo circadiano, do tipo turno de trabalho (transtorno de turno de trabalho)

A gravidade dos sintomas é proporcional a

  • Frequência das mudanças de turno

  • Magnitude de cada mudança

  • Número de noites consecutivas trabalhadas

  • Duração dos turnos

  • Frequência das mudanças no sentido anti-horário (avanço do sono avançar)

Turnos fixos de trabalho (durante a tarde ou durante a noite) são preferíveis; turnos alternados devem ocorrer a favor do relógio (do dia para a tarde para a noite). No entanto, mesmo os trabalhadores com turno fixo têm dificuldades, pois o barulho e a luz durante o dia interferem na qualidade de sono e os trabalhadores muitas vezes abreviam seus períodos de sono para participar de eventos sociais ou familiares.

Os trabalhadores em turnos devem maximizar sua exposição à luz brilhante (luz do dia ou, para trabalhadores noturnos, luz artificial) enquanto estão despertos e assegurar que, quando possível, o quarto esteja escuro e silencioso durante o sono. Usar óculos escuros durante o trajeto até a casa como uma antecipação do sono também é útil. Venda para os olhos e aparelhos com ruído branco podem ajudar. Melatonina antes de dormir também pode ajudar. Quando os sintomas persistem e interferem no trabalho, o uso criterioso de hipnóticos de meia-vida curta e fármacos promotores de alerta é apropriado.

Transtorno do sono de ritmo circadiano, tipos de fases alteradas do sono

Nessas síndromes, os pacientes têm qualidade e duração de sono normais com o ritmo circadiano de 24 h, mas o ciclo não está sincronizado com os tempos de vigília desejados ou necessários. Com menos frequência, o ciclo não possui 24 h e os pacientes acordam e dormem mais cedo ou mais tarde a cada dia. Se forem capazes de acompanhar seu ciclo natural, os pacientes não apresentam sintomas.

  • Síndrome do atraso das fases do sono: pacientes dormem e acordam tarde regularmente (p. ex., 3h e 10h). Esse padrão é mais comum durante a adolescência. Se for necessário acordar mais cedo para ir ao trabalho ou à escola, ocorre SDE; os pacientes geralmente se apresentam devido ao fraco desempenho escolar ou à falta nas aulas do período matutino. Podem ser distinguidos de pessoas normais que ficam acordadas até tarde, pois não conseguem dormir mais cedo, mesmo que queiram. Uma fase média atrasada leve (< 3 h) é tratada com despertar precoce progressivo e terapia com luz matinal, talvez com melatonina 4 a 5 h antes da hora de dormir. Um método alternativo é atrasar progressivamente a hora de dormir e acordar em 1 a 3 h/dia até que se atinja o horário correto de dormir e acordar.

  • A síndrome do avanço das fases do sono: essa síndrome (dormir cedo e levantar-se cedo) é mais comum entre os idosos e responde ao tratamento com luz brilhante ao anoitecer e com óculos que impedem a luz pela manhã.

  • Síndrome do sono-vigília de não 24 h: muito menos comum, essa síndrome é caracterizada por um ritmo livre de sono-vigília. O ciclo de sono-vigília comumente permanece constante em comprimento, mas é > 24 h, resultando em retardo do sono e do despertar em 1 a 2 h a cada dia. Esta doença é mais comum entre indivíduos cegos. Tasimelteon, um agonista do receptor de melatonina, pode aumentar a duração do sono noturno e diminuir a duração do sono diurno em pacientes totalmente cegos que têm esse transtorno. A dose é 20 mg uma vez ao dia por via oral antes de dormir, na mesma hora todas as noites.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Como fazer o exame do cerebelo
Vídeo
Como fazer o exame do cerebelo
Modelos 3D
Visualizar tudo
Vascularização cerebral
Modelo 3D
Vascularização cerebral

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS