Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Doença óssea de Köhler

(Köhler's Bone Disease)

Por

Frank Pessler

, MD, PhD, Hannover, Germany

Última revisão/alteração completa mar 2019| Última modificação do conteúdo mar 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A doença óssea de Köhler consiste na morte (necrose) do osso navicular do tarso (um osso no arco do pé) devido à perda do fornecimento de sangue naquela região.

A doença óssea de Köhler é uma osteocondrose, que é um grupo de distúrbios da placa de crescimento dos ossos que ocorre quando a criança está crescendo rapidamente. Os médicos não sabem o que causa a osteocondrose, porém os distúrbios parecem ser de fato um mal de família. A doença de Osgood-Schlatter, a doença de Legg-Calvé-Perthes e a doença de Scheuermann são outros tipos de osteocondrose.

A doença óssea de Köhler é causada por um fornecimento de sangue insuficiente para o osso navicular do tarso. Esse fornecimento de sangue insuficiente causa a necrose e o colapso do osso navicular do tarso. A causa desse fornecimento de sangue insuficiente é desconhecida.

A doença óssea de Köhler geralmente afeta crianças com três a cinco anos de idade (mais comumente meninos) e costuma afetar somente um pé. O pé incha e fica dolorido e o arco do pé fica sensível. Carregar pesos e andar aumenta o desconforto e a maneira de andar (marcha) da criança fica prejudicada.

Radiografias mostram que o osso navicular está inicialmente achatado e endurecido. Depois, ele se parte em fragmentos antes de cicatrizar e endurecer formando novamente um só osso. Radiografias comparando o lado afetado com o lado não afetado ajudam a avaliar a progressão da doença.

Bones of the Foot

Bones of the Foot

Tratamento

  • Repouso e analgésicos

  • Às vezes, um gesso

A doença óssea de Köhler raramente dura mais do que dois anos. Repouso e analgésicos são necessários e deve-se evitar carregar pesos excessivos. Essa doença em geral melhora sem tratamento e sem consequências de longo prazo. Em casos graves, fazer com que a criança use um gesso próprio para caminhar que fica abaixo do joelho por algumas semanas pode ajudar. Geralmente, não é necessário usar muletas se um gesso próprio para caminhar for utilizado.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS