Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Intoxicação por paracetamol

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Albert Einstein Medical Center

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
  • Por vezes, as pessoas ingerem demasiados produtos que contêm paracetamol e veneno em si mesmos.

  • Dependendo da quantidade de paracetamol no sangue, os sintomas variam desde nenhuns a vômitos e dor abdominal a insuficiência hepática e morte.

  • O diagnóstico baseia-se na quantidade de paracetamol no sangue e nos resultados dos testes de função hepática.

  • É administrada acetilcisteína para reduzir a toxicidade do paracetamol.

Existem mais de 100 produtos que contêm paracetamol, um analgésico sem prescrição médica comum que também pode ser encontrado em vários medicamentos com prescrição médica de combinação. Se forem consumidos vários produtos semelhantes de uma só vez, uma pessoa pode tomar demasiado paracetamol inadvertidamente. Muitos preparados destinados à administração infantil estão disponíveis em forma líquida, em comprimidos e em cápsulas; os pais podem administrar vários preparados simultaneamente ou espaçadamente em várias horas para tratar uma febre ou dor, sem perceberem que todos contêm paracetamol.

Geralmente, o paracetamol é um medicamento muito seguro, mesmo em grandes doses, mas não é inofensivo. Para causar uma intoxicação, seria preciso ingerir várias vezes a dose recomendada de paracetamol. Por exemplo, uma pessoa de 68 kg teria que tomar, pelo menos, trinta comprimidos de 325 mg antes de apresentar efeitos tóxicos devido a uma única superdosagem. A morte é extremamente improvável, exceto se a pessoa tomar mais de quarenta comprimidos de 325 mg. Por essa razão, uma superdosagem de paracetamol que cause uma toxicidade séria geralmente não é acidental.

Também pode surgir toxicidade se forem tomadas várias doses pequenas ao longo do tempo. Em doses tóxicas, o paracetamol pode danificar o fígado. Pode ocorrer insuficiência hepática.

Sintomas

A maioria das superdosagens não provoca sintomas imediatos. Se a superdosagem for muito grande, os sintomas se desenvolvem em quatro fases:

  • Na fase 1 (após várias horas), a pessoa pode vomitar, mas não parece estar doente. Muitas pessoas não apresentam sintomas na fase 1.

  • Na fase 2 (depois de 24 a 72 horas), podem surgir enjoos, vômitos e dores abdominais. Nesta fase, as análises de sangue revelam que o fígado não está funcionando normalmente.

  • Na fase 3 (3 a 4 dias depois), os vômitos pioram. As análises revelam que o fígado está funcionando mal e surge icterícia (os olhos e a pele ficam amarelos) e sangramento. Por vezes, ocorre insuficiência renal e o pâncreas fica inflamado (pancreatite).

  • Na fase 4 (depois de 5 dias), o intoxicado recupera ou tem uma insuficiência hepática ou de outros órgãos que pode ser mortal.

Se a toxicidade resultar de várias pequenas doses tomadas ao longo do tempo, a primeira indicação do problema poderá ser função hepática anormal, por vezes com icterícia e/ou sangramento.

Diagnóstico

  • Níveis de paracetamol no sangue

  • Testes de função do fígado anormais

O médico considera uma intoxicação por paracetamol em pessoas que possam estar tentando suicídio, em crianças que receberam preparados para tosse e resfriado contendo paracetamol e em pessoas que possam ter ingerido paracetamol acidentalmente.

Os médicos podem prever a probabilidade de toxicidade por paracetamol pela quantidade ingerida ou, mais precisamente, pelo nível de paracetamol no sangue da pessoa. O nível no sangue, medido entre 4 e 24 horas após a ingestão, pode ajudar a prever a gravidade da lesão hepática. Exames de sangue para avaliar a função hepática, por vezes, podem ajudar, particularmente se a toxicidade pode ter resultado de doses repetidas ao longo do tempo.

Tratamento

  • Carvão e/ou acetilcisteína

  • Às vezes, tratamento para insuficiência do fígado ou transplante

Caso se tenha ingerido paracetamol nas últimas horas, pode ser administrado carvão ativado.

Se a concentração de paracetamol no sangue for elevada, administra-se geralmente acetilcisteína por via oral ou intravenosa, para reduzir a toxicidade do paracetamol. A acetilcisteína é administrada repetidamente durante um ou vários dias. Este antídoto ajuda a prevenir lesões hepáticas, mas não reverte a lesão que já foi causada. Por essa razão, a acetilcisteína deve ser administrada antes de ocorrer lesão hepática. Pode ser necessário, também, introduzir um tratamento para a insuficiência hepática ou um transplante de fígado.

Se a toxicidade resultar de várias doses menores tomadas ao longo do tempo, é difícil prever a evolução da lesão hepática. É administrada acetilcisteína se as análises indicarem a possibilidade de dano hepático e, por vezes, se este já tiver ocorrido.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Terapia de células-tronco alogênicas
Vídeo
Terapia de células-tronco alogênicas
Células-tronco são células ímpares localizadas na medula óssea ou no sangue periférico capazes...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fratura do tornozelo
Modelo 3D
Fratura do tornozelo

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS