Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Síndrome de Wolff-Parkinson-White (WPW)

Por

L. Brent Mitchell

, MD, Libin Cardiovascular Institute of Alberta, University of Calgary

Última revisão/alteração completa fev 2021| Última modificação do conteúdo fev 2021
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A síndrome de Wolff-Parkinson-White é uma doença congênita em que há uma conexão elétrica adicional entre os átrios e os ventrículos. Os portadores dessa doença podem ter episódios de batimentos cardíacos extremamente acelerados.

  • A maioria deles tem percepção dos batimentos cardíacos (palpitações), e alguns sentem fraqueza ou falta de ar.

  • O diagnóstico é estabelecido com base no eletrocardiograma.

  • Geralmente, os episódios podem ser interrompidos por técnicas que estimulam o nervo vago, reduzindo a frequência cardíaca.

A síndrome de Wolff-Parkinson-White é a mais frequente dos diversos distúrbios que envolvem uma via elétrica extra (acessória) entre os átrios e os ventrículos. (Essas perturbações denominam-se taquicardias supraventriculares Taquicardia paroxística supraventricular (TPSV) A taquicardia paroxística supraventricular é uma frequência cardíaca uniforme e rápida (de 160 a 220 batimentos por minuto), que começa e termina subitamente e é originada nos tecidos cardíacos... leia mais recíprocas atrioventriculares). Essa via de condução adicional aumenta a possibilidade de ritmos cardíacos anormais (arritmias).

A síndrome de Wolff-Parkinson-White é congênita, e as arritmias que provoca apresentam-se, geralmente, durante a segunda década de vida ou no início da terceira. No entanto, as arritmias podem surgir durante o primeiro ano de vida ou depois dos 60 anos.

Sintomas da síndrome de WPW

Quando crianças apresentam arritmias devido a essa síndrome, podem apresentar dificuldades respiratórias, letargia, perda de apetite ou ter palpitações rápidas e visíveis no tórax. Pode causar também insuficiência cardíaca.

Quando adolescentes ou pessoas no início dos 20 anos têm, pela primeira vez, um episódio de arritmia devido a essa síndrome, ela se apresenta caracteristicamente como um episódio de palpitações Palpitações Palpitações ocorrem quando os batimentos cardíacos são percebidos. A sensação pode estar associada a batimentos fortes, vibrantes, acelerados ou fora de ritmo. Outros sintomas, como desconforto... leia mais de início súbito, geralmente durante atividade física. O episódio pode durar apenas alguns segundos ou persistir por várias horas. Para a maioria das pessoas, a frequência cardíaca extremamente acelerada é desconfortável e muito angustiante. Algumas pessoas desmaiam.

Em idosos, episódios de taquicardia paroxística supraventricular causados pela síndrome de Wolff-Parkinson-White, tendem a causar outros sintomas, como desmaios, falta de ar e dor torácica.

Fibrilação atrial e Síndrome de Wolff-Parkinson-White

A fibrilação atrial é particularmente perigosa em pessoas com a síndrome de Wolff-Parkinson-White. A via de condução adicional pode conduzir impulsos acelerados aos ventrículos em uma frequência muito maior do que ocorre pela via de condução normal (através do nódulo atrioventricular). O resultado é uma frequência ventricular extremamente rápida, potencialmente fatal. Os batimentos cardíacos muito acelerados não apenas reduzem a eficiência do coração, mas esse quadro clínico pode também progredir para uma fibrilação ventricular Fibrilação ventricular A fibrilação ventricular é uma série potencialmente fatal de contrações descoordenadas, ineficazes e muito rápidas dos ventrículos (câmaras inferiores do coração) causadas por múltiplos impulsos... leia mais Fibrilação ventricular , que é fatal se não for tratada imediatamente.

Diagnóstico da síndrome de WPW

  • Eletrocardiograma

Como a síndrome de Wolff-Parkinson-White altera o padrão cardíaco de ativação elétrica, ela pode ser diagnosticada por eletrocardiograma Eletrocardiograma O eletrocardiograma (ECG) é um procedimento rápido, simples e indolor no qual os impulsos elétricos do coração são amplificados e registrados. Esse registro, o eletrocardiograma (também conhecido... leia mais  Eletrocardiograma (ECG), o qual registra a atividade elétrica do coração.

Tratamento da síndrome de WPW

  • Técnicas e medicamentos para converter o ritmo cardíaco

  • Às vezes, ablação

Muitas vezes, os episódios de taquicardia paroxística supraventricular Taquicardia paroxística supraventricular (TPSV) A taquicardia paroxística supraventricular é uma frequência cardíaca uniforme e rápida (de 160 a 220 batimentos por minuto), que começa e termina subitamente e é originada nos tecidos cardíacos... leia mais devido à síndrome de Wolff-Parkinson-White podem ser interrompidos por meio de uma de várias técnicas que estimulam o nervo vago, reduzindo a frequência cardíaca. Essas técnicas são mais eficazes se efetuadas logo no início do episódio de arritmia. Se essas técnicas não produzirem o efeito esperado, medicamentos como verapamil ou adenosina são usados por via intravenosa para interromper a arritmia. Os medicamentos antiarrítmicos podem continuar em uso por tempo indeterminado para evitar episódios de aceleração da frequência cardíaca (veja a tabela Alguns medicamentos usados no tratamento de arritmias Alguns medicamentos usados no tratamento de arritmias Arritmias cardíacas são sequências de batimentos cardíacos irregulares, muito rápidos ou muito lentos, ou que percorrem o coração por vias anormais de condução elétrica. As arritmias cardíacas... leia mais Alguns medicamentos usados no tratamento de arritmias ).

Nos bebês e nas crianças menores de 10 anos, a digoxina pode ser utilizada para interromper episódios de taquicardia paroxística supraventricular causados pela síndrome de Wolff-Parkinson-White. Adultos com essa síndrome não devem, no entanto, usar digoxina, pois ela pode facilitar a condução pela via de condução elétrica adicional, aumentando as chances da fibrilação atrial se tornar um fibrilação ventricular. Por essa razão, a administração da digoxina é geralmente suspensa em pessoas com essa síndrome antes de chegarem à puberdade.

Ablação

A destruição da via de condução elétrica adicional por meio de ablação por cateter Destruição de tecidos anormais (ablação) Arritmias cardíacas são sequências de batimentos cardíacos irregulares, muito rápidos ou muito lentos, ou que percorrem o coração por vias anormais de condução elétrica. As arritmias cardíacas... leia mais Destruição de tecidos anormais (ablação) (aplicação de energia em uma frequência específica ou de frio por um cateter inserido no coração) é eficaz em mais de 95% das pessoas. O índice de mortalidade durante esse procedimento é inferior a 1 em 1.000. A ablação é particularmente eficaz em jovens que, sem o procedimento, talvez precisem usar medicamentos antiarrítmicos por toda a vida.

Mais informações

O seguinte é um recurso em inglês que pode ser útil. Vale ressaltar que O MANUAL não é responsável pelo conteúdo deste recurso.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Teste os seus conhecimentos
Extrassístoles ventriculares
A extrassístole ventricular é um batimento cardíaco adicional provocado por uma ativação elétrica anormal iniciada nos ventrículos antes de um batimento normal. Qual das opções a seguir é uma afirmação correta sobre extrassístoles ventriculares?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS