Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Canalopatias cardíacas

Por

L. Brent Mitchell

, MD, Libin Cardiovascular Institute of Alberta, University of Calgary

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

Canalopatias cardíacas são anormalidades genéticas nas proteínas de células cardíacas que controlam a atividade elétrica do coração e podem, assim, causar distúrbios no ritmo cardíaco.

Em sua maioria, pessoas com canalopatias cardíacas não apresentam outra cardiopatia, como ataque cardíaco ou valvulopatia, mas carregam mutações nos genes que determinam a constituição ou a regulação dos poros das membranas cardíacas (canais) e estão predispostas a anormalidades no ritmo cardíaco.

As canalopatias mais comuns causam:

Outras canalopatias cardíacas, mais raras, incluem as seguintes:

  • síndrome do QT curto

  • síndrome da onda J

  • Taquicardia ventricular polimórfica catecolaminérgica (TVPC)

  • Síndrome de Brugada

Os defeitos elétricos às vezes causam taquicardia ventricular, um ritmo cardíaco perigosamente rápido, ou fibrilação ventricular, em que o coração chega a não ter batimentos.

Sintomas

Em alguns casos, o distúrbio é assintomático, mas muitas pessoas podem desmaiar devido à taquicardia ventricular. Os portadores de fibrilação ventricular estão sujeitos a parada cardíaca súbita.

Os sintomas podem ser provocados por febre ou alguns medicamentos, como certos medicamentos usados para tratar arritmias cardíacas e alguns antidepressivos.

Diagnóstico

  • Eletrocardiograma

Os médicos suspeitam de canalopatia em pessoas que têm familiares com histórico de desmaios ou morte inexplicável devido a um problema cardíaco, sobretudo se a morte tiver ocorrido em idade jovem.

O diagnóstico é estabelecido com base no eletrocardiograma (ECG). Em alguns casos, porém, o padrão das anomalias no ECG pode não ser tão evidente. Nesses casos, os médicos podem tentar provocar distúrbios no ritmo cardíaco com um medicamento ou com exercícios, possibilitando-lhes estabelecer um diagnóstico.

Tratamento

  • Cardioversor desfibrilador implantável

Normalmente é usado um cardioversor desfibrilador implantável (CDI), um pequeno aparelho capaz de detectar uma arritmia cardíaca e descarregar um choque para corrigi-la. Esse procedimento é semelhante ao implante de um marca-passo artificial.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS