Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Pilosidade

(Hirsutismo; hipertricose)

Por

Wendy S. Levinbook

, MD, Hartford Dermatology Associates

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Nos homens, a quantidade de pelos no corpo varia bastante (consulte também Considerações gerais sobre o crescimento capilar), porém poucos deles estão suficientemente preocupados com o excesso de pelos para procurarem um médico. Já em mulheres, a quantidade de pelos considerada excessiva varia dependendo de antecedentes étnicos e da cultura. Normalmente, o excesso de pelos no corpo é apenas uma preocupação estética ou psicológica. Entretanto, a causa desse excesso é, por vezes, um sério distúrbio hormonal, particularmente em mulheres que desenvolvem características masculinas (virilização).

A pilosidade pode ser categorizada como

  • Hirsutismo

  • Hipertricose

O hirsutismo é o crescimento excessivo de pelos grossos ou escuros, em mulheres, em locais nos quais tal crescimento é mais comum em homens. Esses locais incluem a face (no lábio superior, queixo ou área das costeletas), o torso (ao redor dos mamilos ou no tórax, abdômen inferior ou costas) e os membros (nos ombros ou parte interna das coxas).

A hipertricose é o aumento da quantidade de pelos em qualquer lugar do corpo, em ambos os sexos. Os pelos em excesso podem crescer por todo o corpo, ou apenas em locais específicos. Eles podem ser tanto finos e de cor clara, ou grossos, escuros e longos. Esse distúrbio pode aparecer no nascimento, ou ser desenvolvido posteriormente.

Causas

O crescimento de pelos depende do equilíbrio entre hormônios masculinos e femininos. Os hormônios masculinos estimulam o crescimento de pelos grossos e escuros. Os hormônios femininos, como o estrogênio retardam o crescimento dos pelos ou os tornam mais finos e de coloração clara. As mulheres normalmente produzem pequenas quantidades de hormônios masculinos, assim como os homens produzem pequenas quantidades de hormônios femininos.

Hirsutismo

Níveis altos de hormônios masculinos (andrógenos, como a testosterona) ou aumento de sensibilidade a níveis normais de hormônios masculinos no corpo, resultam, geralmente, em hirsutismo. A testosterona estimula o crescimento de pelo no púbis e nas axilas. A diidrotestosterona estimula o crescimento de pelos na região da barba, e a perda de cabelos no couro cabeludo.

As condições que inclinam o equilíbrio hormonal em favor dos hormônios masculinos podem causar hirsutismo. O equilíbrio pode ser derrubado pelo excesso da produção de hormônios masculinos. Entretanto, no hirsutismo que ocorre em famílias (hirsutismo familiar), os folículos pilosos das mulheres parecem, simplesmente, ser mais sensíveis aos níveis regulares de hormônios masculinos.

A causa mais comum de hirsutismo é

Existem muitas causas menos comuns de hirsutismo ( Algumas causas e características do hirsutismo):

  • distúrbios hipofisários, ovarianos ou da adrenal que resultam na superprodução de hormônios masculinos

  • Tumores que produzem hormônios masculinos, incluindo certos tipos de tumores dos ovários, das adrenais, dos pulmões, ou do trato digestivo

  • O uso de certos medicamentos, como esteroides anabolizantes, danazol ou pílulas anticoncepcionais (contraceptivos orais) que possuem altas doses de progesterona

  • Uma característica familiar, que ocorre com maior frequência em pessoas do Mediterrâneo, do Oriente Médio, ou do Sul Asiático

Quando o hirsutismo é causado por aumento dos níveis de andrógenos, as mulheres muitas vezes sofrem virilização.

Virilização é o desenvolvimento de outras características masculinas além do excesso de pelos no rosto e no corpo. Por exemplo

  • A voz fica mais grave.

  • O tamanho dos músculos aumenta.

  • Perdem-se cabelos.

  • O clitóris (o órgão feminino menor que corresponde ao pênis) se torna maior.

  • A menstruação se torna irregular ou cessa totalmente.

  • Pode-se também desenvolver acne.

Hipertricose

A hipertricose é causada por distúrbios que não afetam os níveis de hormônios masculinos.

As causas mais comuns da hipertricose são

  • Certas complicações do câncer (síndromes paraneoplásicas)

  • Uso de certos medicamentos, mais comumente minoxidil, fenitoína, ciclosporina ou os colírios de prostaglandina bimatoprosta ou latanoprosta

  • Um distúrbio sistêmico sério, como a AIDS, distúrbios ou lesões cerebrais, desnutrição (incluindo transtornos alimentares, como a anorexia nervosa e a bulimia), dermatomiosite e porfiria

  • Lesão e/ou fricção repetida, ou inflamação de áreas da pele, como por exemplo, um aumento no crescimento dos pelos percebido após o gesso ter sido removido de um braço ou perna fraturado anteriormente

Em casos raros, a hipertricose é causada por uma mutação no gene. Nesses casos, ela geralmente está presente já no nascimento.

Avaliação

Os médicos devem determinar se o excesso de pelos é resultado de um distúrbio, ou se é simplesmente uma preocupação estética.

Sinais de alerta

Em mulheres com excesso de pelos pelo corpo, certos sintomas são motivo de preocupação:

  • O desenvolvimento de características masculinas (virilização), como voz mais grossa, aumento do tamanho dos músculos, calvície, diminuição ou ausência de períodos menstruais e acne

  • O súbito aparecimento e o rápido crescimento de pelos em excesso, ao longo de semanas ou meses

  • Um crescimento no abdômen ou na pélvis

O súbito aparecimento de pelos em excesso pode indicar câncer.

Quando consultar um médico

Se houver sinais de advertência, as pessoas devem consultar um médico imediatamente. Se os pelos em excesso aparecerem aos poucos, sem sinais de advertência, a pessoa deve procurar um médico, mas a consulta não precisa ser agendada tão depressa.

Normalmente, mulheres sem sinais de alerta não precisam procurar um médico se elas sempre tiverem tido pelos em excesso, se, no mais, elas se sentirem bem, se tiverem períodos menstruais regulares e nenhuma característica masculina e se tiverem familiares que também apresentam pelos em excesso. Tais mulheres têm pelos em excesso pelo corpo por ser um traço familiar.

O que o médico faz

Primeiro, o médico faz perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que eles encontram durante o histórico e o exame físico geralmente indica a causa e os exames que possivelmente precisarão ser realizados ( Algumas causas e características do hirsutismo).

É perguntado a elas quando o pelo começou a crescer excessivamente e onde está localizado, se têm períodos menstruais, e se tiverem, se os mesmos são regulares. Os médicos podem também perguntar se elas tiveram problemas ao conceber filhos e se os familiares também apresentam pelos em excesso.

Os médicos perguntam sobre os medicamentos que elas estão tomando, particularmente sobre esteroides anabolizantes e outros medicamentos conhecidos por causarem crescimento de pelos.

Durante o exame físico, os médicos observam o padrão do crescimento do pelo e procuram por características masculinas e outras que possam indicar a causa. Por exemplo, se um nódulo for sentido durante o exame pélvico, pode ser a indicação de um tumor em um dos ovários.

Tabela
icon

Algumas causas e características do hirsutismo

Causa

Características comuns*

Exames

Distúrbios da adrenal

Desenvolvimento de características masculinas (virilização) causadas por hiperplasia adrenal, que são glândulas adrenais expandidas que produzem quantidades grandes e anormais de hormônios masculinos

Presença de características masculinas, como uma voz mais grossa, calvície, clitóris aumentado, aumento do tamanho dos músculos, períodos menstruais irregulares ou ausentes e acne

Quando a hiperplasia adrenal está presente no nascimento, os órgãos genitais externos não são definidamente masculinos ou femininos (ambíguo)

Exames de sangue e, às vezes, de urina para medir os níveis hormonais

Teste de supressão de dexametasona (dexametasona, tomada por via oral, e na sequência, após algumas horas, um exame de sangue para medir os níveis hormonais)

Tumores adrenais, geralmente cancerosos

O desenvolvimento de características masculinas se um tumor adrenal produzir excesso de andrógenos ( como testosterona), ou se a pessoa tiver síndrome de Cushing (um tumor adrenal que produz cortisol em excesso [ver abaixo])

RM ou TC

Exames de sangue e urina para medir os níveis hormonais

Excesso de gordura que se estende por todo o tronco, uma capa de gordura entre os ombros (corcova de búfalo), braços e pernas finas, estrias roxas no abdômen, surgimento fácil de hematomas, rosto redondo e grande (cara de lua), hipertensão arterial e diabetes mellitus

Exames de urina e, geralmente, de sangue para medir o nível de cortisol, o qual pode ser elevado na síndrome de Cushing

Geralmente teste de supressão de dexametasona

Sem a presença de distúrbios

Hirsutismo familiar

Hirsutismo em familiares

Nenhum outro sintoma, ciclos menstruais normais e nenhuma outra característica masculina

Exame médico

Exames de sangue para medir os níveis hormonais, que são normais

Distúrbios ovarianos

Hirsutismo que começa após a puberdade

Desenvolvimento de características masculinas, obesidade, infertilidade, irregularidades menstruais, acne, queda de cabelos, diminuição da sensibilidade à insulina e escurecimento e engrossamento da pele nas axilas, na nuca e nas pregas cutâneas (acanthosis nigricans)

Exame médico

Exames de sangue para medir os níveis hormonais, como a testosterona, o hormônio luteinizante (LH) e o hormônio foliculo-estimulante (FSH)

Geralmente ultrassonografia

Tumores

Às vezes, um ou mais dos sintomas seguintes, que muitas vezes começam subitamente:

  • Dor pélvica

  • Inchaço ou distensão abdominal

  • Perda de peso

  • Desenvolvimento de outras características masculinas

Ultrassonografia

Algumas vezes TC ou RM

Distúrbios hipofisários

Um adenoma hipofisário (tumor não cancerígeno) que secreta a prolactina

Produção de leite nos seios das mulheres que não estão amamentando (galactorreia)

Sem períodos menstruais

Em alguns casos, problemas de visão

Exames de sangue para medir o nível de prolactina

RM do cérebro

TC ou RM do cérebro

Um distúrbio hipofisário que causa a síndrome de Cushing, tal como um tumor hipofisário

Consulte síndrome de Cushing, acima

Exames de urina e sangue para medir o nível de cortisol, que na síndrome de Cushing pode ser alto

Teste de supressão de dexametasona

RM do cérebro

Medicamentos

Medicamentos andrógenos:

  • Esteroides anabolizantes, incluindo aqueles tomados para melhorar o desempenho atlético, como produtos com testosterona e danazol

  • Pílulas anticoncepcionais ou outros contraceptivos que contêm altas doses de progesterona

Desenvolvimento de características masculinas

Uso de esteroides anabolizantes, o que, às vezes, não é admitido pelo usuário

Exame médico

* As características incluem sintomas e resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

TC = tomografia computadorizada; RM = imagem por ressonância magnética.

Exames

Homens que não têm outros sinais de doença não realizam exames adicionais.

As mulheres fazem exames de sangue para medir os níveis de vários hormônios e, assim, ajudar a identificar a causa:

  • Testosterona

  • Sulfato de desidroepiandrosterona (DHEA-S)

  • Hormônio folículo-estimulante (FSH) e hormônio luteinizante (LH)

  • Prolactina

Para que a suspeita de câncer pélvico ou adrenal seja descartada, geralmente realiza-se uma ultrassonografia e/ou tomografia computadorizada (TC) ou ressonância magnética (RM) da pelve, principalmente se um caroço for encontrado na pelve ou se os níveis de testosterona ou DHEA-S estiverem altos. Se houver suspeita de um distúrbio da hipófise, é feita uma RM da cabeça.

Exames de urina também são feitos, caso haja suspeita de síndrome de Cushing ou se um tumor adrenal for detectado em exames de imagem.

Tratamento

  • Tratamento da doença subjacente, incluindo interrupção ou alteração de medicamentos que causam pilosidade

  • Descoloração ou remoção de pelos para melhora estética

  • Terapia hormonal

A condição subjacente é tratada ou corrigida. Por exemplo, os medicamentos que causam hirsutismo são suspensos ou trocados.

O tratamento para pelos em excesso é desnecessário, a menos que a mulher queira minimizar ou removê-los por razões estéticas. Se o crescimento excessivo de pelos não estiver relacionado a níveis elevados de hormônios masculinos, podem ser usados métodos físicos para a remoção dos pelos. Se os elevados níveis de hormônios masculinos forem a causa, além dos métodos físicos é necessário também a terapia hormonal.

Métodos físicos

Vários métodos estão disponíveis.

A depilação remove a parte do pelo que fica acima da superfície da pele. Os métodos incluem barbeamento e cremes vendidos sem prescrição médica que podem conter sulfato de bário e/ou tioglicolato de cálcio.

Outro tipo de depilação envolve a remoção de pelos intactos com suas raízes. Os métodos que removem temporariamente os pelos incluem: remoção com pinça, arrancar os pelos, depilação com cera e utensílios para depilação caseira. Alguns métodos têm longa duração, às vezes até efeitos permanentes, porém, frequentemente os tratamentos precisam ser repetidos. Esses métodos incluem eletrólise, termólise e tratamentos a laser.

Terapia hormonal

Geralmente os hormônios usados no tratamento do hirsutismo precisam ser tomados por um longo período, pois a maioria dos distúrbios que causam a elevação dos níveis hormonais masculinos não pode ser curada. Esses hormônios incluem pílulas de controle da natalidade e medicamentos que bloqueiam os efeitos dos hormônios masculinos, como a finasterida ou a espironolactona. Mulheres que estão grávidas ou que podem engravidar não devem tomar medicamentos que bloqueiem os hormônios masculinos, pois eles podem provocar o desenvolvimento de características femininas em um feto masculino.

Os agonistas do hormônio liberador de gonadotrofina, como a leuprolida, podem ser usados se os ovários estiverem produzindo níveis extremamente altos de hormônios masculinos, mas o uso desses medicamentos necessita de uma supervisão rigorosa por um ginecologista ou endocrinologista. Os corticosteroides podem ser usados para reduzir os níveis de hormônios masculinos produzidos por tumores da adrenal.

Outros métodos

O clareamento é uma alternativa para a eliminação de pelos. Não é caro e funciona bem quando as mulheres apresentam poucas quantidades de pelos em excesso. Os descolorantes clareiam a cor dos pelos, tornando-os menos perceptíveis. Há vários tipos de produtos para clareamento capilar disponíveis. A maioria dos produtos contém peróxido de hidrogênio.

A eflornitina em creme, aplicada duas vezes ao dia, desacelera a taxa de crescimento capilar e, com o uso em longo prazo, pode aumentar o intervalo entre os tratamentos para remoção dos pelos.

Pontos-chave

  • O excesso de pelos no corpo pode ocorrer em famílias, e o que é considerado excessivo pode variar de acordo com os antecedentes étnicos e a cultura.

  • O hirsutismo, que ocorre apenas em mulheres, provoca o crescimento excessivo de pelos em um padrão masculino e difere da hipertricose, que ocorre em homens e mulheres e causa crescimento excessivo de pelos em qualquer lugar do corpo.

  • A síndrome do ovário policístico (SOP) é a causa mais comum de hirsutismo.

  • Se a mulher também desenvolver características masculinas (como voz mais grossa, aumento da massa muscular, perda de cabelos ou períodos menstruais irregulares ou ausentes), ela pode ter um distúrbio hormonal que requer avaliação médica imediata.

  • Se os pelos em excesso aparecerem no corpo repentinamente e crescerem rapidamente, a causa para isso pode ser um câncer.

  • O tratamento pode incluir a remoção dos pelos e/ou terapia hormonal.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Acne
Vídeo
Acne
A pele contém muitos folículos pilosos diminutos, ou poros. Cada poro contém um pelo e uma...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS