Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Preparativos de viagem

Por

Christopher Sanford

, MD, MPH, DTM&H, University of Washington;


Alexa Lindley

, MD, MPH, Department of Family Medicine, University of Washington

Última revisão/alteração completa jul 2020| Última modificação do conteúdo jul 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os preparativos para as viagens são vitais, mesmo para pessoas saudáveis. Os preparativos apropriados são relativamente baratos quando comparados com o custo que implica ficar doente quando se está em viagem.

Antes de viajar, a pessoa deve examinar, juntamente com o médico, os itinerários planejados e o histórico médico relevante, as vacinas obrigatórias, medidas para prevenir infecções como, por exemplo, a malária e a diarreia do viajante e recomendações sobre como evitar lesões. As causas de morte mais comuns para viajantes mais velhos são o ataque cardíaco e o acidente vascular cerebral, e a causa de morte mais comum para o restante dos viajantes são acidentes de trânsito.

Kits médicos de viagem

Levar kits médicos de viagem ajuda no caso de lesões e doenças leves. É útil incluir no kit:

  • Itens de primeiros socorros (como ataduras, fita adesiva, faixa elástica)

  • Analgésicos (como paracetamol ou medicamentos anti-inflamatórios não esteroides)

  • Descongestionantes (como fenilefrina)

  • Antiácidos

  • Antibióticos

  • Fármacos antidiarreicos (por exemplo, a loperamida)

Além disso, medicamentos tópicos, como creme de hidrocortisona 1%, um creme antifúngico sem receita médica e uma pomada antibiótica, deverão ser considerados.

Os viajantes devem carregar o kit médico de viagem, medicamentos com receita, um par de óculos a mais ou de outras lentes corretivas (assim como uma receita atualizada para os óculos ou as lentes) e pilhas para os aparelhos auditivos em malas de mão, no caso de a bagagem despachada se atrasar, for extraviada ou roubada. As pessoas com necessidades alimentares e médicas específicas deverão planejar cuidadosamente e carregar sua própria comida e suprimentos. Com frequência é possível prevenir problemas mais graves quando se tomam precauções com bom senso.

Seguro de saúde para viagens

O seguro de saúde é importante para os viajantes. Mesmo em viagens domésticas, alguns planos limitam a cobertura dos cuidados de saúde longe de casa. Assim, os viajantes deverão conhecer os limites de suas apólices.

A cobertura é um problema que ocorre com mais frequência nas viagens internacionais. Alguns seguros nacionais limitam a cobertura de vacinações e medicamentos profiláticos para viagens internacionais, mesmo quando algumas vacinas são exigidas para entrar em determinados países. Da mesma forma, o Medicare (EUA) e muitos planos de saúde comerciais não são válidos em países estrangeiros e não cobrem o custo de qualquer tratamento dado fora dos Estados Unidos. Além disso, em alguns hospitais internacionais exige-se um depósito em dinheiro ou o pagamento total antes de ser prestada assistência médica.

Para se evitar custos elevados ou a impossibilidade de se obter assistência médica, os viajantes devem determinar com antecedência qual a cobertura internacional (se houver) oferecida pelo seu plano de saúde, como obter uma autorização prévia para a assistência internacional e como obter reembolso depois de uma emergência. Os seguros de saúde de viagem, incluindo seguro para evacuações de emergência, estão disponíveis através de muitas agências comerciais, serviços de viagens e algumas grandes empresas de cartão de crédito. Os viajantes podem desejar adquirir seguro para serviços como

  • Tratamento de emergência (aproximadamente uma em cada trinta pessoas que viajam para o exterior precisa de tratamento de emergência)

  • Transporte, com equipe médica acompanhante, equipamento e tratamento, em países estrangeiros ou durante o retorno aos Estados Unidos da América

  • Cuidados odontológicos

  • Cuidados pré-natais ou pós-natais

  • Perda ou roubo de medicamentos com receita médica

  • Tradutores médicos

A Associação Internacional para Assistência Médica a Viajantes (International Association for Medical Assistance to Travellers, IAMAT – www.iamat.org), uma organização sem fins lucrativos, mantém uma lista de médicos que falam inglês nas cidades do mundo todo. Outros lugares que mantêm uma lista de médicos que falam inglês em países estrangeiros estão disponíveis em várias organizações e sites. Os consulados dos EUA podem ajudar os viajantes a identificar e garantir serviços médicos de urgência.

Tabela
icon

Useful Contacts for People Traveling Abroad

Organização

Números de telefone

Site da internet

International Association for Medical Assistance to Travellers (IAMAT)

Estados Unidos: (716) 754-4883 (Niagara Falls, NY)

Canadá: (416) 652-0137 (Toronto, Ontário)

Centros de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and Prevention, CDC)

Estados Unidos: Ligação gratuita: (800)-CDC-INFO (800-232-4636)

TTY: (888) 232-6348 (Atlanta, GA)

Linha direta para informações sobre a malária do CDC

Estados Unidos: (770) 488-7788 ou (855) 856-4713; fora de horário comercial: (770) 488-7100 (Atlanta, GA)

Linha direta para informações sobre o vírus Zika na gravidez do CDC

Estados Unidos: (770) 626-6847 (Atlanta, GA)

Departamento de Estado dos Estados Unidos, Serviços dos Cidadãos no Exterior (U.S. Department of State, Overseas Citizens Services)

Se estiver ligando dos Estados Unidos ou do Canadá: (888) 407-4747

Se estiver ligando de outros países: (202) 501-4444

(Washington, DC)

Organização Mundial da Saúde (OMS)

Internacional: (+41 22) 791-2111 (Genebra, Suíça)

Américas: (202) 974-3000 (Washington, DC)

Vacinação para viagem

A vacinação é importante no caso de viagem para a maioria dos países em desenvolvimento e, em alguns deles, a vacinação é obrigatória para a entrada. Idealmente, os viajantes devem consultar-se com o médico entre seis e oito semanas antes de viajar, para receber eventuais vacinas necessárias e garantir que todas as imunizações de rotina estão atualizadas. Para documentar os nomes e as datas das vacinações, o melhor é transportar um certificado internacional de vacinação. É fácil de se obter o certificado em muitas clínicas de viagem ou com o Superintendente de documentos no Escritório de impressão do governo dos EUA.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) oferecem informações sobre viagem em geral e informações atualizadas sobre imunização (Saúde do Viajante: vacinação) e é possível obter recomendações sobre a prevenção da malária na linha direta para informações sobre malária (855-856-4713) e no site da internet (Malária e viajantes) do CDC (consulte também Malária).

Tabela
icon

Vaccines for International Travel*,†

Infecção

Regiões em que a vacina é recomendada

Comentários

Todos os países de renda baixa e média

Duas doses são administradas com um intervalo de, no mínimo, seis meses entre elas.‡

Consulte também Vacina contra a hepatite A.

Todos os países de renda baixa e média (a hepatite B é particularmente comum na China)

Essa vacina é recomendada para os viajantes que permanecem por longos períodos e para todos os profissionais de saúde.‡

Consulte também Vacina contra a hepatite B.

Encefalite japonesa

Áreas rurais na maior parte da Ásia e do Sul da Ásia, particularmente em áreas de cultivo de arroz e criação de porcos

Duas doses são administradas com um intervalo de 28 dias entre elas. Adultos com 18 a 65 anos de idade podem receber uma segunda dose já depois de sete dias após a primeira dose. A última dose deve ser administrada pelo menos uma semana antes da viagem.

Essa vacina não é recomendada para gestantes.

Essa vacina, em geral, não é aconselhada para aqueles de vão passar menos de um mês em uma área endêmica.

Norte da África subsaariana, de Mali à Etiópia (o cinturão da meningite)

No mundo todo, especialmente em situações em que as pessoas vivem com muitas outras (como dormitórios)

Uma única dose da vacina quadrivalente é eficaz.

O risco de infecção no cinturão da meningite é mais alto durante a temporada de seca (de dezembro a junho).

Essa vacina é obrigatória para entrada na Arábia Saudita durante o Hajj ou o Umrah.

Consulte também Vacina meningocócica.

Todos os países, incluindo os Estados Unidos

Essa vacina é recomendada para os viajantes com risco de mordidas de animais, incluindo quem vai acampar em áreas rurais, veterinários, pessoas que vivem em áreas remotas e trabalhadores do campo.

Ela não elimina a necessidade de vacinas adicionais depois de uma mordida de animal (para maior proteção).

Essa vacina é administrada durante a gestação somente se o risco de infecção for alto.

Consulte também Prevenção contra a raiva.

Todos os países de baixa renda, especialmente no sul da Ásia (incluindo a Índia)

A vacina está disponível em duas apresentações.

Apresentação por injeção única: protege por dois anos e acredita-se ser mais segura para gestantes que a forma em comprimido da vacina.

Apresentação em comprimido: um comprimido é ingerido um dia sim um dia não, formando um total de quatro comprimidos. Essa forma protege por cinco anos e não é segura para gestantes.

América do Sul tropical e África tropical

A doença é rara, mas muitos países exigem comprovante de vacina para entrada.§

Essa vacina não é segura para gestantes.

Essa vacina tem um risco elevado de causar efeitos colaterais em idosos.§

Uma dose oferece proteção vitalícia para a maioria dos viajantes.

* Além das vacinas elencadas, os viajantes devem estar em dia com a vacinação de rotina, incluindo a vacina contra a gripe, sarampo, caxumba, rubéola, tétano, difteria, poliomielite, doença pneumocócica e varicela.

† Todas as recomendações estão sujeitas a modificações. Para ver as recomendações mais recentes, consulte os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (www.cdc.gov ou 800-CDC-INFO [800-232-4636]). {blank} Considerações gerais sobre a imunização.

‡ Existe também uma combinação de vacina contra a hepatite A e a hepatite B disponível que os médicos administram seguindo um esquema de três ou quatro doses (consulte Vacina contra hepatite A e Vacina contra hepatite B).

§ No caso de viajantes com mais de 60 anos de idade, é possível que o médico cogite preencher a seção de isenção do cartão amarelo (Certificado Internacional de Vacinação), em vez de administrar a vacina contra a febre amarela. Esses viajantes devem, então, ser bastante diligentes em relação ao cumprimento de medidas de proteção pessoal contra insetos.

Preparativos para viajantes com problemas de saúde

Viajar com problemas de saúde requer uma preparação específica. Pessoas que sofrem de alguma doença devem consultar seus médicos antes da partida, para se assegurar de que sua doença está estável e para determinar se é necessário mudar a medicação. Informações médicas detalhadas por escrito podem ser a coisa mais valiosa que uma pessoa pode ter em uma emergência médica no exterior, incluindo informações sobre

  • Vacinações

  • Medicamentos

  • Resultados de exames de diagnóstico importantes

  • Tipos e datas de tratamentos

As pessoas devem considerar pedir ao médico para preparar esses tipos de informações em uma carta. Pulseiras ou colares de identificação médica são essenciais para pessoas com doenças que podem causar sintomas rápidos e letais, confusão ou perda de consciência (como diabetes, convulsões e reações alérgicas graves). Os viajantes que tenham algum distúrbio cardíaco devem ter consigo uma cópia de um ECG (eletrocardiograma) recente. Os viajantes devem ainda carregar consigo um comprovante da validade do seu seguro.

Medicamentos

Os medicamentos devem ser mantidos nas embalagens originais para que, em caso de urgência, seus nomes e instruções possam ser lidos de maneira precisa. É mais útil saber o nome genérico de um medicamento que sua marca comercial, pois as marcas diferem de país para país.

Os viajantes também devem levar um suprimento extra de medicamentos na bagagem de mão, para o caso de se perder a bagagem, ocorrer um roubo, haver um atraso de trânsito ou se a viagem de retorno for adiada. Como opiáceos, seringas e grandes quantidades de medicamentos podem levantar suspeitas por parte dos agentes de segurança ou agentes alfandegários, os viajantes devem ter consigo uma nota explicativa do médico que ateste a necessidade da administração dessas substâncias e dos suprimentos. Além disso, as seringas deverão ser embaladas com os medicamentos que são usados com elas. Os viajantes devem também verificar nos aeroportos, nas empresas aéreas ou nas embaixadas qual documentação adicional também é útil, para que a viagem com esses suprimentos ocorra sem problemas. Consulte também as normas da Agência de Segurança de Transporte (TSA) dos Estados Unidos.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS