Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Dermatite por estase

Por

Thomas M. Ruenger

, MD, PhD, Georg-August University of Göttingen, Germany

Última modificação do conteúdo fev 2021
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A dermatite por estase é a inflamação, geralmente da pele das pernas, causada por edema crônico. Os sintomas são prurido, descamação e hiperpigmentação. Ulceração pode ser uma complicação. O diagnóstico é clínico. O tratamento é direcionado às causas do edema e à prevenção de ulcerações.

A dermatite por estase ocorre em pacientes com edema crônico decorrente de, por exemplo, insuficiência venosa crônica Insuficiência venosa crônica e síndrome pós-flebítica Insuficiência venosa crônica é o comprometimento do retorno venoso, provocando, às vezes, desconforto, edema e alterações cutâneas no membro inferior. Síndrome pós-flebítica... leia mais Insuficiência venosa crônica e síndrome pós-flebítica , insuficiência cardíaca direita Insuficiência cardíaca (IC) A insuficiência cardíaca é uma síndrome de disfunção ventricular. A insuficiência ventricular esquerda provoca falta de ar e fadiga; a insuficiência ventricular... leia mais Insuficiência cardíaca (IC) ou linfedema Linfedema Linfedema é edema de um membro em decorrência de hipoplasia linfática (primária) ou por causa de obstrução ou rompimento (secundário) dos vasos linfáticos... leia mais Linfedema . O aumento da pressão capilar com subsequente comprometimento da integridade endotelial na microvasculatura resulta em extravasamento de fibrina; a interrupção da função de barreira epitelial resulta em inflamação local. A dermatite por estase ocorre mais comumente na tíbia, mas também pode afetar outras áreas com edema crônico, como os braços após tratamento com radioterapia dos linfonodos axilares.

Referência geral

  • 1. Erfurt-Berge C, Geier J, Mahler V: The current spectrum of contact sensitization in patients with chronic leg ulcers or stasis dermatitis: New data from the Information Network of Departments of Dermatology (IVDK). Contact Dermatitis 77(3):151–158, 2017. doi: 10.1111/cod.12763

Sinais e sintomas da dermatite de estase

As manifestações típicas da dermatite por estase incluem prurido, eritema mal definido, descamação e liquenificação, mais comumente na região anterior das pernas. Há também placas, muitas vezes exsudativas e crostosas, comumente com superinfecção bacteriana.

Quando a causa é uma insuficiência venosa crônica, outras manifestações geralmente incluem veias varicosas, púrpura jaune d'ocre (uma coloração amarelo-marrom devido a depósitos de hemossiderina na derme) e lipodermatosclerose (esclerose da gordura subcutânea causada por paniculite Paniculites São processos inflamatórios no tecido subcutâneo resultantes de múltiplas causas. O diagnóstico é feito por avaliação clínica e biópsia. O tratamento... leia mais Paniculites , também chamada paniculite esclerosante), dando à perna um formato de pino de boliche invertido com alargamento da panturrilha e estreitamento no tornozelo.

Manifestações da dermatite por estase

Diagnóstico da dermatite por estase

  • Avaliação clínica

O diagnóstico da dermatite por estase é clínico, baseado na aparência característica das lesões cutâneas e outros sinais de edema crônico e insuficiência venosa da perna. Consulta com um especialista vascular e exames (como ultrassonografia Doppler) podem ser necessários.

Tratamento da dermatite de estase

  • Tratamento das causas do edema

  • Compressão e elevação

  • Tratamento das complicações (p. ex., Infecção secundária, dermatite de contato alérgica, úlceras)

Além disso, a dermatite por estase sem erosão costuma diminuir com um corticoide tópico de média potência (p. ex., acetonida de triancinolona em creme ou pomada a 0,1%). Para uma lesão que sofreu erosão (exsudativa), o uso de curativo hidrocoloide pode ser melhor.

As úlceras são tratadas melhor com compressas e curativos suaves (como pasta de óxido de zinco); outros curativos (p. ex., hidrocoloides) são também eficazes ( Tratamento direto de lesões Tratamento direto de lesões Tratamento direto de lesões ). Úlceras em pacientes ambulatoriais podem ser curadas com bota de pasta de Unna (gelatina de zinco), um curativo de gelatina de zinco mais adequado ou um curativo coloide (todos disponíveis comercialmente). Os curativos do tipo coloide usados sob suporte elástico são mais eficazes que a bota de pasta de Unna. É necessário trocar o curativo a cada 2 ou 3 dias, mas se houver melhora do edema e cicatrização da úlcera, 1 a duas vezes/semana é o suficiente. Após a cicatrização da úlcera, uma bandagem elástica deve ser colocada antes que o paciente deambule de manhã. Independentemente do curativo usado (em geral, com compressão), a redução do edema é primordial para a cura.

Os antibióticos orais (p. ex., cefalosporinas, dicloxacilina) são usados para tratar a celulite Celulite É uma infecção bacteriana aguda da pele e tecido subcutâneo, geralmente causada por estreptococos ou estafilococos. Sinais e sintomas são dor, calor, eritema de rá... leia mais Celulite associada. Os antibióticos tópicos (mupirocina, sulfadiazina de prata) são úteis em erosões e úlceras. Quando o edema e a inflamação regridem, enxertos espessos são necessários para úlceras grandes.

Fármacos complexos ou sem prescrição médica não devem ser usadas. A pele na dermatite de estase é mais vulnerável a irritantes diretos e a agentes tópicos potencialmente sensibilizantes (p. ex., antibióticos, anestésicos e veículos de fármacos tópicos, especialmente lanolina e veículos de pomadas à base de álcool).

Pontos-chave

  • A dermatite por estase resulta de edema crônico, mais tipicamente na região anterior das pernas.

  • Os sinais incluem eritema, descamação, prurido e liquenificação e podem incluir erosões e crostas exsudativas.

  • As complicações incluem infecções secundárias, úlceras e sensibilidades de contato.

  • Elevação e compressão são frequentemente necessárias

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS