Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Síndrome de Tourette e outros distúrbios de tique em crianças e adolescentes

(Síndrome de Tourette)

Por

Margaret C. McBride

, MD, Northeast Ohio Medical University;


M. Cristina Victorio

, MD, Northeast Ohio Medical University

Última revisão/alteração completa nov 2018| Última modificação do conteúdo nov 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Tiques são movimentos involuntários rápidos, sem propósito, repetitivos, mas não rítmicos (tiques musculares ou motores) ou palavras e/ou sons involuntários, abruptos, frequentemente repetitivos (tiques vocais). Podem ser suprimidos, mas apenas por um curto período e somente com esforço consciente. A síndrome de Tourette é diagnosticada quando as pessoas têm tanto um tique motor como vocal por mais de um ano.

  • A compulsão de piscar, fazer caretas, movimentar a cabeça abruptamente, mover-se de alguma outra forma ou fazer sons é irresistível, e a ação é involuntária.

  • Os médicos baseiam o diagnóstico nos sintomas.

  • Muitos tiques desaparecem sozinhos, mas se forem problemáticos ou graves, o uso de terapia cognitivo-comportamental, clonidina ou medicamentos antipsicóticos pode ajudar.

A gravidade do tique pode variar amplamente. Uma em cada cinco crianças tem algum tipo de tique por um período de tempo. Muitos destes tiques são leves e frequentemente não são reconhecidos como um distúrbio pelos pais e médicos. A síndrome de Tourette é o distúrbio de tique mais grave e ocorre em menos de uma em cada 100 crianças. Os meninos têm três vezes mais propensão de ter tiques que as meninas.

O tique começa antes dos 18 anos de idade (normalmente entre os quatro e os seis anos de idade), aumenta em gravidade e atinge seu pico ao redor dos dez a doze anos de idade, diminuindo durante a adolescência. A maioria dos tiques acaba desaparecendo. Contudo, os tiques persistem até a idade adulta em aproximadamente 1% das crianças.

A criança com tiques pode ter outros distúrbios como:

Estes distúrbios frequentemente interferem mais com o desenvolvimento e o bem-estar das crianças que os tiques. Algumas vezes, os tiques aparecem inicialmente quando as crianças com TDAH são tratadas com um medicamento estimulante, como o metilfenidato. Estas crianças provavelmente têm uma tendência primária de desenvolver tiques.

Adolescentes (e adultos) com tiques também podem ter

Classificação

Existem três tipos principais de distúrbio de tique:

  • Distúrbio de tique provisório: as crianças tiveram tiques motores e/ou vocais por menos de um ano.

  • Distúrbio do tique persistente (transtorno do tique crônico): as crianças tiveram tiques motores ou vocais (mas não ambos) por mais de um ano.

  • Síndrome de Tourette: as crianças tiveram tanto tiques motores como vocais por mais de um ano.

Normalmente, as crianças começam com distúrbio de tique temporário e, às vezes, acabam desenvolvendo o distúrbio do tique persistente ou síndrome de Tourette.

Causas

A causa dos distúrbios de tique é desconhecida, mas os distúrbios de tique frequentemente ocorrem em famílias; assim, os médicos acreditam que a hereditariedade é um fator.

Algumas vezes, as pessoas com outro distúrbio, como a doença de Huntington ou uma infecção cerebral (encefalite), desenvolvem tiques. Os tiques podem também resultar do uso de certos medicamentos, como cocaína ou anfetaminas. Contudo, tiques causados por outros distúrbios ou por medicamentos não são considerados um distúrbio de tique.

Em crianças que têm ou tiveram infecção estreptocócica, os tiques e/ou sintoma de TOC às vezes têm início súbito ou se tornam drasticamente piores no prazo de um dia. Esses casos são chamados de doença pediátrica neuropsiquiátrica autoimune associada ao estreptococo (pediatric autoimmune neuropsychiatric disorder associated with streptococcus, PANDAS). Algumas pessoas acreditam que os anticorpos produzidos pelo organismo para combater as bactérias estreptocócicas podem causar tiques (ou TOC) ou fazer com que os tiques piorem. Contudo, a maioria dos pesquisadores acredita que não existe comprovação dessa conexão.

Sintomas

Antes de um tique ocorrer, a pessoa pode sentir uma compulsão em fazê-lo. Esta compulsão é semelhante à necessidade de espirar ou coçar-se. A tensão se acumula, geralmente, na parte afetada do corpo. Ceder à compulsão do tique oferece alívio breve.

Algumas vezes, o tique pode ser adiado por alguns segundos a minutos, mas apenas por meio de um esforço consciente e com dificuldade. Normalmente, a compulsão do tique acaba se tornando irresistível. Tentar controlar o tique é normalmente difícil, especialmente durante épocas de estresse emocional. Estresse e fadiga podem piorar os tiques. Contudo, os tiques com frequência também pioram quando o corpo está relaxado, por exemplo, ao assistir televisão. Chamar a atenção para um tique, principalmente em crianças, pode piorar. Normalmente, os tiques não ocorrem durante o sono e eles raramente interferem com a coordenação. Os tiques podem melhorar quando as pessoas estão se concentrando em uma tarefa, como atividades escolares ou de trabalho, ou quando as pessoas estão em um local desconhecido.

As pessoas com tiques graves, particularmente com síndrome de Tourette, podem ter dificuldades funcionais e sentir bastante ansiedade em situações sociais. Antigamente, evitava-se e isolava-se esse tipo de indivíduos, até mesmo acreditando-se que estavam possuídos pelo demônio. Elas podem se tornar impulsivas e agressivas e comportar-se de maneira autodestruidora.

As crianças com distúrbios de tique graves ou síndrome de Tourette têm mais propensão a ter outro distúrbio, como TOC, TDAH e/ou problemas de aprendizagem. Esses problemas parecem ser o resultado de anomalias cerebrais que causam os tiques e a síndrome de Tourette. Contudo, quando um distúrbio de tique é grave, os estresses extraordinários de viver com o distúrbio podem fazer com que esses problemas fiquem piores.

Os tiques tendem a ser parecidos em um determinado momento, mas eles variam quanto ao tipo, intensidade e frequência com o passar do tempo. Algumas vezes, eles começam de maneira súbita e drástica. Eles podem ocorrer várias vezes por hora, e depois quase desaparecer por muitos meses.

Tipos de tique

Os tiques podem ser

  • Simples ou complexos

  • Motores ou vocais

Os tiques simples são extremamente breves. Eles podem começar na forma de maneirismos nervosos.

Os tiques complexos duram mais tempo e podem combinar vários tiques simples. Em alguns tiques complexos, as pessoas podem gritar obscenidades ou palavras relacionadas a fezes (chamada de coprolalia). Embora a coprolalia seja uma característica bem conhecida da síndrome de Tourette, pelo menos 85% das pessoas portadoras não a têm. Tiques complexos podem parecer propositados, como no caso da coprolalia ou quando a pessoa repete as palavras ou movimentos alheios, mas eles não são intencionais.

Tabela
icon

Tipos de tique

Classificação

Motor

Vocal

Simples

Piscar

Fazer caretas

Movimentar bruscamente a cabeça

Encolher os ombros

Grunhir ou latir

Fungar ou bufar

Limpar a garganta

Complexas

Combinação de tiques simples (por exemplo, virar a cabeça e encolher o ombro)

Copropraxia: Usar gestos sexuais ou obscenos

Ecopraxia: Imitar os movimentos alheios

Coprolalia: Dizer palavras socialmente inadequadas (como obscenidades ou declarações racistas)

Ecolalia: Repetir os sons ou palavras próprios ou alheios

Você sabia que...

  • A maioria das pessoas com síndrome de Tourette não gritam obscenidades aleatoriamente.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

O diagnóstico precoce de um distúrbio de tique ajuda os pais a entender que os tiques que seus filhos estão tendo não são intencionais e que os castigos não fazem os tiques cessar e podem até mesmo piorá-los.

O diagnóstico se baseia nos sintomas e na sua duração.

Para diferenciar a síndrome de Tourette de outros distúrbios de tique, o médico pode precisar avaliar a criança periodicamente por um tempo.

Os médicos também verificam se as crianças têm distúrbios que frequentemente acompanham os tiques, como TDAH e TOC.

Tratamento

  • Tranquilização e apoio

  • Terapia cognitivo-comportamental

  • Medicamentos

Se os sintomas forem leves, com frequência a melhor coisa é tranquilizar a criança e prestar a menor atenção possível ao tique até que ele desapareça por si mesmo. O tratamento muitas vezes pode ser evitado se a família compreender o transtorno, e se o transtorno for explicado e compreendido pelos professores e colegas de escola da criança.

Terapia cognitivo-comportamental

A terapia cognitivo-comportamental pode ajudar algumas crianças mais velhas a controlar seus tiques.

Um tipo de terapia cognitivo-comportamental denominado intervenção comportamental abrangente para tiques (CBIT), inclui:

  • Técnicas cognitivo-comportamentais (por exemplo, treinamento para reversão de hábito)

  • Educação sobre os tiques

  • Técnicas de relaxamento

O treinamento para reversão de hábito envolve ensinar à criança novos comportamentos para substituir os tiques. Por exemplo, se o tique envolver dar de ombros, ela pode ser ensinada a manter os braços esticados até a vontade de dar de ombros passar.

A educação pode envolver ensinar a criança (e os pais) a identificar situações em que os tiques ocorrem ou se tornam piores.

Medicamentos

Os medicamentos para parar os tiques são recomendados apenas se o tique persistir e estiver interferindo com as atividades ou a autoimagem da criança. É usada a dose mais baixa necessária para tornar os tiques toleráveis e elas são diminuídas conforme os tiques diminuem.

A clonidina é um medicamento que pode ocasionalmente ajudar. Ela pode também ajudar a controlar a ansiedade e a hiperatividade que podem acompanhar um distúrbio de tique. Contudo, a clonidina pode causar sonolência, o que pode interferir com as atividades diurnas da criança. Embora a clonidina seja também usada para tratar hipertensão arterial, ela raramente causa pressão arterial baixa em crianças. Contudo, depois que a criança tiver tomado clonidina por um tempo, interromper sua administração subitamente pode causar um aumento temporário na pressão arterial.

Medicamentos antipsicóticos podem ser eficazes no caso de tiques graves, mesmo que a psicose não seja a causa dos tiques. Medicamentos eficazes incluem risperidona, haloperidol, pimozida e olanzapina. Efeitos colaterais incluem agitação, rigidez muscular, sintomas similares aos da doença de Parkinson (parkinsonismo) e discinesia tardia, que compreende movimentos involuntários lentos e repetitivos. Contudo, estes efeitos colaterais são incomuns porque as doses usadas para tratar tiques são baixas.

Tratamento de outros problemas

As crianças que têm tiques e que estão tendo dificuldades na escola devem ser avaliadas para ver se têm distúrbios de aprendizagem e receber a assistência necessária.

Se as características obsessivas ou compulsivas forem incômodas, um medicamento, como um inibidor seletivo de recaptação da serotonina (ISRS), que é um antidepressivo, pode ser útil.

O tratamento do TDAH pode ser difícil, porque os medicamentos estimulantes normalmente usados para tratá-lo podem piorar os tiques. Às vezes, baixas doses destes medicamentos podem tratar eficazmente o TDAH sem piorar os tiques, ou um medicamento que não é um estimulante pode ser utilizado para tratar o TDAH.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Amamentação
Vídeo
Amamentação
O seio externo é formado pelo mamilo e pela aréola. A ponta do mamilo contém diversos orifícios...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS