Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre distúrbios de mama

Por

Mary Ann Kosir

, MD, Wayne State University School of Medicine

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os distúrbios de mama podem ser não cancerosos (benignos) ou cancerosos (malignos). A maioria é não cancerosa e não fatal. Muitas vezes, não precisam de tratamento. Por outro lado, o câncer de mama pode significar a perda de uma mama ou da vida. Assim, para muitas mulheres, o câncer de mama é seu maior medo. No entanto, com frequência, possíveis problemas podem ser detectados precocemente quando a mulher realiza regularmente o autoexame das mamas, é examinada regularmente pelo médico e realiza mamografias conforme recomendado. A detecção precoce do câncer de mama pode ser essencial para o sucesso do tratamento.

Sintomas

Os sintomas relacionados à mama são comuns. Eles são o motivo de mais de 15 milhões de consultas ao médico todos os anos. Estes sintomas incluem

Dentro do mamilo

A mama da mulher é composta por glândulas produtoras de leite (lóbulos) cercadas por tecido adiposo e por tecido conjuntivo. O leite produzido pelas glândulas flui através dos dutos até o mamilo. Ao redor do mamilo, há uma área de pele pigmentada chamada de aréola.

Dentro do mamilo

Os sintomas da mama não significam necessariamente que a mulher tenha câncer de mama ou outra doença grave. Por exemplo, a sensibilidade mamária mensal relacionada a alterações hormonais antes da menstruação não indica um distúrbio grave.

No entanto, a mulher deve consultar um médico se observar qualquer alteração na mama, especialmente uma das alterações a seguir:

  • Um nódulo com textura claramente diferente do outro tecido mamário

  • Um nódulo preso na pele ou na parede torácica

  • Um nódulo que não desaparece

  • Inchaço que não desaparece

  • A pele da mama tem aspecto de casca de laranja ou está enrugada, avermelhada, espessada ou tem covinhas

  • Pele escamosa ao redor do mamilo

  • Alterações no formato da mama

  • Alterações no mamilo como, por exemplo, estar repuxado para dentro

  • Secreção do mamilo, especialmente se ela for sanguinolenta e/ou ocorrer espontaneamente (ou seja, sem que o mamilo seja apertado ou estimulado por outros meios)

Tabela
icon

Sintomas comuns da mama

Sintoma

Causas

Comentários

Alterações hormonais relacionadas à menstruação, gravidez ou o uso de medicamentos hormonais

Mamas volumosas que alongam os tecidos de suporte

Muito raramente, câncer de mama

Dor que ocorre nas duas mamas é normalmente causada por alterações hormonais relacionadas à menstruação.

Infecções de mama, incluindo abscessos*

Cistos

Alterações fibrocísticas

Galactocele (duto de leite bloqueado)

Tecido cicatricial que se desenvolve depois de uma lesão

Câncer de mama

Nódulos nas mamas são relativamente comuns e, geralmente, não são cancerosos.

Uma vez que é difícil distinguir nódulos não cancerosos de cancerosos durante um exame físico, geralmente são feitos exames.

Mais comumente, tumores não cancerosos no duto de leite (papiloma intradutal)

Câncer de mama

Infecções de mama, incluindo abscessos*

Alterações fibrocísticas

Outros distúrbios, como distúrbios hipofisários, cerebrais ou da tireoide

Alguns tipos de medicamento (consulte a tabela Algumas causas e características de secreção no mamilo)

Às vezes, uma secreção do mamilo ocorre normalmente; por exemplo, durante a produção de leite após o parto.

Secreções anômalas têm aparências variadas, dependendo da causa.

* As infecções da mama são muito raras, salvo durante as primeiras semanas após o parto.

Avaliação

O médico pergunta à mulher quais sintomas ela está tendo e pede outras informações relacionadas a causas possíveis, incluindo

  • Quais são os sintomas

  • Há quanto tempo a mulher vem tendo os sintomas

  • Se os sintomas ocorrem em certas épocas do mês (relacionados ao ciclo menstrual)

  • Se ela está grávida

  • Quais medicamentos ela está tomando

  • Se ela ou algum familiar teve câncer de mama

  • Quando foi a última vez que ela fez uma mamografia e quais foram os resultados

Exame da mama

Em seguida, o médico faz o exame da mama. Com a mulher sentada ou deitada, o médico inspeciona as mamas para detectar irregularidades no formato, mamilos voltados para dentro (mamilo invertido) e nódulos. O médico também verifica se existem covinhas, espessamento, vermelhidão ou estiramento da pele sobre a mama. Os mamilos são apertados para verificar se existe secreção. As axilas são examinadas para ver se existem linfonodos aumentados.

O médico pode examinar a mama e as axilas com a mulher em posições diferentes. Por exemplo, em uma posição sentada, o médico pode pedir a ela para pressionar uma palma da mão contra a outra na frente da testa. Esta posição faz com que os músculos do tórax se contraiam e fazem com que as alterações sutis na mama fiquem mais perceptíveis.

O médico pode avaliar a técnica de autoexame da mama com a mulher durante o exame. As técnicas usadas para o exame médico e para o autoexame são similares.

Como fazer um autoexame da mama

1. Na frente de um espelho, olhe para as mamas. As mamas normalmente têm tamanhos ligeiramente diferentes. Veja se há alterações na diferença de tamanho entre as mamas e alterações no mamilo, por exemplo, estar voltado para dentro (um mamilo invertido) ou uma secreção. Veja se há rugas ou covinhas.

Como fazer um autoexame da mama

2. Observando de perto no espelho, aperte as mãos atrás da cabeça e pressione-as contra a cabeça. Essa posição ajuda a deixar as mudanças sutis causadas pelo câncer mais perceptíveis. Veja se há mudanças na forma e contorno das mamas, especialmente na parte inferior.

Como fazer um autoexame da mama

3. Coloque as mãos firmemente sobre o quadril e incline-se ligeiramente em direção ao espelho, apertando os ombros e cotovelos para frente. Mais uma vez, veja se há alterações de forma e contorno.

Como fazer um autoexame da mama

Muitas mulheres fazem a próxima parte do exame no chuveiro porque a mão se move facilmente sobre a pele molhada e escorregadia.

Como fazer um autoexame da mama

4. Levante o braço esquerdo. Usando três ou quatro dedos da mão direita, sonde a mama esquerda completamente com a parte plana dos dedos. Movendo os dedos em pequenos círculos ao redor da mama, comece no mamilo e mova-se gradualmente para fora. Pressione suavemente, mas com firmeza, tentando sentir se há algum nódulo ou massa incomum sob a pele. Apalpe toda a mama. Além disso, apalpe com cuidado a axila e a região entre a mama e a axila para ver se há nódulos.

Como fazer um autoexame da mama

5. Aperte o mamilo esquerdo delicadamente e veja se há secreção. (Consulte um médico se uma secreção aparecer em qualquer momento do mês, independentemente de isso acontecer ou não durante o autoexame da mama.)

Repita os passos 4 e 5 para a mama direita, levantando o braço direito e usando a mão esquerda.

6. Deite-se de costas com um travesseiro ou uma toalha dobrada sob o ombro esquerdo e com o braço esquerdo por cima da cabeça. Essa posição achata a mama e facilita o exame. Examine a mama como nas etapas 4 e 5. Repita o procedimento para a mama direita.

Como fazer um autoexame da mama

A mulher que optar por examinar as mamas deve fazê-lo sempre na mesma época do mês. No caso de mulheres que ainda menstruam, dois ou três dias após o fim da menstruação é um bom momento, porque as mamas estão menos propensas a estarem sensíveis e inchadas. Mulheres na pós-menopausa podem escolher qualquer dia do mês que seja fácil de lembrar, como o primeiro.

Adaptado de uma publicação do Instituto Nacional do Câncer.

Exames

Os exames de imagem são utilizados para

  • Verificar a existência de anomalias na mama, antes mesmo de elas serem percebidas (denominado exame preventivo do câncer de mama)

  • Avaliar as anomalias que foram de fato identificadas como, por exemplo, um nódulo na mama que foi encontrado durante o exame do médico

A mamografia envolve tirar radiografias das duas mamas para verificar se existem anomalias. Uma dose baixa de radiação é usada. Apenas entre 10% a 15% das anomalias detectadas pela mamografia são oriundas de câncer. A mamografia é mais exata em mulheres mais velhas, porque conforme as mulheres envelhecem, a quantidade de tecido adiposo aumenta e é mais fácil diferenciar tecido anômalo do tecido adiposo que de outros tipos de tecido mamário.

Os especialistas concordam que todas as mulheres devem fazer exames preventivos para o câncer de mama. Contudo, os especialistas não conseguem chegar a um consenso em relação a

  • Quando ela deve ser iniciada

  • Com que frequência ela deve ser realizada

  • Quando (ou se) ela deve ser interrompida

A mamografia preventiva costuma ser recomendada para todas as mulheres a partir dos 50 anos de idade, mas alguns especialistas recomendam iniciá-la já aos 40 ou 45 anos (consulte a nota lateral Câncer de mama: Quando iniciar os exames preventivos?). Depois disso, a mamografia é realizada a cada um ou dois anos. As recomendações dos especialistas são diferentes em relação a quando a mamografia de rotina deve ser iniciada, porque o benefício desse exame preventivo não é tão evidente para mulheres entre 40 e 49 anos de idade. A mamografia de rotina pode ser interrompida aos 75 anos de idade, dependendo da expectativa de vida da mulher e se ela deseja ou não dar continuidade ao exame preventivo.

A mamografia pode ser utilizada para:

  • Fornecer imagens de eventuais anomalias (por exemplo, um tumor ou um abscesso) e dos tecidos ao redor da anomalia

  • Fornecer imagens dos linfonodos para verificar se há anomalias presentes

  • Ajudar o médico a inserir uma agulha de biópsia no tecido anômalo

  • Após a cirurgia, ajudar o médico a determinar se todo o câncer foi removido

A mamografia também pode ser feita se a mulher ou o médico encontram um nódulo durante o exame das mamas ou se a mulher tem dor na mama ou secreção do mamilo.

A ultrassonografia pode ser utilizada para:

  • Ajudar a diagnosticar anomalias na mama

  • Fornecer mais informações sobre as anomalias detectadas pela mamografia, por exemplo, a ultrassonografia consegue mostrar se os nódulos são sólidos ou preenchidos com líquido (nódulos preenchidos com líquido, denominados cistos, raramente são malignos)

  • Ajudar o médico a inserir uma agulha de biópsia no tecido anômalo

  • Identificar linfonodos anômalos que podem precisar de biópsia

A ressonância magnética (RM) pode ser utilizada para:

  • Diagnosticar anomalias na mama, sobretudo em mulheres com tecido mamário denso ou com uma mutação genética que aumente o risco de câncer de mama (um gene BRCA)

  • Depois de o câncer de mama ter sido diagnosticado, determinar o tamanho e o número de tumores

  • Identificar linfonodos anômalos e, assim, ajudar a definir o estádio do câncer de mama

Essas informações podem ajudar o médico a planejar cirurgia ou outros tratamentos para o câncer de mama.

Uma RM é realizada juntamente com uma mamografia para determinar se a mulher tem maior risco de câncer de mama; por exemplo, se ela tiver uma mutação no gene para o câncer de mama.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Amostras de vilosidades coriônicas
Vídeo
Amostras de vilosidades coriônicas
Durante a gravidez, o útero da mulher abriga e protege o feto em desenvolvimento por cerca...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Síndrome do Ovário Policístico
Modelo 3D
Síndrome do Ovário Policístico

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS