Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Catapora

(Varicella)

Por

Kenneth M. Kaye

, MD, Brigham and Women’s Hospital, Harvard Medical School

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A catapora é uma infecção viral altamente contagiosa pelo vírus da varicela zóster, que causa uma erupção cutânea característica com coceira, sob a forma de vesículas pequenas e elevadas, bolhas ou crostas.

  • A catapora afeta na maioria das vezes as crianças, mas a vacina diminuiu consideravelmente o número de casos.

  • Antes de a erupção cutânea aparecer, as crianças têm dor de cabeça leve, febre moderada, perda de apetite e sensação geral de mal-estar.

  • O diagnóstico se baseia nos sintomas, especialmente na erupção cutânea.

  • A maioria das crianças se recupera completamente, ainda que algumas crianças fiquem muito doentes e possam até morrer.

  • A vacinação rotineira pode prevenir a catapora.

  • Em geral, somente os sintomas precisam ser tratados.

A catapora é uma infecção que afeta principalmente crianças. Ela é causada pelo vírus varicela zóster, que é um tipo de herpesvírus (herpesvírus tipo 3).

Antes da introdução de uma vacina em 1995, cerca de 90% das crianças desenvolviam catapora até os 15 anos de idade. Atualmente, o uso da vacina diminuiu o número de casos anuais de catapora em aproximadamente 90%. Entretanto, em alguns países, a vacina não está disponível ou não foi incluída como uma vacina infantil recomendada rotineiramente.

Uma pessoa com catapora é contagiosa a partir de dois dias antes do surgimento da erupção cutânea e permanece contagiosa até as últimas bolhas terem formado crosta.

Em crianças com o sistema imunológico normal, a catapora raramente é grave. A maioria das pessoas com catapora simplesmente tem ulcerações na pele e na boca. Entretanto, às vezes o vírus infecta os pulmões, o cérebro, o coração ou o fígado. Essas infecções sérias são mais comuns entre recém-nascidos, adultos e pessoas com um sistema imunológico enfraquecido (como as que têm infecção por HIV ou que estão tomando medicamentos que suprimem o sistema imunológico ou altas doses de corticosteroides).

Uma pessoa que teve catapora desenvolve imunidade e não pode contraí-la de novo. No entanto, o vírus da varicela zóster permanece inativo (dormente) no corpo depois de uma infecção inicial por catapora e, por vezes, é reativado mais tarde e provoca cobreiro. Há uma vacina contra cobreiro (herpes zóster) disponível para adultos mais velhos. Esta vacina pode reduzir o risco de desenvolver herpes zóster em uma fase posterior da vida.

Transmissão da catapora

A catapora dissemina-se das seguintes formas:

  • Por gotículas transportadas pelo ar que contêm o vírus varicela zóster.

  • Por contato com a erupção cutânea causada por catapora ou cobreiro

  • De uma gestante para o feto

Sintomas

Os sintomas de catapora começam entre 7 e 21 dias depois de ocorrer a infecção. Eles incluem

  • Dor de cabeça leve

  • Febre moderada

  • Perda de apetite

  • Uma sensação de mal-estar geral

Muitas vezes, as crianças menores não apresentam esses sintomas, mas a sintomatologia é frequentemente grave nos adultos.

Cerca de 24 a 36 horas depois do aparecimento dos primeiros sintomas, surge uma erupção cutânea formada por pequenas lesões planas e de cor vermelha. Essas lesões começam, geralmente, no tronco e na face, e surgem mais tarde nos braços e nas pernas. Algumas pessoas apresentam somente algumas lesões. Outras podem tê-las quase por todo o corpo, incluindo o escalpo e dentro da boca.

Dentro de seis a oito horas, cada mancha se torna saliente. Ela forma bolhas redondas, pruriginosas e cheias de líquido sobre um fundo vermelho. Por fim, essas lesões formam crostas. As lesões continuam seu desenvolvimento e a transformação em crostas dura vários dias. A característica mais peculiar da catapora é que as erupções cutâneas se manifestam em diversos estágios; assim, as manchas aparecem em várias formas de desenvolvimento em qualquer área afetada. Muito raramente, essas manchas são infectadas por bactérias, o que pode causar uma infecção cutânea grave (celulite ou fasciite necrosante).

Novas lesões em geral param de surgir por volta do quinto dia. A maioria delas formou crosta até o sexto dia e desaparece em menos de 20 dias.

Às vezes crianças que foram vacinadas desenvolvem catapora. Nessas crianças, a erupção cutânea é normalmente mais leve, a febre menos comum e a doença mais breve. Contudo, o contato com as feridas pode transmitir a infecção.

As bolhas na boca se rompem rapidamente e formam feridas (úlceras), que muitas vezes causam dor durante a deglutição. As feridas também podem surgir nas pálpebras e nas vias respiratórias superiores, no reto e na vagina. A pior fase da doença dura, normalmente, entre quatro e sete dias.

Complicações

O risco de complicações da catapora é maior em recém-nascidos, adultos e em pessoas que têm o sistema imunológico debilitado ou certos distúrbios.

A infecção pulmonar (pneumonia) ocorre em cerca de um em cada 400 adultos, resultando em tosse e dificuldade respiratória. Em casos raros desenvolve-se pneumonia em crianças pequenas cujo sistema imunológico é normal.

Infecção cerebral (encefalite) é menos frequente e causa instabilidade ao caminhar, dor de cabeça, tontura, confusão e convulsões. Em adultos, a encefalite pode representar risco à vida. Ela ocorre em um a dois em cada 1.000 casos de catapora.

Inflamação do fígado e problemas de sangramento também podem ocorrer.

A síndrome de Reye é uma complicação rara, mas muito grave, que ocorre quase somente nos indivíduos com menos de 18 anos após o uso de aspirina. Portanto, a aspirina não deve ser administrada a crianças com catapora. A síndrome de Reye pode começar de três a oito dias após o início da erupção cutânea.

Mulheres grávidas que contraem varicela correm o risco de complicações sérias, como pneumonia, e podem morrer em consequência. A catapora também pode ser transmitida ao feto, sobretudo se ela surgir durante primeiro ou no início do segundo trimestre. Essa infecção pode resultar em cicatrizes na pele, defeitos congênitos e baixo peso ao nascer.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Raramente, exames de sangue e análise de uma amostra coletada de uma ferida.

Um médico em geral tem certeza do diagnóstico de catapora porque as erupções cutâneas e os outros sintomas são muito típicos.

Raramente são necessários exames de sangue para medir os níveis de anticorpos no sangue e exames laboratoriais para identificar o vírus (geralmente usando uma amostra raspada das feridas). (Os anticorpos são produzidos pelo sistema imunológico para ajudar a defender o corpo contra um agressor específico, incluindo o vírus varicela zóster).

Prognóstico

Crianças saudáveis quase sempre se recuperam da catapora sem problemas. Antes da imunização de rotina, cerca quatro milhões de pessoas desenvolviam catapora anualmente nos Estados Unidos e cerca de 100 a 150 delas morriam todos os anos devido às complicações da catapora.

Nos adultos, a catapora é mais grave, e o risco de morte é maior.

A catapora é particularmente grave em pessoas com o sistema imunológico debilitado.

Quando pessoas que foram vacinadas desenvolvem catapora, a doença é menos grave, e menos dessas pessoas morrem.

Prevenção

  • Vacinação

  • Algumas vezes imunoglobulinas

Vacinação

A vacina contra varicela contém vírus da varicela vivos enfraquecidos. Há três formulações da vacina nos Estados Unidos:

  • Vacina contra varicela na dose padrão

  • Combinação de vacina contra sarampo-caxumba-rubéola-varicela (measles-mumps-rubella-varicella, MMRV)

  • Vacina em dose mais elevada para prevenção contra herpes zóster (consulte vacina contra herpes zóster

Nos Estados Unidos, as crianças são vacinadas rotineiramente contra varicela zóster. Elas recebem duas doses: uma entre 12 e 15 meses de idade, com a segunda administrada entre 4 e 6 anos de idade ( Vacinações de rotina para bebês, crianças e adolescentes).

Crianças mais velhas e adultos (principalmente mulheres em idade fértil e adultos com distúrbios crônicos) que não tiveram catapora e não foram vacinados também podem ser vacinados. Eles recebem duas doses separadas por um intervalo de quatro a oito semanas.

Certas pessoas não devem ser vacinadas:

  • Pessoas com um sistema imunológico enfraquecido, incluindo as que estão tomando doses altas de corticosteroides.

  • Crianças que tomam aspirina regularmente

  • Mulheres grávidas e as que pretendem engravidar dentro de um a três meses da vacinação

  • Pessoas que estão mais que ligeiramente doentes por ocasião da vacinação

Prevenção da disseminação da catapora

O isolamento de uma pessoa infectada previne a disseminação da infecção a outras pessoas que ainda não contraíram a catapora. As crianças não devem voltar à escola e os adultos não devem retornar ao trabalho até as últimas bolhas terem formado crosta.

Após exposição à catapora

Pessoas suscetíveis com risco elevado de complicações e que foram expostas a alguém com catapora podem receber anticorpos contra o vírus da varicela (imunoglobulina para varicela zóster). Essas pessoas incluem

  • As que têm leucemia ou o sistema imunológico debilitado

  • Mulheres grávidas que não tiveram catapora ou não tomaram a vacina

  • Recém-nascidos cujas mães desenvolveram catapora cinco dias antes ou dois dias depois do parto.

O tratamento com imunoglobulina para varicela zóster pode prevenir a infecção ou reduzir sua gravidade.

Se pessoas saudáveis tiverem sido expostas à catapora e ainda não tiverem sido vacinadas, a vacinação em até três a cinco dias da exposição pode ajudar a prevenir a catapora ou reduzir sua gravidade.

Tratamento

  • Para pessoas com casos leves, medidas para aliviar os sintomas

  • Para pessoas em risco de sintomas moderados a graves, medicamentos antivirais

Os casos leves de catapora em crianças requerem somente tratamento dos sintomas. Compressas úmidas sobre a pele ajudam a aliviar a coceira, que pode ser intensa, e impedem que a pessoa se coce e espalhe a infecção, o que poderia causar a formação de cicatrizes. Devido ao risco de infecção bacteriana, a pele é lavada frequentemente com água e sabão, as mãos são mantidas limpas, as unhas são cortadas para minimizar a possibilidade de arranhões e as roupas são mantidas limpas e secas. Se a coceira for intensa, medicamentos que aliviam a coceira, como anti-histamínicos, podem ser administrados por via oral. Tomar banhos de aveia coloidal também pode ajudar.

Caso uma infecção bacteriana se desenvolva, antibióticos podem ser necessários.

Os médicos geralmente prescrevem medicamentos antivirais, como aciclovir, valaciclovir e fanciclovir (consulte a tabela Alguns medicamentos antivirais para infecções por herpesvírus), por via oral, para certas pessoas saudáveis em risco de doença moderada a grave, incluindo pessoas

  • Com 12 anos de idade ou mais 

  • Com distúrbios da pele, tais como eczema

  • Com doença pulmonar crônica

Para pessoas com mais de 1 ano de idade que têm o sistema imunológico enfraquecido, os médicos podem prescrever aciclovir administrado por via intravenosa (IV).

Os medicamentos antivirais podem reduzir a gravidade e a duração dos sintomas e devem ser administrados dentro de 24 horas do início da doença, se possível.

Como mulheres grávidas têm alto risco de complicações graves decorrentes da catapora, alguns especialistas recomendam tratar gestantes que contraíram catapora com aciclovir ou valaciclovir.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS