Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Infecções por clamídia

Por

Margaret R. Hammerschlag

, MD, State University of New York Downstate Medical Center

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Chlamydia é uma bactéria que causa doença em seres humanos, incluindo doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), e infecções nos olhos e no trato respiratório.

Três espécies de Chlamydia causam doença em seres humanos. Elas são

  • Chlamydia trachomatis

  • Chlamydia pneumoniae

  • Chlamydia psittaci

Chlamydia trachomatis

A C. trachomatis pode causar infecções em muitos órgãos do corpo como a uretra, o colo do útero e o reto. Ela se dissemina sobretudo sexualmente entre adultos e também pode ser transmitida de mulheres grávidas para seus bebês. (Consulte também Infecção por clamídia e outras infecções).

C. trachomatis é a causa bacteriana mais comum de doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) nos Estados Unidos. DSTs são infecções transmitidas de pessoa para pessoa por contato sexual.

Quando transmitida pelo contato sexual, a C. trachomatis pode causar as seguintes infecções:

Uma mulher grávida infectada por C. trachomatis pode transmitir a infecção ao bebê durante o parto, o que pode causar uma infecção ocular (conjuntivite) ou infecção pulmonar (pneumonia) no recém-nascido. Para prevenir essas infecções em recém-nascidos, é feita a triagem pré-natal universal e o tratamento de mulheres grávidas. Essas medidas têm reduzido expressivamente a incidência de conjuntivite e pneumonia de recém-nascidos nos Estados Unidos.

Certas cepas de C. trachomatis causam uma infecção ocular chamada tracoma. O tracoma é uma infecção prolongada da conjuntiva do olho e é a principal causa evitável de cegueira no mundo, sobretudo na África subsaariana. O tracoma é muito raro nos Estados Unidos. O distúrbio ocorre principalmente em crianças, quase sempre entre os 3 e os 6 anos de idade. As pessoas contraem a infecção ao entrar em contato com a secreção dos olhos ou nariz de uma pessoa infectada, por exemplo, através do contato com as mãos, roupas ou toalhas contaminadas. Além disso, os insetos podem disseminar a doença.

Chlamydia pneumoniae

A C. pneumoniae pode causar infecção pulmonar (pneumonia). A C. pneumoniae é transmitida de pessoa a pessoa quando pessoas com a infecção tossem ou espirram enquanto em contato próximo com outras que, por sua vez, inspiram gotículas que contêm as bactérias.

Muitos casos de pneumonia que se desenvolvem fora dos hospitais podem ser causados por C. pneumoniae. A infecção por C. pneumoniae representa um risco particular para pessoas em casas de repouso, escolas, acampamentos militares, prisões e outras populações em ambientes fechados. A C. pneumoniae também pode ser um gatilho da doença reativa das vias respiratórias (um diagnóstico que os médicos estabelecem quando suspeitam que uma pessoa apresenta asma mas ainda não a confirmaram).

Chlamydia psittaci

C. psittaci causa psitacose, que é um tipo pouco frequente de pneumonia. A C. psittaci está presente em aves, incluindo pássaros de estimação, como papagaios e calopsitas, e em aves de criação, como perus ou patos. As pessoas contraem a infecção ao inalar poeira dos resíduos de aves infectadas. Houve surtos entre trabalhadores que manipulam perus e patos em unidades de processamento de aves.

Sintomas

Os sintomas de uma infecção por clamídia variam dependendo da espécie que está causando a infecção.

Chlamydia trachomatis

A maioria das pessoas com uma infecção sexualmente transmissível por clamídia, especialmente as mulheres, não manifesta sintomas. Quando os sintomas estão presentes, eles variam por sexo e localização da infecção:

  • As mulheres podem ter uma secreção vaginal anormal ou uma sensação de queimação ao urinar.

  • Os homens também podem notar uma sensação de queimação ao urinar. Além disso, pode haver uma secreção do pênis ou inchaço e dor em um ou ambos os testículos.

  • Homens e mulheres com uma infecção retal podem apresentar dor, secreção e/ou sangramento retais.

Chlamydia pneumoniae

As pessoas que têm infecções respiratórias causadas por C. pneumoniae podem apresentar rouquidão e dor de garganta antes de desenvolverem tosse.

Chlamydia psittaci

As pessoas infectadas por C. psittaci podem apresentar febre, cefaleia intensa e tosse.

Complicações das infecções por clamídia

Uma infecção sexualmente transmissível não diagnosticada por clamídia em mulheres pode causar doença inflamatória pélvica, que pode causar danos graves e permanentes no sistema reprodutor da mulher. Este dano pode resultar em infertilidade ou em uma gravidez ectópica (que ocorre fora do útero, geralmente em uma das tubas uterinas) com risco à vida.

Diagnóstico

  • Para C. trachomatis e C. pneumoniae, testes de amplificação de ácido nucleico

  • Por C. psittaci, exames de sangue

A C. trachomatis é mais bem identificada por testes de amplificação de ácido nucleico (nucleic acid amplification tests, NAATs) realizados na urina e em esfregaços vaginais. Os NAATs procuram detectar o material genético exclusivo de um organismo, seu DNA ou RNA (que são ácidos nucleicos). Os NAATs utilizam um processo que aumenta a quantidade de DNA ou RNA das bactérias para que elas possam ser mais facilmente identificadas.

A C. pneumoniae é diagnosticada pela realização de NAATs ou coleta de esfregaços da parte posterior da garganta e cultivo do organismo em cultura de células em um laboratório.

Suspeita-se de C. psittaci principalmente em pessoas que tiveram contato próximo com aves, geralmente papagaios ou periquitos. Os médicos confirmam o diagnóstico fazendo exames de sangue para detectar anticorpos, embora estejam sendo desenvolvidos NAATs.

Triagem

Como a infecção genital por clamídia é muito comum e como muitas mulheres infectadas manifestam apenas sintomas leves ou nenhum sintoma, são recomendados testes para triagem de infecção por clamídia e outras DSTs para certas mulheres e homens sexualmente ativos.

As mulheres que não estão grávidas (incluindo as mulheres que têm relações sexuais com mulheres) realizam a triagem uma vez ao ano se apresentarem os seguintes fatores de risco:

  • Sexualmente ativas e com menos de 25 anos

  • DST anterior

  • Participação em comportamento sexual de alto risco (por exemplo, têm um novo parceiro sexual ou múltiplos parceiros sexuais ou se envolvem em trabalho com sexo)

  • Um parceiro que tem uma DST ou participa de comportamento sexual de alto risco

Mulheres grávidas são triadas durante sua primeira visita pré-natal. Mulheres grávidas com menos de 25 anos de idade ou que apresentam fatores de risco são examinadas novamente durante o 3º trimestre.

Homens podem ser triados se seu risco de uma infecção por clamídia estiver aumentado – por exemplo, se tiverem relações sexuais com homens, forem pacientes em uma clínica para adolescentes ou DSTs ou quando são admitidos em uma instituição correcional.

Homens que têm relações sexuais com homens são examinadas pelo menos uma vez por ano e com mais frequência se tiverem infecção por HIV ou fatores de risco, tais como múltiplos parceiros.

Prevenção

A triagem e o tratamento de mulheres grávidas é a maneira mais eficaz de prevenir a transmissão de C. trachomatis para recém-nascidos.

Práticas sexuais seguras são recomendadas para reduzir o risco de infecção.

Tratamento

  • Antibióticos

As infecções por clamídia são tratadas com antibióticos como azitromicina, doxiciclina ou, para algumas espécies, levofloxacino.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Medicamentos antivirais
Vídeo
Medicamentos antivirais
Os vírus são agentes infecciosos que entram e se replicam em células saudáveis. Para que os...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tuberculose: Macrófago alveolar infectado
Modelo 3D
Tuberculose: Macrófago alveolar infectado

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS