Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Doença de Lyme

Por

Larry M. Bush

, MD, FACP, Charles E. Schmidt College of Medicine, Florida Atlantic University

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A doença de Lyme é uma infecção transmitida por carrapatos causada por espécies de Borrelia, principalmente Borrelia burgdorferi nos Estados Unidos, que são bactérias em forma de espiral chamadas espiroquetas (veja a figura Como as bactérias tomam forma).

  • A maioria das pessoas são infectadas quando saem para áreas florestais onde a doença de Lyme é comum e são mordidas por carrapatos infectados pela bactéria Borrelia burgdorferi.

  • Geralmente aparece uma grande mancha vermelha no local da mordida, que aumenta lentamente, muitas vezes rodeada por vários anéis vermelhos.

  • A doença de Lyme não tratada pode causar febre, dores musculares, articulações inchadas, anormalidades do sistema de condução elétrica do coração e, por fim, problemas relacionados ao mau funcionamento do cérebro e dos nervos.

  • O diagnóstico é baseado na erupção cutânea e nos sintomas típicos, na oportunidade de exposição a carrapatos e nos exames de sangue para detectar anticorpos contra a bactéria.

  • Tomar antibióticos geralmente cura a doença, mas alguns sintomas, como dor nas articulações, podem persistir.

A doença de Lyme foi descoberta em 1976 e foi-lhe atribuído esse nome por causa da existência de muitos casos na cidade de Lyme, em Connecticut, nos Estados Unidos. Ela é, atualmente, a infecção transmitida por carrapatos mais comum nos Estados Unidos. Ela ocorre em 49 estados. Mais de 90% dos casos ocorrem ao longo da costa nordeste do Maine até a Virgínia e em Wisconsin, Minnesota e Michigan. Na Costa Oeste, a maioria dos casos ocorre no norte da Califórnia e do Oregon. A doença de Lyme também ocorre na Europa, China, Japão e na antiga União Soviética.

Geralmente, as pessoas contraem a doença de Lyme no verão e no início do outono. As crianças e os jovens adultos que vivem em áreas florestais são geralmente os mais afetados.

As bactérias que causam a doença de Lyme são transmitidas pelos carrapatos dos veados (Ixodes), assim chamados porque os carrapatos adultos alimentam-se muitas vezes do sangue do veado. Os carrapatos jovens (larvas e ninfas) de veado alimentam-se do sangue dos roedores, especialmente do rato de patas brancas, que é portador da bactéria da doença de Lyme nos Estados Unidos. Os carrapatos estão geralmente no estágio de ninfas quando infectam as pessoas. O veado não é portador nem transmissor da bactéria da doença de Lyme. Ele é apenas uma fonte de sangue para carrapatos adultos. Na Europa, as ovelhas são os hospedeiros do carrapato adulto.

Você sabia que...

  • A doença de Lyme é a infecção transmitida por carrapatos mais comum nos Estados Unidos.

  • Os veados não transportam nem transmitem as bactérias da doença de Lyme, sendo apenas a fonte de sangue de carrapatos adultos.

Os carrapatos de veado também transportam outras infecções (comobabesiose e anaplasmose). Essas infecções ocorrem principalmente nos mesmos locais em que a doença de Lyme nos Estados Unidos – no nordeste e na parte superior do centro-oeste Assim, quando os carrapatos transmitem a doença de Lyme, eles também podem transmitir essas infecções e as pessoas podem contrair mais de uma infecção ao mesmo tempo.

As bactérias que causam a doença de Lyme são transmitidas às pessoas quando um carrapato infectado morde e fica agarrado ao corpo por mais de 36 horas. Os períodos breves de aderência raramente transmitem a doença.

No início, a bactéria se multiplica no local onde o carrapato pica. Ao fim de três a 32 dias, as bactérias migram do local da picada para a pele que a rodeia, causando uma erupção cutânea chamada eritema migratório. As bactérias podem penetrar no sistema linfático e infectar os linfonodos. Ou as bactérias podem entrar na corrente sanguínea e se espalhar para outros órgãos, como a pele em outras áreas do corpo, e o coração, sistema nervoso e articulações.

Você sabia que...

  • Geralmente, as pessoas contraem a doença de Lyme somente se um carrapato permanecer agarrado a elas durante pelo menos um dia e meio.

Sintomas

A doença de Lyme tem três etapas:

  • Localizada inicial

  • Disseminada inicial (amplamente disseminada)

  • Tardia

As etapas inicial e tardia da doença de Lyme são, geralmente, separadas por um período sem sintomas.

Doença de Lyme em etapa localizada inicial

Normalmente, surge uma grande mancha vermelha e saliente (eritema migratório) no local da mordida, geralmente na coxa, na nádega, no tronco ou na axila. A mancha surge normalmente 3 a 32 dias após a mordida de carrapato, da qual a maioria das pessoas não se lembra.

Geralmente, a mancha se expande lentamente até um diâmetro de 50 cm, muitas vezes com uma zona clara no seu centro. Mas o aspecto pode variar. Por exemplo, o centro pode permanecer vermelho, ou podem surgir vários anéis ao redor do centro vermelho (conferindo o aspecto de alvo). Apesar do eritema migratório não coçar nem doer, ele pode ser quente ao toque. A mancha geralmente desaparece depois de aproximadamente 3 a 4 semanas.

Cerca de 25% das pessoas infectadas nunca apresentam ou pelo menos nunca notam a mancha vermelha característica.

Imagens da erupção cutânea da doença de Lyme

Doença de Lyme em etapa disseminada inicial

Essa etapa começa quando as bactérias se espalham pelo corpo. Essa etapa pode começar dias a semanas após a mancha aparecer pela primeira vez.

Cansaço, arrepios, febre, dores de cabeça, rigidez no pescoço, dores musculares e articulações doloridas e inchadas são comuns. Esses sintomas da doença de Lyme podem perdurar por semanas. Em quase metade das pessoas não tratadas, mais manchas de eritema migratório, geralmente menores, surgem em outras partes do corpo. Com menos frequência, as pessoas têm dor nas costas, enjoos, vômitos, dor de garganta, linfonodos inchados e aumento do baço.

Apesar de a maioria dos sintomas poder aparecer e desaparecer, a sensação de mal-estar e cansaço pode durar semanas. Esses sintomas podem ser confundidos com gripe ou outras infecções virais comuns, especialmente se não houver a presença de eritema migratório.

Por vezes, desenvolvem-se sintomas mais sérios. O sistema nervoso é afetado em aproximadamente 15% das pessoas. Os problemas mais comuns são meningite (que causa dores de cabeça e rigidez do pescoço) e paralisia de Bell (que causa fraqueza em um ou, às vezes em ambos os lados da face).

Esses problemas podem durar meses. A dor nos nervos e a fraqueza podem se desenvolver em outras áreas e durar mais tempo.

Até 8% das pessoas infectadas desenvolvem problemas cardíacos. Esses problemas incluem

  • Movimento retardado dos sinais elétricos através do coração, resultando em ritmo cardíaco anormal (arritmia) denominado bloqueio cardíaco

  • Inflamação do tecido cardíaco (miocardite) e da membrana que envolve o coração (pericardite) com dor torácica

As arritmias podem causar palpitações, tontura ou desmaio.

Doença de Lyme em etapa tardia

Se a infecção inicial não for tratada, outros problemas começam a se desenvolver meses ou anos mais tarde.

A artrite se desenvolve em mais de metade das pessoas, geralmente dentro de vários meses. O inchaço e a dor geralmente se repetem em algumas das grandes articulações, em particular nos joelhos, durante vários anos. Os joelhos ficam geralmente mais inchados do que doloridos, geralmente quentes ao toque e, em casos raros, avermelhados. Podem se desenvolver cistos e romper atrás dos joelhos, aumentando subitamente a dor. Cerca de 10% das pessoas com artrite apresentam problemas nos joelhos que persistem mais de 6 meses.

Algumas pessoas desenvolvem anormalidades relacionadas ao mau funcionamento do cérebro e dos nervos. Humor, fala, memória e sono podem ser afetados. Algumas pessoas têm dormência, formigamento ou dor pontiaguda nas costas, pernas e braços.

Diagnóstico

  • Exames de sangue

  • Às vezes, exame de uma amostra de líquido articular ou de líquido cefalorraquidiano (obtida por punção lombar)

O diagnóstico de doença de Lyme baseia-se geralmente em todos os fatores a seguir:

  • Sintomas típicos, incluindo erupção cutânea (principalmente eritema migratório)

  • Oportunidade de exposição (residir ou visitar uma área em que a doença de Lyme seja comum)

  • Resultados de testes

Geralmente, os médicos realizam testes que medem os anticorpos contra as bactérias no sangue. (Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico para ajudar a defender o corpo contra um ataque específico, incluindo o da Borrelia burgdorferi.) No entanto, os anticorpos podem estar ausentes se o teste for realizado durante as primeiras semanas da infecção ou se forem administrados antibióticos antes que os anticorpos se desenvolvam.

Os anticorpos se desenvolvem em mais de 95% das pessoas que tiveram a infecção por pelo menos um mês, principalmente se não tomaram antibióticos. Depois que os anticorpos se desenvolvem, eles duram muitos anos. Portanto, os anticorpos podem estar presentes após a doença de Lyme ter sarado ou em pessoa que tiveram uma infecção que não provocou sintomas.

A interpretação dos resultados de testes de sangue é difícil. A incerteza causa vários problemas. Por exemplo, em áreas onde a doença de Lyme é comum, muitas pessoas que apresentam articulações dolorosas têm problemas de concentração ou estão sempre cansadas, se preocupam se estão na etapa tardia da doença de Lyme, mesmo quando nunca apresentaram uma erupção cutânea ou outro sintoma da doença de Lyme em etapa inicial. Geralmente, a doença de Lyme não é a causa. Mas elas podem ter anticorpos contra as bactérias porque foram infectadas anos antes e os anticorpos persistem por um longo período. Assim, se o médico tratar as pessoas apenas com base nos resultados dos testes de anticorpos, muitas que não têm doença de Lyme são tratadas com ciclos de antibióticos longos e inúteis.

As culturas não são úteis porque a bactéria Borrelia burgdorferi dificilmente cresce no laboratório.

Às vezes, os médicos inserem uma agulha em uma articulação para obter uma amostra de líquido ou fazem uma punção na coluna vertebral (punção lombar) para obterem uma amostra do líquido que circunda o cérebro e a medula espinhal (líquido cefalorraquidiano). Os fragmentos do material genético das bactérias podem estar presentes e ser detectados usando a técnica de reação em cadeia da polimerase (polymerase chain reaction, PCR). Esta técnica produz muitas cópias de um gene e possibilita aos médicos identificar a bactéria Borrelia burgdorferi rapidamente.

Prevenção

As pessoas devem adotar precauções para evitar serem mordidas por carrapato. Se tiverem sido expostas a carrapatos, elas devem examinar cuidadosamente o corpo inteiro depois de cada possível exposição e retirar qualquer carrapato encontrado. Esse exame é eficaz porque os carrapatos precisam estar geralmente agarrados ao corpo por mais de um dia e meio para transmitir a doença de Lyme.

Prevenção de mordidas de carrapato

As pessoas podem reduzir suas chances de pegar carrapatos ou ser mordidas por estes ao fazer o seguinte:

  • Permanecer nos caminhos e trilhas quando andarem em áreas florestais

  • Andar no meio das trilhas para evitar se roçar em moitas e matas

  • Não se sentar no chão ou em muros de pedra

  • Vestir camisas de manga comprida

  • Vestir calças compridas e enfiá-las por dentro de botas ou meias

  • Vestir roupas de cores claras, o que permite ver os carrapatos com mais facilidade

  • Aplicar repelentes contra insetos, como a dietiltoluamida (DEET), diretamente na pele

  • Aplicar um repelente contra insetos contendo permetrina no vestuário ou usar vestuário comercialmente pré-tratado com permetrina.

Geralmente, a doença de Lyme é transmitida por carrapatos jovens de veado (ninfas), que são muito pequenos, muito menores do que os carrapatos do cão. Por isso, as pessoas que podem ter sido ser expostas a carrapatos devem inspecionar diariamente o corpo muito cuidadosamente, sobretudo as áreas com pelos. A inspeção é eficaz porque os carrapatos precisam estar agarrados ao corpo geralmente por mais de um dia e meio para transmitir a doença de Lyme.

Para extrair um carrapato, devem ser utilizadas pinças pontiagudas para agarrar a cabeça ou as partes da boca bem no local em que ele penetra na pele e arrancá-lo aos poucos. O corpo do carrapato não deve ser agarrado, nem esmagado. Não devem ser utilizados vaselina, álcool, fósforo ou outras substâncias que causem irritação.

Prevenção de mordidas de carrapato

Se uma pessoa for mordida por um carrapato, os médicos às vezes dão a ela uma dose única de doxiciclina por via oral para prevenir o desenvolvimento da doença de Lyme. Alternativamente, os médicos podem pedir à pessoa que observe a área da mordida e administrar-lhe antibióticos somente se a pessoa desenvolver a erupção cutânea típica ou outros sintomas que sugiram doença de Lyme em etapa inicial.

Costumava haver uma vacina para a doença de Lyme disponível, mas ela foi retirada do mercado. A vacina tinha somente eficácia moderada e efeitos colaterais semelhantes aos sintomas da doença de Lyme.

Tratamento

  • Antibióticos

Embora todas as etapas da doença de Lyme respondam aos antibióticos, o tratamento precoce tem mais probabilidade de evitar complicações.

Antibióticos como a doxiciclina, amoxicilina ou cefuroxima, tomados por via oral durante duas a três semanas, são eficazes durante os estágios iniciais da doença. Se a doença for identificada em seu estágio inicial, eventualmente as pessoas precisarão de tratamento por apenas dez dias. Se as pessoas não puderem tomar nenhum desses medicamentos, às vezes a azitromicina é usada, mas ela é menos eficaz. Geralmente, a doxiciclina não é administrada a crianças com menos de 8 anos de idade ou a mulheres grávidas ou lactantes.

Os antibióticos também podem ajudar a aliviar muitos dos sintomas da doença de Lyme.

Para artrite decorrente de doença de Lyme, são administrados antibióticos por via oral como amoxicilina, cefuroxima ou doxiciclina durante 28 dias, ou ceftriaxona por via intravenosa durante 28 dias.

Na maioria das anormalidades neurológicas e em um tipo de ritmo cardíaco anormal (arritmia) denominado bloqueio cardíaco de terceiro grau (bloqueio completo do coração), administra-se ceftriaxona ou penicilina por via intravenosa durante duas a quatro semanas. Às vezes, é necessário um marca-passo temporário em caso de bloqueio cardíaco completo. A doxiciclina, administrada por via oral por duas a três semanas, pode ajudar a tratar casos menos graves de bloqueio cardíaco de primeiro grau e paralisia de Bell.

Os antibióticos erradicam as bactérias e, na maioria das pessoas, aliviam a artrite. No entanto, a artrite por vezes perdura mesmo depois de todas as bactérias desaparecerem porque a inflamação continua. Mesmo após sucesso do tratamento com antibióticos, algumas pessoas ainda manifestam outros sintomas como fadiga, dor de cabeça e problemas mentais.

Os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como o ácido acetilsalicílico ou o ibuprofeno, podem aliviar a dor das articulações inflamadas. O líquido que se acumula nas articulações afetadas pode ser drenado. O uso de muletas pode ajudar.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Gripe
Vídeo
Gripe
A gripe, ou influenza, é causada por um dos vários tipos de vírus que podem se disseminar...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tuberculose: Macrófago alveolar infectado
Modelo 3D
Tuberculose: Macrófago alveolar infectado

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS