Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Doenças relacionadas à poluição do ar

Por

Abigail R. Lara

, MD, University of Colorado

Última revisão/alteração completa mai 2020| Última modificação do conteúdo mai 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

As doenças relacionadas à poluição do ar são consideradas doenças pulmonares ambientais. (Consulte também Considerações gerais sobre doenças pulmonares ambientais.)

Os principais componentes da poluição do ar em países desenvolvidos são

  • Dióxido de nitrogênio (proveniente da queima de combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás natural)

  • Ozônio (devido ao efeito da luz solar sobre o dióxido de nitrogênio e hidrocarbonetos)

  • Partículas sólidas ou líquidas suspensas

A queima de combustível de biomassa (como madeira, resíduos animais e colheitas) é uma fonte importante de partículas em ambientes internos em países em desenvolvimento. O fumo passivo é também uma importante fonte de poluição do ar em ambiente interno.

Altos níveis de poluição do ar podem desencadear crises (exacerbações) em pessoas com asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC). As doenças pulmonares relacionadas à poluição do ar também aumentam o risco de distúrbios do coração e dos vasos sanguíneos e podem aumentar o risco de câncer de pulmão. Pessoas que vivem em áreas com tráfego intenso estão particularmente em risco.

A maioria dos poluentes atmosféricos causam a contração dos músculos das vias aéreas, estreitando as vias aéreas (hiperreatividade das vias aéreas).

Dentre os membros da população geral, especialmente crianças, a exposição em longo prazo à poluição do ar pode aumentar a ocorrência de infecções respiratórias e sintomas de distúrbios respiratórios (como tosse e dificuldade respiratória) e uma diminuição da função pulmonar.

Ozônio, o principal componente da poluição, é um forte irritante pulmonar. Os níveis tendem a ser mais elevados no verão em comparação com outras estações e relativamente mais elevados no final da manhã e início da tarde em comparação com outros momentos do dia. Exposições em curto prazo podem causar dificuldades respiratórias, dores torácicas e hiperreatividade das vias aéreas. As crianças que praticam atividades ao ar livre em dias em que a poluição por ozônio é elevada estão mais propensas a desenvolver asma. A exposição prolongada ao ozônio causa uma pequena, porém permanente, redução da função pulmonar.

A combustão de combustíveis fósseis ricos em enxofre pode criar partículas ácidas, que se depositam facilmente nas vias aéreas superiores. Essas partículas, chamadas óxidos de enxofre, podem causar a inflamação e constrição das vias aéreas, causando sintomas como dificuldade respiratória e aumento do risco de bronquite crônica (inflamação dos brônquios ou grandes vias aéreas).

A poluição do ar por partículas derivadas da queima de combustíveis fósseis (especialmente óleo diesel) é uma mistura complexa. As partículas podem causar inflamação das vias aéreas ou podem afetar outras partes do corpo, como o coração. Os dados de alguns estudos sugerem que a poluição do ar por partículas aumenta as taxas de mortalidade por todas as causas, principalmente mortalidade por causas cardíacas e pulmonares.

As partículas que afetam os pulmões o fazem de maneira diferente dependendo das substâncias que as compõe. As partículas do mesmo material também podem ter efeitos diferentes, dependendo do seu tamanho e forma. A indústria de nanotecnologia cria partículas extremamente pequenas de diferentes substâncias, como o carbono, para várias utilizações. Nanopartículas e partículas ultrafinas têm um tamanho inferior a 100 nanômetros. Para efeitos de comparação, um fio de cabelo humano tem cerca de 100.000 nanômetros de diâmetro, de modo que seriam necessárias 1000 nanopartículas para se chegar à espessura de um fio cabelo. Testes em animais e testes laboratoriais mostram que altas concentrações de nanopartículas ou de partículas ultrafinas podem ser perigosas. Alguns trabalhadores acidentalmente expostos a quantidades muito altas desenvolveram líquido ao redor dos pulmões ou lesão nas pequenas vias aéreas pulmonares. Porém, os médicos não sabem ao certo os efeitos sobre os profissionais do setor de nanotecnologia das quantidades e tipos de nanopartículas às quais eles estão expostos. Estudos estão em andamento para avaliar os riscos e garantir a proteção dos profissionais.

Os níveis de poluentes no ar variam com base na localização e nas condições ambientais. Por exemplo, o ozônio tende a permanecer no ar em dias quentes e úmidos, particularmente à tarde e início da noite. O monóxido de carbono tende a estar mais elevado durante períodos de alto fluxo de veículos indo ou voltando do trabalho. O Índice de qualidade do ar é usado para comunicar o nível de poluição do ar em um dado ponto no tempo. As pessoas, especialmente aquelas com distúrbios cardíacos ou pulmonares, podem usar o Índice de qualidade do ar para orientar suas escolhas de atividades ao ar livre em dias em que os níveis de poluição estiverem elevados.

Tabela
icon

Índice de qualidade do ar*

Valores do AQI

Nível de preocupação com a saúde (Condição de qualidade do ar)

0 a 50

Boa

51 a 100

Moderados

101 a 150

Insalubre para membros de grupos sensíveis†

151 a 200

Insalubre

201 a 300

Muito insalubre

301 a 500

Perigosa

* O AQI se baseia nos níveis de 5 poluentes regulamentados pela Agência de Proteção Ambiental dos EUA, em conformidade com a Lei do ar puro (“Clean Air Act”). Os poluentes são ozônio, material particulado, monóxido de carbono, dióxido de enxofre e dióxido de nitrogênio.

† Membros de grupos sensíveis incluem pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares, crianças e idosos.

AQI = Índice de qualidade do ar (Air Quality Index).

Adaptado da Agência de Proteção Ambiental dos EUA: Air quality index: A guide to air quality and your health. Research Triangle Park, NC, 2009.

Diagnóstico

  • Histórico de exposição

  • Teste de função pulmonar

O médico baseia o diagnóstico no histórico de exposição, sintomas, testes de função pulmonar e exposição a altas concentrações de poluentes conhecidos no ar em casa e no trabalho. O médico pergunta a pessoas com doenças pulmonares, como asma e DPOC, se os sintomas pioram quando expostos à poluição do ar.

É frequente que os testes não ajudem a diferenciar as doenças relacionadas à poluição do ar de outras doenças pulmonares. O diagnóstico pode ficar claro se muitos trabalhadores do mesmo setor, e com exposições semelhantes, desenvolverem a mesma doença pulmonar, ainda mais após exposições súbitas muito elevadas.

Prevenção

Trabalhadores com exposições a poluição do ar devem seguir as recomendações feitas pelas principais agências governamentais que limitam a exposição a gases, poeiras e vapores no ar. Crianças, idosos e pessoas com asma, DPOC e outras doenças pulmonares devem evitar exercícios ao ar livre quando o ar apresentar níveis elevados de poluentes.

Tratamento

  • Tratamento de sintomas

Os tratamentos são administrados para aliviar os sintomas. Por exemplo, medicamentos usados para tratar asma (como broncodilatadores, que abrem as vias aéreas) podem aliviar alguns sintomas. Se os sintomas forem graves, as pessoas podem precisar receber oxigênio suplementar ou ventilação mecânica.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS