Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Dor ocular

Por

Christopher J. Brady

, MD, Wilmer Eye Institute, Retina Division, Johns Hopkins University School of Medicine

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A dor ocular pode ser grave e contundente, dolorosa ou pulsátil, ou a pessoa pode sentir apenas uma leve irritação na superfície do olho ou a sensação de um objeto estranho no olho. Muitas causas de dor no olho também podem fazer com que o olho fique vermelho. Pode haver outros sintomas, dependendo da causa da dor ocular. Por exemplo, a pessoa pode ter visão embaçada, o olho saliente, ou dor intensificada por luz intensa.

A córnea (camada transparente na frente da íris e da pupila) é altamente sensível à dor. Muitas doenças que afetam a córnea também afetam a câmara anterior (espaço cheio de líquido entre a íris e a parte interna da córnea) e causam espasmo do músculo que controla a íris (o músculo ciliar). Quando ocorre tal espasmo, a luz intensa faz com que o músculo se contraia e piore a dor.

O interior do olho

O interior do olho

Causas

Doenças que causam dor ocular podem ser divididas em doenças que afetam principalmente a córnea, doenças de outras partes do olho e doenças de outras partes do corpo que causam dor no olho.

Causas comuns

Doenças da córnea são as causas mais comuns de dor ocular de modo geral, particularmente

No entanto, a maioria das doenças da córnea podem causar dor ocular.

Uma sensação de abrasão ou de um corpo estranho pode ter como causa uma doença da conjuntiva (a fina membrana que reveste a pálpebra e cobre a frente do olho) ou da córnea.

Tabela
icon

Algumas causas e características de dor ocular

Causa

Características comuns*

Diagnóstico†

Doenças que principalmente afetam a córnea.

Ceratite por lente de contato (inflamação da córnea — a camada transparente na frente da íris e da pupila — causada pelo uso de lentes de contato por um longo período)

Em geral afetando os dois olhos

Dor no olho e sensação de areia nos olhos

Olhos vermelhos, lacrimejantes e com sensibilidade à luz

Em pessoas que usam lentes de contato por longos períodos

Exame médico

Objeto estranho (corpo)

Sintomas que surgem após uma lesão no olho e que pode não ser notada em bebês e crianças

Dor no olho afetado ao piscar e sensação de corpo estranho no olho

Olho vermelho, lacrimejante e geralmente com sensibilidade à luz

Exame médico

Quase sempre uma mancha acinzentada na córnea que depois se torna uma ferida aberta e dolorosa

Dor no olho e sensação de corpo estranho

Olhos vermelhos, lacrimejantes e com sensibilidade à luz

Pode ocorrer em pessoas que tiveram uma lesão no olho ou que dormiram com a lente de contato

Exame médico

Cultura de uma amostra da úlcera retirada por um oftalmologista

Ceratoconjuntivite epidêmica (olho vermelho — inflamação da conjuntiva, a membrana que reveste a pálpebra e cobre a frente do olho, e da córnea, causada por um adenovírus)

Em geral afetando os dois olhos

Dor no olho e sensação de areia nos olhos

Olho vermelho, lacrimejante e geralmente com sensibilidade à luz

Quase sempre pálpebra edemaciada e inchada e linfonodos sensíveis ao toque na frente dos ouvidos

Raramente visão embaçada grave e temporária

Exame médico

Ceratite por herpes simples (infecção da córnea causada pelo vírus do herpes simples)

Quase sempre afetando apenas um olho

Inicial: Sintomas que começam depois de um episódio de conjuntivite

Bolhas na pálpebra, podendo haver crostas

Tardia ou recorrente: Olhos vermelhos e lacrimejantes, dor no olho, visão prejudicada e sensibilidade à luz

Normalmente somente um exame realizado pelo médico

Às vezes, pesquisa do vírus em raspagens obtidas da superfície da córnea ou de bolhas ao redor do olho

Herpes zoster oftálmico (vesículas que afetam o rosto e o olho provocadas pelo vírus da varicela zoster)

Quase sempre afetando apenas um olho

Inicial: Erupção cutânea com bolhas e/ou crostas em um lado do rosto, em torno do olho, na testa e algumas vezes na ponta do nariz

Tardia: Olho vermelho, lacrimejamento e geralmente sensibilidade à luz e edema de pálpebra

Normalmente somente um exame realizado pelo médico

Às vezes, pesquisa do vírus em raspagens obtidas de bolhas em volta do olho

Ceratite do soldador (ultravioleta) - inflamação da córnea causada por exposição excessiva à luz ultravioleta

Em geral afetando os dois olhos

Sintomas que começam horas após a exposição excessiva à luz ultravioleta (como a produzida durante o trabalho de soldagem, luz artificial ou pelo brilho da luz solar refletida na neve, principalmente em grandes altitudes)

Dor no olho e sensação de areia nos olhos

Olhos vermelhos, lacrimejantes e com sensibilidade à luz

Exame médico

Outras doenças oculares

Dor no olho intensa e vermelhidão

Dor de cabeça, náusea, vômito e dor com exposição à luz

Perturbações como a visão de halos em torno das luzes e/ou declínio da visão

Tonometria (aferição da pressão intraocular)‡

Exame dos canais de drenagem do olho com lentes especiais (gonioscópio), realizado por um oftalmologista

Uveíte anterior (inflamação da câmara anterior — o espaço cheio de líquido entre a íris e a córnea)

Dor no olho e sensibilidade à luz

Vermelhidão no olho (principalmente em volta da córnea)

Visão embaçada ou perda de visão

Quase sempre em pessoas que tiveram doença autoimune ou que tiveram recente lesão ocular

Exame médico

Endoftalmite (infecção no interior do olho)§

Afeta apenas um olho

Dor no olho e vermelhidão intensa, sensibilidade à luz e grave diminuição da visão

Quase sempre em pessoas que passaram por recente cirurgia ocular ou séria lesão ocular

Exame médico

Cultura do líquido no interior do olho, realizada por um oftalmologista

Neurite óptica (inflamação do nervo óptico), que pode estar relacionada à esclerose múltipla§

Em geral dor leve que pode piorar ao movimentar os olhos

Perda da visão parcial ou completa

Pálpebras e córnea com aparência normal

Exame médico

Com frequência, ressonância magnética (RM) com contraste

Celulite orbital (infecção do tecido dentro da cavidade ocular, ou órbita)§

Afeta apenas um olho

Olho saliente, olho vermelho, dor intensa dentro do olho e dores no olho e em volta do olho

Pálpebras vermelhas e inchadas

Incapacidade de mover o olho em todas as direções

Visão comprometida ou perda de visão

Febre

Algumas vezes precedido de sintomas de sinusite (consulte abaixo)

Exame médico

TC ou RM

Pseudotumor orbital (acúmulo não canceroso de tecido inflamatório e fibroso na cavidade ocular)§

Dor no olho e em volta do olho, que pode se tornar intensa

Em geral saliência do olho

Quase sempre incapacidade de mover o olho em todas as direções

Inchaço em volta do olho

Exame médico

TC ou RM

Algumas vezes, biópsia

Esclerite (inflamação do branco do olho chamado esclerótica)

Dor muito intensa, em geral descrita como incômoda e com sensibilidade à luz

Olhos lacrimejantes

Manchas vermelhas ou roxas no branco do olho

Quase sempre em pessoas que tiveram doença autoimune

Normalmente somente um exame realizado pelo médico

Às vezes, ultrassom ou TC

Raramente, biópsia

Outras doenças que causam dor no olho

Em pessoas que tiveram episódios anteriores de dor de cabeça grave

Cefaleia em salvas: Cefaleias que

  • ocorrem em grupos ou salvas

  • ocorrem no mesmo horário todos os dias

  • causam dor intensa, cortante, como facadas, nariz escorrendo e olhos lacrimejantes

Enxaquecas: Cefaleias que

  • Podem ser precedidas por perturbações temporárias na sensação, equilíbrio, coordenação, fala ou visão (como ver flashes luminosos ou ter pontos cegos), chamadas aura

  • Normalmente causa uma dor pulsante ou palpitante

  • Vêm acompanhadas de náusea, vômito e sensibilidade a sons, luz e odores

Exame médico

Às vezes, TC

Às vezes, edema em torno dos olhos, mas sem outros sintomas oculares

Secreção nasal espessa amarela ou verde (algumas vezes com sangramento), dor de cabeça, ou dor ocular ou facial que varia com a posição da cabeça

Febre, sensibilidade no rosto, algumas vezes uma tosse prolongada durante a noite, e mal hálito

Exame médico

Às vezes, TC

* As características incluem os sintomas e os resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes. Em geral as doenças afetam apenas um olho a menos que de outra forma especificado.

† Embora sempre se faça um exame médico ou um exame oftalmológico, ele só é mencionado nesta coluna se o diagnóstico às vezes puder ser feito exclusivamente pelo exame médico, sem nenhum outro exame. Em outras palavras, exames adicionais podem não ser necessários.

‡ Quase sempre os médicos fazem um exame com lâmpada de fenda e aplicação do corante fluoresceína e medem a pressão intraocular (chamada tonometria).

§ Essas causas são incomuns.

TC = tomografia computadorizada; RM = ressonância magnética.

Avaliação

Uma irritação leve do olho ou a sensação de um corpo estranho é comum e quase sempre não sério. No entanto, uma dor intensa no olho pode ser um sinal de uma doença grave e de ameaça à visão. As informações a seguir podem ajudar as pessoas a decidir quando procurar um médico e ajudar a saber o que esperar durante o exame.

Sinais de alerta

Nas pessoas com dor ocular, alguns sintomas e características são motivos de preocupação. Incluem

  • Vômitos

  • Halos em torno da luz

  • Febre, calafrios, fadiga e dor muscular

  • Diminuição da nitidez da visão (acuidade visual)

  • Protrusão de um olho (proptose)

  • Incapacidade de mover o olho em todas as direções (direita, esquerda, para cima, para baixo)

Quando consultar um médico

Pessoas com muita dor, olhos muito vermelhos ou sinais de alerta devem procurar imediatamente um médico. Pessoas com dor leve, sem olhos vermelhos nem sinais de alerta podem esperar um ou dois dias para ver se o incômodo passa por si só.

O que o médico faz

Primeiro, o médico faz perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, o médico faz um exame físico. O que eles identificam no histórico e exame físico frequentemente sugere uma causa para a dor e os exames que podem ser necessários (consulte a tabela Algumas causas e características de dor ocular).

O médico pede à pessoa para descrever a dor, quando começou, qual a gravidade e se dói ao olhar em diferentes direções ou ao piscar. O médico pergunta se a pessoa já teve dor no olho e se é sensível à luz, se tem visão embaçada ou se tem a sensação de um objeto estranho no olho.

Durante o exame físico, o médico vê se há febre ou coriza intermitente. Examinam também se há sensibilidade ao toque no rosto.

O mais importante é o exame no olho, incluindo o olho todo, pálpebras e a região em volta do olho. O médico examina

  • Se os olhos estão vermelhos ou inchados

  • Qual a clareza de visão de uma pessoa usando uma tabela padrão de aferição visual (acuidade visual)

  • Se a pessoa pode enxergar em cada área do campo de visão (exame de campo de visão)

  • Como as pupilas reagem à luz

  • Se o brilho da luz no olho não afetado causa dor no olho afetado quando o olho afetado está fechado (fotofobia real)

Se os médicos suspeitam de um objeto estranho, mas não encontram nenhum, eles viram as pálpebras para fora para procurar objetos estranhos.

Em geral, eles examinam com uma lâmpada de fenda. A lâmpada de fenda é um instrumento que permite ao médico examinar o olho em alta resolução. O médico pinga uma gota de fluoresceína na córnea para mostrar cicatrizes ou algum tipo de infecção, incluindo úlceras. O médico usa tonometria para medir a pressão dentro do olho (pressão intraocular). Ele usa uma lâmpada de fenda e/ou um oftalmoscópio (uma luz com lentes de aumento que ilumina o fundo do olho) para examinar o cristalino e usa o oftalmoscópio para examinar o humor vítreo (a substância gelatinosa que preenche o globo ocular), a retina (estrutura no fundo do olho que detecta a luz), o nervo óptico e as veias e artérias da retina.

Muitas vezes os achados ajudam no diagnóstico. Determinados achados ou combinações deles podem apontar para uma determinada doença.

Os achados também podem ajudar a indicar ou eliminar alguns tipos de doenças.

  • Doenças da córnea, entre outras doenças, tendem a causar vermelhidão dos olhos, lacrimejamento e dor. Não havendo nenhum desses sintomas, é bem improvável haver uma doença da córnea.

  • Dor na superfície do olho, sensação de corpo estranho e dor ao piscar sugerem um objeto estranho no olho.

  • Pessoas que usam lentes de contato podem ter uma cicatriz na córnea, uma úlcera na córnea ou uma ceratite por lente de contato.

  • Ao medir pressão do olho, o médico pinga uma gota de anestésico no olho. Se a dor desaparece em seguida, a causa da dor provavelmente é uma doença da córnea.

  • Dor profunda, intensa e pulsante em geral indica uma possível doença séria como glaucoma de ângulo fechado, uveíte anterior, esclerite, endoftalmite, celulite orbital ou pseudotumor orbital. Se, além disso, houver edema de pálpebras, protrusão do olho ou incapacidade de movimentar os olhos em todas as direções, as doenças mais prováveis são pseudotumor orbital, celulite orbital ou possível endoftalmite grave.

Exames

A necessidade de exames depende do que o médico encontra durante o histórico e o exame físico. Em geral não são necessários exames. Entretanto, se o médico achar aumento na pressão intraocular, pode encaminhar a pessoa ao oftalmologista (médico especializado na avaliação e tratamento—cirúrgico e não cirúrgico—de doenças oculares) para uma gonioscopia. O gonioscópio é uma lente especial que permite examinar os canais de drenagem do olho.

Protrusão do olho e incapacidade de mover o olho em todas as direções sem mover a cabeça podem indicar celulite orbital ou pseudotumor orbital. Para investigar essas doenças são realizadas a tomografia computadorizada (TC) ou uma ressonância magnética (RM). A TC também pode ser realizada se houver suspeita de sinusite, mas o diagnóstico não é de alguma forma claro, ou se houver suspeita de complicações. Uma RM com contraste pode ser realizada se houver suspeita de neurite óptica.

O médico envia uma amostra do líquido do interior do olho (humor vítreo ou aquoso) para o laboratório se houver probabilidade de endoftalmite. Também pode ser enviada uma amostra da córnea ou de uma bolha se houver a probabilidade de ceratite por herpes simples ou herpes zoster oftálmico mas sem um diagnóstico definitivo. No laboratório os técnicos procuram desenvolver as bactérias ou vírus (cultura) para confirmar infecções e determinar o organismo causador da infecção.

Tratamento

  • Tratamento da causa

  • Analgésicos, algumas vezes opiáceos

  • Algumas vezes, colírio para dilatar a pupila

A melhor maneira de tratar a dor ocular é tratar a causa da dor. As pessoas também podem precisar tomar analgésicos até que a dor acabe. Se um analgésico sem prescrição como acetaminofeno ou um medicamento anti-inflamatório não esteroide não for eficaz, pode ser necessário um opioide. Pode acontecer de uma pessoa com dor causada por uveíte anterior ou doenças da córnea também precisar usar colírios que evitem o espasmo do músculo ciliar ao dilatar a pupila e assim reduzir a dor no olho por exposição à luz. Por exemplo, ciclopentolato deve ser utilizado.

Pontos-chave

  • Normalmente os médicos conseguem determinar a causa da dor ocular durante o exame.

  • Pessoas com dor intensa, olhos vermelhos ou sinais de alerta (vômito, halos em torno de luzes, febre, diminuição da nitidez visual, olhos salientes e incapacidade de mover os olhos em todas as direções) devem procurar imediatamente o médico.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Miopia e hipermetropia
Vídeo
Miopia e hipermetropia
Durante a visão normal, a luz passa através da córnea, a camada clara que cobre o olho e,...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Catarata
Modelo 3D
Catarata

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS