Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Linfadenite

Por

A. Damian Dhar

, MD, JD, North Atlanta Dermatology

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A linfadenite é a infecção de um ou mais linfonodos que, geralmente, incham e ficam mais sensíveis.

A linfa é um líquido que exsuda dos menores vasos sanguíneos do corpo. O líquido passa entre as células e traz nutrição, levando embora células danificadas, células cancerosas e microrganismos infecciosos. Toda a linfa passa através de vasos linfáticos para linfonodos estrategicamente localizados. Os gânglios linfáticos filtram células lesionadas, células cancerosas e partículas estranhas, removendo-as do líquido linfático. Glóbulos brancos especiais nos linfonodos envolvem e destroem células danificadas, células cancerosas, organismos infecciosos e partículas estranhas.

A linfadenite é quase sempre provocada por uma infecção, que pode ser causada por bactérias, vírus, protozoários ou fungos. Caracteristicamente, a infecção estende-se até um nódulo linfático (linfonodo) a partir de uma infecção da pele, do ouvido, do nariz, dos olhos ou durante infecções como a mononucleose infecciosa, a infecção por citomegalovírus, a infecção estreptocócica, a tuberculose ou a sífilis. A infecção pode afetar muitos gânglios linfáticos ou apenas aqueles localizados numa determinada zona do corpo.

Sintomas

Os gânglios linfáticos infectados aumentam de tamanho e, geralmente, ficam sensíveis e doloridos. Em certos casos, a pele que cobre os nódulos infeccionados fica inflamada, tem uma cor avermelhada e está quente. Algumas pessoas podem ter celulite. As pessoas geralmente têm febre. Às vezes, formam-se cavidades cheias de pus (abscessos).

Os nódulos linfáticos aumentados, que não provocam dor, sensibilidade ou vermelhidão podem indicar a presença de uma doença diferente, como linfoma, tuberculose ou linfoma de Hodgkin. Esses gânglios linfáticos devem ser avaliados por um médico.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Às vezes, uma biópsia de tecido e cultura

Em geral, a linfadenite pode ser diagnosticada a partir dos sintomas e a sua causa é uma infecção próxima evidente.

Quando a causa não puder ser identificada com facilidade, pode ser necessário efetuar uma biópsia (remoção cirúrgica e análise de uma amostra de tecido ao microscópio) e uma cultura (a amostra é enviada para o laboratório e colocada em meio de cultura que permite o crescimento dos micro-organismos) para fazer o diagnóstico, pois há outros distúrbios que causam linfonodos inchados. Além disso, a cultura pode identificar o organismo causador da infecção.

Tratamento

  • Antibióticos

O tratamento da linfadenite depende do organismo que está causando a infecção. No caso de uma infecção bacteriana, um antibiótico normalmente é administrado pela veia (via intravenosa) ou pela boca. Outros medicamentos são administrados para uma infecção parasitária ou fúngica.

Compressas quentes e úmidas podem ajudar a aliviar a dor dos nódulos linfáticos inflamados. De modo geral, uma vez tratada a infecção, os nódulos linfáticos diminuem lentamente de tamanho e a dor desaparece. Em algumas ocasiões, os nódulos aumentados permanecem duros, mas já não estão mais hipersensíveis.

Os abscessos devem ser drenados cirurgicamente, e as pessoas recebem antibióticos por via intravenosa. Em crianças, os antibióticos intravenosos são comumente necessários.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Câncer de pele
Vídeo
Câncer de pele
A pele é o maior órgão do corpo. Ela tem muitas funções importantes, incluindo a de proteger...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS