Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Compressão da medula vertebral

Por

Michael Rubin

, MDCM, New York Presbyterian Hospital-Cornell Medical Center

Última modificação do conteúdo mai 2021
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Várias lesões podem comprimir a medula espinal causando deficits segmentares sensoriais, motores, reflexos e de esfíncteres. O diagnóstico é por RM. O tratamento direciona-se ao alívio da compressão.

A compressão é muito mais comum por lesões externas à medula espinal (extramedulares) que por lesões no interior (intramedulares).

A compressão pode ser

  • Aguda

  • Subaguda

  • Crônica

A compressão aguda desenvolve-se em questão de minutos a horas. Muitas vezes decorrente de

Deve-se ocasionalmente a abscesso e raramente a hematoma epidural espontâneo. Pode ocorrer compressão aguda após uma compressão subaguda ou crônica, em especial se a causa for abscesso ou tumor.

A compressão subaguda desenvolve-se em dias ou semanas. Geralmente é causada por

  • Tumor extramedular metastático

  • Abscesso ou hematoma subdural ou epidural

  • Hérnia de disco cervical ou, raramente, torácica

A compressão crônica desenvolve-se em meses a anos. É comumente causada por

A compressão pode ser agravada por um disco herniado e hipertrofia do ligamento flavo. Outras causas menos comuns incluem Malformações arteriovenosas Malformações arteriovenosas na medula espinal As malformações arteriovenosas no interior e ao redor da medula espinal podem causar compressão da medula, isquemia, hemorragia no parênquima, hemorragia subaracnoidea ou... leia mais , tumores intramedulares e tumores extramedulares de crescimento lento.

Sinais e sintomas de compressão da medula espinal.

A compressão aguda ou avançada da medula espinal causa deficits segmentares, paraparesias ou quadriparesias, hiporreflexia (quando aguda) seguida de hiperreflexia, resposta extensora plantar, perda de tônus dos esfíncteres (com disfunções vesical e intestinal) e deficits sensoriais. A compressão subaguda ou crônica pode se iniciar com dor local no dorso, geralmente irradiada para baixo, na distribuição de uma raiz nervosa (dor radicular) e, às vezes, hiper-reflexia e perda de sensação. A perda de sensação pode iniciar nos segmentos sacrais. A perda completa da função pode ocorrer subitamente e de forma imprevisível, possivelmente como resultado de um infarto secundário na medula espinal.

A dor à percussão da coluna é proeminente, se a causa for carcinoma metastático, abscesso ou hematoma.

As lesões intramedulares tendem a causar dor em queimação mal localizada e não dor do tipo radicular, poupando a sensação nos dermátomos sacrais. Essas lesões geralmente resultam em paresia espástica.

Diagnóstico da compressão da medula espinhal

  • RM ou mielografia com TC

A compressão da medula espinal é sugerida por dor radicular ou espinal com deficits reflexos, motores ou sensoriais, em particular em um nível segmentar.

Dicas e conselhos

  • Se os pacientes têm súbita dor radicular ou espinal com deficits reflexos, motores ou sensitivos, em particular em um nível segmentar, fazer exame de imagem da medula espinal e tratar a causa imediatamente.

Sempre se realiza RM, se estiver disponível. Se a RM não estiver disponível, fazer mielografia por TC; uma pequena quantidade de ioexol (um agente radiopaco, não iônico, de baixa osmolaridade) é introduzida por punção lombar e direcionada cranialmente para verificar se há bloqueio completo do líquido cerebrospinal. Se for detectado algum bloqueio, introduzir o agente radiopaco por punção cervical para determinar a extensão rostral do bloqueio. Se houver suspeita de anormalidades ósseas (p. ex., fratura, deslocamento, subluxação) que requerem imediata imobilização espinal, podem ser feitas radiografias espinais simples. Entretanto, a TC detecta melhor as anormalidades ósseas.

Tratamento da compressão da medula espinhal

  • Alívio da compressão

O tratamento da compressão da medula espinal é direcionado para o alívio da pressão sobre a medula. A perda incompleta ou perda completa muito recente da função pode ser reversível, mas a perda completa da função raramente é; assim, para compressão aguda, o diagnóstico e o tratamento devem ser imediatos.

Se a compressão for decorrente de tumor, administra-se imediatamente dexametasona IV 100 mg, seguida de 25 mg, a cada 6 h, e cirurgia ou radioterapia imediatas.

Indica-se cirurgia em qualquer um dos casos a seguir:

  • Se os deficits neurológicos se agravarem apesar do tratamento não cirúrgico.

  • Se for necessário biópsia.

  • Se a coluna estiver instável.

  • Se o tumor reincidir após radioterapia.

  • Um abscesso ou hematoma subdural ou epidural que está comprimindo a medula espinal.

Pontos-chave

  • A compressão da medula geralmente é secundária a uma massa extrínseca.

  • As manifestações podem incluir dor lombar e dor radicular (precoce) e sensibilidade segmentar e/ou deficits motores, reflexos alterados, respostas plantares extensoras e perda de tônus dos esfíncteres (com disfunções vesicais e intestinais).

  • Fazer RM ou mielografia com TC imediatamente.

  • Para aliviar a pressão sobre a medula, fazer cirurgia ou administrar corticoides o mais rapidamente possível.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS