Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Foliculite

Por

Wingfield E. Rehmus

, MD, MPH, University of British Columbia

Última modificação do conteúdo fev 2021
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Foliculite é uma infecção bacteriana dos folículos pilosos. O diagnóstico é clínico. O tratamento é feito com clindamicina tópica.

A etiologia da foliculite geralmente não é clara, mas transpiração, trauma, fricção e oclusão da pele são conhecidos por potencializar a infecção. O patógeno pode ser bacteriano, fúngico, viral ou parasítico. Foliculite bacteriana é geralmente causada por Staphylococcus aureus, mas ocasionalmente por Pseudomonas aeruginosa (foliculite da banheira de hidromassagem) ou outros organismos foram relatados. Foliculite por banheira de hidromassagem ocorre devido ao tratamento químico inadequado da água. Acne Acne vulgar Acne vulgar é a formação de comedões, pápulas, pústulas, nódulos e/ou cistos como resultado da obstrução e inflamação da unidade pilossebá... leia mais Acne vulgar é uma forma não infecciosa da foliculite.

Sinais e sintomas

São sintomas de foliculite: dor leve, prurido ou irritação. São sinais da foliculite: pústulas superficiais ou nódulos inflamatórios ao redor do folículo piloso. Os pelos infectados caem ou são removidos facilmente pelo paciente, mas novas pápulas tendem a se desenvolver. O crescimento de pelos grossos na pele pode provocar irritação ou inflamação crônica, que simulam a foliculite infecciosa (pseudofoliculite da barba Pseudofoliculite da barba A pseudofoliculite da barba é uma irritação cutânea decorrente da penetração de fios na pele antes de saírem do folículo piloso ou fios que saem do folí... leia mais Pseudofoliculite da barba ).

Diagnóstico da foliculite

  • Avaliação clínica

O achado cutâneo primário na foliculite é inflamação pustular e perifolicular.

Não se indicam rotineiramente testes microbiológicos.

Tratamento da foliculite

  • Clindamicina a 1%, loção ou gel

Como na maioria das vezes as foliculites são causadas por S. aureus, pode-se aplicar clindamicina a 1%, em loção ou gel 2 vezes/dia por 7 a 10 dias. Alternativamente, faz-se a lavagem com peróxido de benzoíla a 5%, durante o banho, por 5 a 7 dias. No acometimento cutâneo extenso, há necessidade de antibióticos sistêmicos (p. ex., cefalexina, 250 a 500 mg por via oral, 3 a 4 vezes/dia, por 10 dias). Se essas medidas não resultarem em cura, ou a foliculite recidivar, procede-se para a coloração e cultura de Gram das pústulas para descartar a etiologia do S. aureus (SARM) gram-negativo ou resistente à penicilina. e realiza-se também cultura da narina para afastar a presença de estafilococos. O exame dos pelos com hidróxido de potássio é indicado para evidenciar foliculite causada por fungos.

A foliculite por sauna ou imersão em água quente geralmente regride de forma espontânea, sem tratamento. Entretanto, é necessária uma adequada clorificação da água para prevenir recidivas e proteger outros indivíduos da infecção.

Pontos-chave

  • Foliculite pode ser causada por vários patógenos e tende a ser potencializada por transpiração, trauma, fricção e oclusão da pele.

  • Em geral, foliculite bacteriana é causada por Staphylococcus aureus, mas ocasionalmente por Pseudomonas aeruginosa (foliculite da banheira de hidromassagem).

  • Tratar a foliculite estafilocócica com loção ou gel de clindamicina a 1% ou lavagem com peróxido de benzoíla a 5%.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS