Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Síndrome da morte súbita infantil (SMSI)

Por

Christopher P. Raab

, MD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A síndrome da morte súbita infantil é a morte súbita e inesperada, que geralmente ocorre durante o sono, de um bebê com menos de um ano de idade que aparentemente é saudável.

  • A causa da síndrome da morte súbita infantil (SMSI) é desconhecida.

  • Colocar o bebê para dormir de costas; remover travesseiros, proteções acolchoadas e brinquedos do berço; proteger o bebê contra o aquecimento excessivo e impedir que ele respire fumaça de cigarro pode ajudar a prevenir a SMSI.

  • Pais que perderam bebês devido a SMSI devem buscar aconselhamento e grupos de apoio.

Apesar de a síndrome da morte súbita infantil (SMSI, também denominada morte no berço) ser, em geral, muito rara nos Estados Unidos (aproximadamente um caso em 1.000 nascimentos), ela é uma das causas mais comuns de morte em bebês entre duas semanas e um ano de idade. O risco de ter SMSI e quase duas vezes maior em crianças de raça negra ou descendentes de indígenas norte-americanos. Ela afeta principalmente crianças entre o segundo e o quarto meses de vida. A síndrome ocorre em todo o mundo. Existem muitos fatores de risco.

Fatores de risco para a síndrome da morte súbita infantil

A criança que apresentar ou for exposta a qualquer um dos fatores de risco a seguir corre um risco maior de SMSI:

  • Dormir de bruços (sendo esse o fator mais significativo)

  • Ser de raça negra ou descendente de indígenas norte-americanos

  • Ter um irmão ou irmão que morreu de SMSI

  • Clima frio/meses do inverno

  • Crescimento insuficiente

  • Baixo peso de nascimento

  • Família de baixa renda

  • Ser do sexo masculino

  • A mãe já teve várias gestações

  • A mãe tem menos de 20 anos de idade

  • A mãe fumou ou usou entorpecentes durante a gestação

  • Não usar chupeta

  • Berço antigo ou perigoso

  • Aquecimento excessivo (devido ao uso de cobertores ou o quarto estar quente)

  • Pausas na respiração (apneia) que precisou de ressuscitação

  • Maus cuidados pré-natais

  • Doença recente

  • Dormir na cama com os pais ou cuidadores (compartilhar a cama)

  • Intervalo curto entre as gestações

  • Mãe solteira

  • Fumar dentro de casa

  • Roupas de cama acolchoadas

  • Infecção das vias aéreas superiores

  • Colchão d’água

Causas

A causa da síndrome da morte súbita infantil (SMSI) é desconhecida. Ela pode ocorrer devido a uma anomalia no controle da respiração. Alguns bebês com SMSI apresentam sinais de terem tido níveis baixos de oxigênio no sangue e períodos de interrupção da respiração (um quadro clínico denominado apneia).

Colocar o bebê para dormir de bruços e usar roupas de cama macias (como travesseiros e cobertores de lã) são ações que foram associadas à SMSI. Dormir junto com o bebê em um sofá, almofada ou cama macia (consulte Compartilhar a cama) também aumenta o risco de ocorrer SMSI.

Você sabia que...

  • Ainda que rara, a síndrome da morte súbita infantil (SMSI) é uma das causas mais comuns de morte de bebês entre duas semanas e um ano de idade. Ela é associada com a colocar os bebês para dormir de barriga para baixo.

Diagnóstico

  • Autópsia

O médico não consegue fazer um diagnóstico de SMSI sem fazer uma autópsia antes (uma inspeção e exame do corpo depois da morte) para descartar outras causas de morte súbita e inesperada (por exemplo, hemorragia intracraniana, meningite ou miocardite).

O médico também precisa avaliar se o bebê se sufocou ou se morreu como resultado de abuso.

Prevenção

  • Colocar o bebê para dormir de costas

Ainda que se conheçam os fatores que aumentam o risco da SMSI, não há formas seguras de preveni-la. Contudo, algumas medidas parecem ajudar, especialmente colocar o bebê para dormir de costas sobre um colchão firme. O número de mortes pela SMSI diminuiu drasticamente à medida que mais pais colocam seus bebês para dormir de costas (consulte a campanha Safe to Sleep®). Os pais também devem remover travesseiros, reforços de berço e brinquedos que possam bloquear a respiração do bebê. Evitar agasalhar o bebê em excesso e protegê-lo contra o aquecimento excessivo também pode ajudar. Amamentar e proteger os bebês contra inalação passiva de fumaça de cigarros pode ser útil, além de claramente apresentar outros benefícios à saúde.

Não existem evidências de que monitores domésticos da respiração reduzam o risco de SMSI.

Safe to Sleep: Redução do risco da síndrome da morte súbita infantil

  • Posição: sempre coloque o bebê para dormir deitado de costas, tanto para sonecas quanto durante a noite.

  • Superfície: coloque o bebê para dormir em uma superfície firme, tal como um colchão com segurança aprovada para berços, recoberto por um lençol com elástico.

  • Roupas de cama: mantenha objetos macios, brinquedos, cobertores e outras roupas de cama soltas longe da área de dormir do bebê.

  • Não fumar: não permita que fumem perto do bebê. Não fumar durante a gravidez também é importante.

  • Localização: organize a área de dormir do bebê próxima, mas separada, da área de dormir dos pais e de outras crianças.

  • Chupetas: considere oferecer ao bebê uma chupeta limpa e seca quando o colocar para dormir.

  • Temperatura: não deixe o bebê ficar superaquecido durante o sono.

Monitores e produtos domésticos que afirmam impedir a síndrome da morte súbita infantil parecem não ser úteis.

Para ajudar a impedir que áreas chatas se desenvolvam na cabeça do bebê, ele deve passar algum tempo deitado de bruços quando estiver acordado e sendo observado por alguém. Para ajudar a arredondar a cabeça do bebê, os pais devem mudar a direção na qual o bebê dorme no berço a cada semana e evitar deixá-lo por tempo demais em bancos de carros, carregadores e berços suspensos.

Adaptado do The National Institute of Child Health and Human Development (Instituto Nacional de Saúde e Desenvolvimento da Criança) (campanha Safe to Sleep®).

Recursos para Os pais Quem Têm Perdido um bebê a SIDS

  • Psicoterapia

  • Grupos de apoio

A maioria dos pais que perderam uma criança devido a SMSI fica abatida e não está preparada para a tragédia. Os pais, em geral, se sentem culpados. Eles podem ficar ainda mais traumatizados devido às investigações realizadas pela polícia, assistentes sociais e outras pessoas. Aconselhamento e apoio por parte de médicos e enfermeiros especialmente treinados e de outros pais que tenham perdido um bebê por causa da SMSI são fundamentais para ajudar os pais a enfrentar a tragédia. Os especialistas podem recomendar materiais de leitura, websites (visite www.sids.org) e grupos de apoio para ajudar os pais.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Asma
Vídeo
Asma
A asma, ou doença reativa das vias respiratórias, é uma doença crônica que resulta na restrição...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS