Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre transtornos de ansiedade em crianças e adolescentes

Por

Josephine Elia

, MD, Sidney Kimmel Medical College of Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa mar 2019| Última modificação do conteúdo mar 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Os transtornos de ansiedade são caracterizados por medo, preocupação ou terror que prejudicam significativamente o desempenho e são desproporcionais às circunstâncias.

  • Há muitos tipos de transtornos de ansiedade, distinguidos pelo foco principal do medo ou da preocupação.

  • Mais comumente, as crianças se recusam a ir à escola e com frequência usam sintomas físicos, como uma dor de estômago, como motivo.

  • Os médicos em geral baseiam o diagnóstico nos sintomas, mas às vezes fazem exames para descartar transtornos que podem causar sintomas frequentemente causados pela ansiedade.

  • Terapia comportamental é com frequência suficiente, mas se a ansiedade for grave, medicamentos podem ser necessários.

Todas as crianças sentem ocasionalmente alguma ansiedade. Crianças com três e quatro anos de idade, por exemplo, com frequência têm medo do escuro e de monstros. Crianças mais velhas e adolescentes com frequência ficam ansiosas quando resumem um livro na frente dos seus colegas de classe. Tais medos e ansiedades não são sinais de um transtorno. Contudo, se as crianças ficarem tão ansiosas a ponto de não poderem funcionar ou se ficarem muito angustiadas, elas podem ter um transtorno de ansiedade. Em algum momento durante a infância, cerca de 10 a 15% das crianças experimentam um transtorno de ansiedade.

As pessoas podem herdar uma tendência para serem ansiosas. Pais ansiosos tendem a ter filhos ansiosos.

Os transtornos de ansiedade incluem

Sintomas

Muitas crianças com um transtorno de ansiedade se recusam a ir à escola. Elas podem sofrer de ansiedade de separação, ansiedade social ou transtorno do pânico, ou de uma combinação deles.

Algumas crianças falam especificamente sobre sua ansiedade. Por exemplo, elas podem dizer “acho que nunca mais vou ver você” (ansiedade de separação) ou “acho que as outras crianças vão rir de mim” (transtorno de ansiedade social). Contudo, a maioria das crianças se queixa de sintomas físicos, como dor de estômago. Essas crianças estão frequentemente dizendo a verdade, porque a ansiedade com frequência causa mal-estar gástrico, náusea e dores de cabeça nas crianças.

Muitas crianças com transtorno de ansiedade lutam com a ansiedade até a idade adulta. No entanto, com tratamento precoce, muitas crianças aprendem a controlar a ansiedade.

Diagnóstico

  • Sintomas

Os médicos em geral diagnosticam o transtorno de ansiedade quando a criança ou seus pais descrevem sintomas característicos. Os médicos, contudo, podem ser enganados pelos sintomas físicos que a ansiedade pode causar e fazer exames para distúrbios físicos antes de um transtorno de ansiedade ser considerado.

Tratamento

  • Terapia comportamental

  • Às vezes medicamentos

Caso a ansiedade seja leve, terapia comportamental sozinha é em geral suficiente. Os terapeutas expõem as crianças à situação que desencadeia a ansiedade e ajudam a criança a permanecer na situação. Assim, as crianças são gradualmente dessensibilizadas e sentem menos ansiedade. Sempre que apropriado, tratar ao mesmo tempo a ansiedade dos pais com frequência ajuda.

Caso a ansiedade seja grave, podem ser usados medicamentos. Um tipo de antidepressivo chamado inibidor seletivo de recaptação da serotonina (ISRS), como a fluoxetina ou a sertralina, é em geral a primeira escolha se for necessário tratamento farmacológico de longa duração. A maioria das crianças pode tomar ISRSs sem nenhum problema. Contudo, algumas crianças apresentam enjoo, diarreia, insônia ou ganho de peso. Algumas se tornam inquietas ou mais impulsivas. Têm havido preocupações de que os antidepressivos podem causar um ligeiro aumento no risco de ideação suicida em crianças e adolescentes ( Medicamentos antidepressivos e suicídio).

Benzodiazepínicos, um tipo de sedativo, costumam ser utilizados caso seja necessário tratamento farmacológico apenas por um curto período de tempo (por exemplo, porque a criança está se sentido muito ansiosa em relação a um procedimento médico).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Administração de insulina
Vídeo
Administração de insulina
O diabetes é um quadro clínico que se desenvolve devido a concentrações elevadas de glicose...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Como a insulina funciona
Modelo 3D
Como a insulina funciona

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS