Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Transtorno de excitação genital persistente

Por

Allison Conn

, MD, Baylor College of Medicine, Texas Children's Pavilion for Women;


Kelly R. Hodges

, MD, Baylor College of Medicine, Texas Children's Pavilion for Women

Última revisão/alteração completa ago 2021| Última modificação do conteúdo ago 2021
Clique aqui para a versão para profissionais

O transtorno de excitação genital persistente é a excitação física (genital) indesejada excessiva, envolvendo o aumento do fluxo sanguíneo para os órgãos genitais e aumento das secreções vaginais, sem qualquer desejo de atividade sexual.

A causa do transtorno de excitação genital persistente é desconhecida. Ele pode ser desencadeado por atividade sexual ou não sexual ou por nenhum estímulo aparente. A ansiedade e a preocupação sobre quando o transtorno ocorrerá novamente podem perpetuá-la. Músculos pélvicos tensos podem contribuir para os sintomas, que incluem formigamento ou sensação latejante persistente e desconfortável ao redor da região genital e dentro dela.

No transtorno de excitação genital persistente, mudanças físicas que normalmente são desencadeadas por estimulação sexual ocorrem mesmo que a mulher não tenha desejo de se envolver em atividade sexual nem esteja mental ou emocionalmente (subjetivamente) excitada. O fluxo sanguíneo para o clitóris aumenta, fazendo com que o clitóris (que corresponde ao pênis) e as paredes vaginais inchem (um processo denominado ingurgitamento). O aumento do fluxo sanguíneo faz com que as secreções vaginais (que fornecem lubrificação) aumentem. A área genital pode formigar ou pulsar. As sensações persistem por horas ou dias. A maioria das mulheres considera essas mudanças intrusivas e fica angustiada e envergonhada com elas.

O médico faz o diagnóstico do transtorno de excitação genital persistente com base nos sintomas característicos, mas apenas quando a mulher se sente muito angustiada com os sintomas.

Tratamento

  • Fisioterapia do assoalho pélvico

  • Psicoterapias

O tratamento do transtorno de excitação genital persistente é incerto.

No começo, orgasmos (incluindo os autoestimulados) talvez tragam alívio temporário, mas muitas vezes eles começam a perder a eficácia, além de serem uma solução insatisfatória e impraticável.

Fisioterapia do assoalho pélvico, incluindo exercícios de relaxamento da musculatura com biofeedback Biofeedback O biofeedback, um tipo de medicina de interação mente-corpo, é um método usado para fazer com que os processos biológicos inconscientes sejam controlados de maneira consciente. No biofeedback... leia mais talvez ajude, sobretudo quando combinada com terapia cognitiva baseada na atenção plena (MBCT, do inglês mindfulness-based cognitive therapy). Atenção plena envolve concentrar-se no que está acontecendo no momento. A MBCT combina terapia cognitiva baseada na atenção plena e terapia cognitivo-comportamental.

O simples reconhecimento da existência desse transtorno, com a garantia de que ele pode se resolver espontaneamente, pode ajudar algumas mulheres. Informações sobre o transtorno e apoio também são úteis, assim como o tratamento específico da ansiedade, incluindo psicoterapia e/ou medicamentos.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS