honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Fratura do crânio

Por

James E. Wilberger

, MD, Drexel University College of Medicine;


Gordon Mao

, MD, Allegheny Health Network

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais

Uma fratura do crânio é uma quebra de um osso que rodeia o cérebro.

  • Fraturas do crânio podem ocorrer com ou sem danos cerebrais.

  • Os sintomas podem incluir, dor, sintomas de dano cerebral e, em determinadas fraturas, extravasamento de líquido do nariz ou dos ouvidos ou lesões atrás dos ouvidos ou em torno dos olhos.

  • É usada a tomografia computadorizada para diagnosticar fraturas do crânio.

  • Muitas fraturas do crânio não requerem qualquer tratamento.

Fraturas do crânio podem resultar de lesões que rasgam a pele (chamadas de lesões abertas) ou não (chamadas lesões fechadas).

Nos indivíduos com uma fratura de crânio, o dano cerebral pode ser mais grave do que nos que sofreram um traumatismo craniano sem fratura. A gravidade de uma fratura do crânio depende parcialmente do tipo e da localização da fratura. Com frequência, se os ossos do crânio estão fraturados, mas permanecem no lugar, o cérebro não é danificado.

Algumas fraturas do crânio lesionam as artérias e as veias, que sangram nos espaços ao redor do tecido cerebral. Pode haver acúmulo de sangue entre o cérebro e o crânio, causando um hematoma intracraniano.

Algumas fraturas, sobretudo as que têm origem na região posterior e no fundo (base) do crânio, laceram as meninges (as camadas de tecido que revestem o cérebro). Fraturas na base do crânio, que é bastante espessa, indicam que a lesão foi de alto impacto e é mais provável haver dano cerebral.

Se uma fratura rompe a pele, bactérias podem entrar no crânio através dessa fratura, causando infecções e graves danos cerebrais.

Por vezes, fragmentos do osso do crânio fraturado exercem pressão para dentro e danificam o cérebro. Estes tipos de fraturas são chamadas fraturas com afundamento. As fraturas do crânio com afundamento podem expor o cérebro ao ambiente e a materiais estranhos, causando infecções ou formação de abscessos (acúmulos de pus) no cérebro.

Fraturas do crânio em bebês

Nos bebês que apresentam uma fratura do crânio, por vezes, as meninges que cercam o cérebro projetam‑se através da fratura e ficam presas por esta, formando um saco cheio de líquido, designado fratura em crescimento ou cisto leptomeníngeo. O saco aparece ao longo de 3 a 6 semanas e pode ser a primeira evidência de que o crânio está fraturado.

Sintomas

Existem determinados sintomas que sugerem uma fratura na base do crânio:

  • Líquido cefalorraquidiano, líquido transparente que circula pela superfície do cérebro entre as meninges, pode sair pelo nariz (rinorreia) ou pelos ouvidos (otorreia).

  • Pode acumular-se sangue atrás do tímpano ou, se o tímpano for perfurado, poderá sair sangue do ouvido.

  • Podem formar-se hematomas atrás da orelha (sinal de Battle) ou à volta dos olhos (olhos de guaxinim).

Pode acumular-se sangue nos seios, que poderão também estar fraturados.

Se a fratura danificou o cérebro, a pessoa pode ter os seguintes sintomas:

  • Sonolência e confusão persistentes ou crescentes

  • Vômitos repetidos

  • Dor de cabeça intensa

  • Incapacidade de sentir ou mover um braço ou perna

  • Dificuldade de reconhecer as pessoas ou o ambiente

  • Perda de equilíbrio

  • Dificuldade em falar ou enxergar

  • Falta de coordenação

Diagnóstico

  • Tomografia computadorizada

Os médicos suspeitam de uma fratura do crânio baseados nas circunstâncias, sintomas e resultados de um exame físico nas pessoas que sofreram um traumatismo craniano.

Para confirmar uma fratura do crânio, os médicos recorrem a tomografia computadorizada (TC). A TC é mais eficaz do que a imagem por ressonância magnética (RM) para diagnosticar fraturas do crânio. No entanto, a TC ou a RM são geralmente feitas para avaliar se há danos cerebrais.

As radiografias do crânio raramente são úteis em pessoas que sofreram um traumatismo craniano.

Did You Know...

  • As radiografias do crânio raramente são úteis em pessoas que sofreram um traumatismo craniano.

Tratamento

  • Para a maioria das fraturas, observação no hospital

  • Às vezes, cirurgia para remover materiais estranhos e/ou colocar fragmentos do crânio de volta ao lugar

A maioria das pessoas com fraturas do crânio sem lesões cerebrais é hospitalizada e vigiada. As pessoas que desenvolvem convulsões precisam de anticonvulsivantes. Com exceção das fraturas da base do crânio e das fraturas do crânio com afundamento, a maioria das fraturas do crânio não requerem qualquer tratamento específico.

Fraturas na base do crânio

As pessoas com uma fratura da base do crânio são hospitalizadas. É necessário repouso na cama e elevação da cabeça até o líquido cefalorraquidiano parar de vazar. A pessoa deve evitar assoar o nariz, pois, frequentemente, um seio perto do nariz está também fraturado. Se for esse o caso, assoar o nariz pode fazer com que o ar do nariz se espalhe para outras partes da face ou da cabeça.

A maioria dos rasgões meníngeos fecha espontaneamente no prazo de 48 horas ou, pelo menos, no prazo de uma semana após a lesão.

Se o líquido cefalorraquidiano continuar vazando, os médicos podem, por vezes, drenar o líquido inserindo uma pequena agulha na parte inferior da coluna. Se a perda de líquido persistir, o vazamento é fechado cirurgicamente.

Fraturas do crânio com afundamento

Fraturas do crânio deprimidas aumentam o risco de infecções, pois podem expor o cérebro ao ambiente externo. Então, os médicos tentam prevenir a infecção e a formação de abscessos retirando os materiais estranhos e o tecido morto e reparando o dano, tanto quanto possível. Para isso, levantam os fragmentos do crânio, colocam-nos de novo na sua posição e suturam a ferida.

Fraturas do crânio em crianças

Uma criança com uma fratura do crânio é hospitalizada se

  • Os sintomas sugerirem uma possível lesão cerebral.

  • Ela tiver ficado inconsciente, mesmo que apenas por breves momentos.

  • Os sintomas ou achados da TC sugerirem uma fratura na base do crânio.

  • A fratura ocorrer em um bebê.

  • Os médicos suspeitarem de maus‑tratos.

O tratamento de cistos leptomeníngeos pode envolver apenas vigilância, visto que, por vezes, estes sacos cheios de líquido se curam sozinhos. Em crianças que desenvolvem ou correm o risco de desenvolver problemas, como pressão no cérebro ou infecção, os médicos inserem um cateter no cisto e o drenam cirurgicamente. Então, eles consertam as meninges que formaram o cisto.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS