Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Lesão da medula espinhal em crianças

Por

James E. Wilberger

, MD, Drexel University College of Medicine;


Gordon Mao

, MD, Allegheny Health Network

Última revisão/alteração completa dez 2019| Última modificação do conteúdo dez 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A medula espinhal é uma estrutura comprida, frágil e fusiforme, que começa no final do tronco cerebral e se estende até a parte inferior da coluna. É constituída por nervos que transportam as mensagens de entrada e de saída entre o cérebro e o resto do organismo. (Consulte também Medula espinhal)

Embora crianças com menos de dez anos de idade tenham as menores taxas de lesão da medula espinhal, essas não são raras. A maioria das lesões da medula espinhal em crianças ocorre na região do pescoço.

Em crianças com menos de oito anos de idade, lesões da medula espinhal no pescoço são mais comumente causadas por acidentes com veículos motorizados, quedas e maus-tratos. Em crianças com mais de oito anos, acidentes com veículos motorizados e lesões provocadas por esportes, principalmente devido a ginástica, mergulho, equitação, futebol americano e lutas, são causas comuns de lesões da coluna. Em comparação a adultos, as crianças têm características anatômicas distintas (como uma maior relação do tamanho da cabeça para o tamanho do corpo e elasticidade dos ligamentos da coluna) que tornam as estruturas protetoras da medula espinhal (incluindo as vértebras) mais flexíveis. Como essas estruturas são tão flexíveis, a medula espinhal pode estar menos protegida contra estiramento, dilaceramento, compressão ou outras formas de danos quando o pescoço é lesionado. Assim, a medula espinhal pode ter mais propensão a ser lesionada mesmo quando as vértebras não o são.

Crianças com lesão da medula espinhal podem apresentar sintomas breves, como formigamento e fraqueza. As crianças também podem ter dores agudas pela espinha, nos braços ou nas pernas. Em cerca de 25% das crianças afetadas, o surgimento dos sintomas, como fraqueza, dormência, danos a outros nervos ou mesmo paralisia completa, demora de 30 minutos a quatro dias após a lesão, fazendo com que seja mais difícil para os médicos diagnosticarem a lesão da medula espinhal.

A lesão da medula espinhal que não é vista ao exame de imagem está relacionada com distensão ou estiramento da medula espinhal, pressão nos nervos ou na medula espinhal (compressão da medula espinhal), concussão da medula espinhal (semelhante a concussão cerebral) e lesão aos vasos sanguíneos. A lesão que não é visível nos exames de imagem é chamada de “lesão medular sem anormalidade radiológica” (spinal cord injury without radiologic abnormality, SCIWORA). Este tipo de lesão ocorre quase exclusivamente em crianças e, com frequência, ocorre na região do pescoço. Na SCIWORA, a criança apresenta sintomas que sugerem uma lesão da medula espinhal, mas a coluna vertebral está reta e não são vistas anormalidades ósseas nos estudos de imagem.

Onde a medula espinhal está lesionada?

Onde a medula espinhal está lesionada?

Diagnóstico

  • Radiografias

  • Geralmente, tomografia computadorizada e imagem por ressonância magnética

Os médicos ficam alerta para lesão da medula espinhal em toda criança que tenha estado envolvida em um acidente com veículo motorizado, caído de uma altura maior que 3 metros ou tenha sofrido uma lesão por submersão (por exemplo, mergulhando). A suspeita é maior em crianças que tiveram qualquer sintoma sugestivo de lesão do nervo, como formigamento, fraqueza ou dor lancinante.

Os exames de imagem geralmente começam com radiografias. Se há suspeita de fratura, luxação ou subluxação com base nos achados radiográficos ou devido ao modo como a lesão ocorreu, geralmente é feita uma tomografia computadorizada (TC). Imagem por ressonância magnética (RM) geralmente também é feita.

Às vezes, uma lesão da medula espinhal pode não ser vista em exames de imagem.

Tratamento

  • Imobilização

  • Cuidados de apoio

  • Reabilitação

  • Às vezes, cirurgia e reabilitação pós-cirúrgica

Crianças com uma lesão da medula espinhal devem ser transferidas para um centro de traumatologia pediátrica.

O tratamento é semelhante ao tratamento de lesão medular em adultos, incluindo imobilização e suporte respiratório e circulatório, conforme necessários. A cirurgia é feita em crianças com menos frequência do que em adultos com lesão da medula espinhal

Reabilitação de longo prazo e outros tratamentos são necessários.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Terapia de células-tronco alogênicas
Vídeo
Terapia de células-tronco alogênicas
Células-tronco são células ímpares localizadas na medula óssea ou no sangue periférico capazes...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Tórax
Modelo 3D
Tórax

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS