Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Intoxicação por peixe e mariscos

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Grand Strand Medical Center

Revisado/Corrigido: mai 2022
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
Fatos rápidos

Certos tipos de peixes ou mariscos frescos ou congelados podem conter toxinas que podem causar uma variedade de sintomas.

Vômitos e diarreia (gastroenterite Considerações gerais sobre a gastroenterite A gastroenterite é uma inflamação do revestimento gástrico e dos intestinos grosso e delgado. É normalmente causada pela infecção por um micro-organismo, mas também pode ser causada pela ingestão... leia mais Considerações gerais sobre a gastroenterite ) causados por toxinas são diferentes da gastroenterite causada pela ingestão de peixe (ou qualquer outro alimento) que tenha sido contaminado por bactérias ou vírus causadores de doenças.

Há três tipos comuns de intoxicação causada pela ingestão de peixes:

  • Ciguatera

  • Tetrodotoxina

  • Escombrídeo

Intoxicação por ciguatera

A intoxicação por ciguatera pode ocorrer depois de comer uma das mais de 400 espécies de peixes dos recifes tropicais da Flórida, das Índias Ocidentais ou do Pacífico. A toxina é produzida por determinados dinoflagelados, que são organismos marinhos microscópicos que os peixes ingerem. A toxina acumula-se na carne. Peixes mais velhos e maiores (como garoupa, pargo e peixe-espada) são mais tóxicos do que os menores, mais jovens. O sabor do peixe não se altera. O processamento de alimentos, incluindo cozedura, não consegue destruir a toxina.

Os sintomas iniciais - cólicas abdominais, enjoos, vômitos e diarreia - podem começar 2 a 8 horas após a ingestão do peixe e durar entre 6 e 17 horas. Os sintomas posteriores podem incluir:

  • Coceira

  • Sensação de formigamento

  • Dor de cabeça

  • Dores musculares

  • Uma alternância de sensações de calor e frio

  • Dores faciais

Durante meses depois, sensações incomuns e nervosismo podem persistir.

Os médicos podem tratar as pessoas afetadas com manitol por via intravenosa (um medicamento que reduz o inchaço e a pressão), mas não existem certezas quanto aos benefícios.

Intoxicação por tetrodotoxina

A intoxicação por tetrodotoxina é mais comum no Japão, devido à ingestão do baiacu (fugu), que naturalmente contém essa toxina em certos órgãos. No entanto, mais de 100 outras espécies de água doce e salgada também contêm tetrodotoxina.

Os sintomas iniciais incluem dormência da face e dos membros, seguido por aumento da salivação, náuseas, vômitos, diarreia e dor abdominal. Se for ingerida uma grande quantidade da toxina, os músculos podem ficar paralisados e pode ocorrer morte devido a paralisia dos músculos que regulam a respiração. A toxina não pode ser destruída por cozedura nem por congelamento.

Não existe tratamento específico para intoxicação por tetrodotoxina, mas pessoas cuja respiração está paralisada podem precisar ser colocadas em uma máquina de respiração (ventilador Ventilação mecânica A ventilação mecânica é o uso de uma máquina para auxiliar a entrada e a saída de ar nos pulmões. Alguns indivíduos com insuficiência respiratória necessitam de um ventilador mecânico (uma máquina... leia mais ).

Intoxicação por escombroide

Após captura de peixes como cavala, atum, bonito, peixe-serra, golfinho azul (mahi-mahi), os tecidos dos peixes se decompõem e produzem níveis altos de histamina. Depois da sua ingestão, a histamina provoca um rubor facial imediato. Também pode provocar enjoos, vômitos, dor de estômago e urticária Urticária A urticária consiste em inchaços avermelhados, levemente salientes, que coçam. O inchaço é causado pela liberação de substâncias químicas (como a histamina) dos mastócitos na pele, que causam... leia mais Urticária poucos minutos após o consumo do peixe. Os sintomas, geralmente confundidos com os de uma alergia a frutos do mar, costumam durar menos de 24 horas. O peixe pode ter um sabor apimentado ou amargo. Ao contrário de outras intoxicações por peixe, esta intoxicação pode ser prevenida mantendo adequadamente o peixe após ser capturado.

Como os sintomas são causados pela histamina, eles podem ser aliviados com medicamentos anti-histamínicos, como a difenidramina.

Intoxicação por mariscos

A intoxicação por mariscos nos EUA pode ocorrer de junho até outubro, sobretudo no Pacífico e no litoral da Nova Inglaterra. Mariscos como os mexilhões, as amêijoas, as ostras e as vieiras, podem ingerir determinados dinoflagelados venenosos no momento em que a água adquire um aspecto avermelhado, conhecido como maré vermelha.

Os dinoflagelados produzem uma toxina que afeta os nervos (as neurotoxinas). A toxina, saxitoxina, que causa a designada intoxicação paralítica por molusco continua ativa mesmo depois de se ter cozido os alimentos.

O primeiro sintoma, uma sensação de formigamento à volta da boca, começa entre 5 e 30 minutos depois de comer. Enjoo, vômito e cólicas abdominais desenvolvem-se a seguir, seguidos de fraqueza muscular. Raramente, a fraqueza progride para paralisia dos braços e pernas. A fraqueza dos músculos necessários para a respiração pode ser suficientemente grave para levar à morte a menos que a pessoa seja conectada a uma máquina de respiração (ventilador). Quem sobrevive geralmente recupera completamente.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS