Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Vacina contra a varicela

Por

Margot L. Savoy

, MD, MPH, Lewis Katz School of Medicine at Temple University

Última revisão/alteração completa ago 2019| Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

A vacina contra a varicela ajuda a proteger contra a catapora (varicela), uma infecção muito contagiosa causada pelo vírus da varicela zóster. Ela causa erupção cutânea com prurido que se parece com pequenas bolhas com uma base vermelha. Em algumas pessoas, o cérebro, os pulmões e o coração podem ser infectados, o que resulta em uma doença séria ou morte. O vírus permanece no corpo após a resolução da doença. Se for reativado, ele pode causar cobreiro anos depois.

Para obter mais informações, consulte a Declaração de informações sobre a vacina contra catapora dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças) (CDC).

Administração

A vacinação contra a varicela é parte do esquema recomendado de vacinação das crianças. A vacina é dada como injeção sob a pele. São administradas duas doses: entre os 12 e os 15 meses e entre os 4 e os 6 anos. Também é recomendada para todos os adolescentes e adultos que não tiveram a vacina ou a doença. Ela é administrada a eles em duas doses com intervalo de quatro a doze semanas entre elas.

Certos quadros clínicos podem afetar se e quando as pessoas são vacinadas (consulte também CDC: Quem NÃO deve ser vacinado com essas vacinas?). Se as pessoas tiverem uma doença temporária, os médicos costumam aguardar para administrar a vacina até que a doença esteja curada.

Como a vacina contém o vírus vivo, ela não é administrada a grávidas, a pessoas cujo sistema imunológico se encontre debilitado ou a pessoas com câncer da medula óssea ou do sistema linfático.

Efeitos colaterais

A vacina contra varicela é muito segura e os efeitos colaterais comuns são leves. Eles incluem dor, inchaço e vermelhidão no local da injeção, febre, e dor e rigidez articular temporárias.

Muito ocasionalmente, desenvolve-se erupção cutânea parecida com a catapora. As pessoas que desenvolverem essa erupção cutânea após a vacina devem evitar cuidadosamente o contato com pessoas que tenham o sistema imunológico enfraquecido até depois de a erupção cutânea sarar.

Tomar aspirina e medicamentos relacionados (salicilatos) após a vacinação pode causar um distúrbio raro mas sério chamado Síndrome de Reye em crianças com menos de 16 anos de idade. Assim, essas crianças não devem receber esses medicamentos durante 6 semanas após a vacinação.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre a COVID-19
Vídeo
Considerações gerais sobre a COVID-19
Modelos 3D
Visualizar tudo
Catapora
Modelo 3D
Catapora

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS