Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Ordens de não ressuscitação (DNR)

Por

Charles Sabatino

, JD, American Bar Association

Avaliado clinicamente mai 2021
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
Recursos do assunto

Uma ordem para não ressuscitação (do not resuscitate, DNR) arquivada no prontuário médico da pessoa por um médico informa à equipe médica que a ressuscitação cardiorrespiratória Parada cardíaca e reanimação cardiopulmonar A parada cardíaca ocorre quando o coração deixa de bombear sangue e oxigênio para o cérebro e para outros órgãos e tecidos. Às vezes, uma pessoa pode ser reanimada após a parada cardíaca, especialmente... leia mais Parada cardíaca e reanimação cardiopulmonar (RCP) não deve ser realizada. Como a RCP não é realizada, outras medidas de ressuscitação que se seguem (como estímulos elétricos ao coração e respiração artificial através da inserção de um tubo de respiração) também serão evitadas. Essa ordem deve ser útil na prevenção de tratamento desnecessário e não desejado no fim da vida. A taxa de sucessos de RCP próximo ao fim da vida é extremamente baixa. (Consulte também Considerações gerais sobre questões éticas e jurídicas nos cuidados com a saúde Considerações gerais sobre questões éticas e jurídicas nos cuidados com a saúde A lei tem muito a dizer sobre o processo decisório pessoal. Por exemplo, as pessoas têm o direito legal de tomar as próprias decisões sobre sua saúde. Contudo, problemas de saúde podem comprometer... leia mais .)

Como parte do planejamento de cuidados de pacientes gravemente doentes, os médicos devem conversar com os pacientes gravemente doentes sobre a possibilidade de uma parada cardiorrespiratória (quando o coração para e a respiração cessa) em face do seu quadro clínico imediato, descrever os procedimentos e os prováveis resultados da RCP e perguntar aos pacientes sobre as preferências de tratamento. Se uma pessoa for incapaz de tomar uma decisão sobre RCP, um substituto autorizado pode tomar a decisão.

Uma DNR não significa "não tratar". Significa apenas que a RCP não será realizada. Outros tratamentos (por exemplo, tratamento com antibiótico, transfusões, diálise ou uso de ventilador) que podem prolongar a vida, podem ainda ser fornecidos. Dependendo da doença da pessoa, esses outros tratamentos têm geralmente maior probabilidade de serem bem-sucedidos que RCP. O tratamento que mantém a pessoa sem dor e confortável (chamado de cuidado paliativo) sempre deve ser fornecido.

Todos os estados também dispõem sobre ordens de DNR especiais que tenham validade fora dos hospitais, onde quer que a pessoa esteja na comunidade. Esses documentos são chamados de ordens de DNR fora do hospital, ordens de cuidado paliativo, ordens de não RCP ou outros termos. Geralmente, é exigida a assinatura do médico e do paciente (ou do substituto do paciente) e é fornecido um formulário de identificação rápida visualmente diferente, um bracelete ou um colar para que a equipe de serviços médicos de urgência possa identificar. Essas solicitações são especialmente importantes para doentes terminais que vivem na comunidade e que desejem apenas o cuidado paliativo, sem ressuscitação, se seu coração e respiração pararem. Os testamentos em vida e procurações para saúde geralmente não têm valor em situações de emergência. Além disso, primeiros socorristas são quase sempre obrigados a iniciar o apoio à vida, a menos que haja uma ordem válida de DNR e ela seja apresentada a eles. Muitos estados estão incorporando agora a situação de DNR em uma ordem médica portátil, chamada ordens médicas para o tratamento de prolongamento da vida Ordens do médico para tratamento de prolongamento da vida (POLST) Uma ordem para não ressuscitação (do not resuscitate, DNR) arquivada no prontuário médico da pessoa por um médico informa à equipe médica que a ressuscitação cardiorrespiratória (RCP) não deve... leia mais .

Termos clínicos relacionados ao tratamento de prolongamento da vida

Ressuscitação cardiorrespiratória (RCP): Uma ação tomada para reanimar uma pessoa cujo coração parou (parada cardíaca), respiração parou (parada respiratória) ou que o coração e a respiração pararam (parada cardiorrespiratória).

Código: A chamada de profissionais treinados em RCP para reanimar uma pessoa que tenha sofrido uma parada cardíaca, respiratória ou cardiorrespiratória.

Sem código: Uma ordem assinada pelo médico da pessoa que declare que a RCP não deve ser realizada. (Também chamada de ordem de não ressuscitação [DNR].)

Coma irreversível: Um coma ou estado vegetativo persistente do qual não se espera que a pessoa se restabeleça.

Estado vegetativo persistente: Um estado no qual a pessoa não tenha consciência, mas ainda possa ter algumas características que podem simular consciência, como abrir seus olhos, ter períodos de sono e despertar normais, sugar, mastigar, tossir, engasgar e deglutir.

Doença terminal: O estado clínico de morte próxima em que não existe possibilidade de cura.

Tratamento de prolongamento da vida: Qualquer procedimento médico, medicamento ou tecnologia que possa manter uma pessoa viva por um período, mas que não possa curar uma doença terminal.

Cuidado paliativo Cuidados paliativos Os cuidados paliativos são um conceito e um programa de tratamento especificamente planejados para reduzir o sofrimento para pessoas em estado terminal e seus familiares. Nos Estados Unidos... leia mais : Tratamento médico especializado com o objetivo de manter uma pessoa sem dor e estresse decorrentes de uma doença grave, independente do diagnóstico, e que é realizado para confortar a pessoa e melhorar a qualidade de vida para a pessoa e sua família.

Ordens do médico para tratamento de prolongamento da vida (POLST)

Cada vez mais estados e programas locais orientam uma série de tratamentos de prolongamento da vida emergenciais além da ressuscitação cardiorrespiratória (RCP) para pessoas com doença avançada Cuidados paliativos Os cuidados paliativos são um conceito e um programa de tratamento especificamente planejados para reduzir o sofrimento para pessoas em estado terminal e seus familiares. Nos Estados Unidos... leia mais . Esses programas são habitualmente chamados de ordens do médico para tratamento de prolongamento da vida ou POLST (Physician Orders for Life-Sustaining Treatment), mas podem ter outros nomes, incluindo ordens médicas para tratamento de prolongamento da vida (Medical Orders for Life-Sustaining Treatment, MOLST), ordens do médico para escopo do tratamento (Physician Orders for Scope of Treatment, POST), ordens médicas para escopo do tratamento (Medical Orders for Scope of Treatment, MOST), ordens médicas para tratamento de prolongamento da vida (Clinical Orders for Life-Sustaining Treatment, COLST) e ordens do médico transportáveis para as preferências dos pacientes (Transportable Physician Orders for Patient Preferences, TPOPP).

Os programas POLST e similares envolvem uma discussão iniciada pelo médico e um processo decisório dividido com as pessoas com doenças avançadas ou em estado terminal. Resulta em um conjunto portátil de ordens médicas, de acordo com os objetivos de tratamento da pessoa, orientado pelos desejos da pessoa em relação ao uso de RCP, ao nível geral de intervenção médica desejada (por exemplo, tratamento completo, apenas cuidados de conforto, ou algum nível intermediário) e se se deve procurar ou evitar a hospitalização. A maioria dos programas POLST também aborda nutrição e hidratação artificiais. Alguns estados abordam considerações adicionais, como a utilização de um ventilador ou de antibióticos que poderiam ser usados em uma crise de saúde. POLST aplica-se a todas as situações de cuidados médicos. Em uma crise de saúde, técnicos de emergência e outros profissionais de saúde devem primeiramente seguir as POLST. Se uma ação imediata não for essencial, as POLST devem ser analisadas com a pessoa sempre que sua condição mudar significativamente, que os locais de cuidados mudarem ou que a pessoa decida modificar seus desejos. Para pessoas sem capacidade de tomar decisões, seus substitutos autorizados podem agir em seu nome. POLST difere de instruções prévias, pois se aplica apenas às pessoas com doença avançada, fornece um plano de tratamento na forma de ordens médicas para decisões de emergência e enfoca o estado atual da pessoa, não o estado hipotético futuro.

POLST e programas similares não existem em todos os estados ou na comunidade, mas seu desenvolvimento se espalha rapidamente.

Tabela
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS