honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Excesso de zinco

Por

Larry E. Johnson

, MD, PhD, University of Arkansas for Medical Sciences

Última revisão/alteração completa jun 2020| Última modificação do conteúdo jun 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

O excesso de zinco ocorre quando existe um excesso do mineral zinco no organismo.

O zinco é amplamente distribuído no organismo – nos ossos, dentes, cabelo, pele, fígado, músculos, glóbulos brancos e testículos. É componente de mais de 100 enzimas, incluindo algumas implicadas na formação de ácido ribonucleico (RNA) e ácido desoxirribonucleico (DNA). (Ver também Considerações gerais sobre minerais.)

A concentração de zinco no sangue depende da alimentação. O zinco é necessário para que a pele fique saudável, para que as feridas cicatrizem e para o crescimento.

As pessoas raramente consomem zinco em excesso. Geralmente, o excesso de zinco resulta do consumo de alimentos ácidos ou de bebidas enlatadas em recipientes com revestimento de zinco (galvanizadas). Em certas indústrias, a inalação de vapores de óxido de zinco pode resultar em excesso de zinco.

As pessoas podem apresentar náuseas, vômitos e diarreia. A inalação de vapores de óxido de zinco pode causar respiração rápida, sudorese, febre e um gosto metálico na boca, uma doença chamada febre do fumo metálico. O consumo excessivo e prolongado de zinco pode reduzir a absorção de cobre, causar anemia e afetar o sistema imunológico.

Diagnóstico

  • Avaliação médica

O médico suspeita da presença de excesso de zinco tomando por base as circunstâncias e os sintomas da pessoa.

Tratamento

  • Alterações nutricionais

O tratamento consiste em reduzir o consumo de zinco.

Pessoas com febre do fumo metálico geralmente se recuperam depois de ficar em um ambiente livre de zinco por de 12 a 24 horas.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS