Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Estenose aórtica

Por

Guy P. Armstrong

, MD, North Shore Hospital, Auckland

Última revisão/alteração completa mar 2018| Última modificação do conteúdo abr 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A estenose aórtica é um estreitamento da abertura da válvula aórtica que bloqueia (obstrui) o fluxo de sangue do ventrículo esquerdo para a aorta.

  • A causa mais comum em pessoas com menos de 70 anos é um defeito congênito que afeta a válvula.

  • Em pessoas com mais de 70 anos, a causa mais comum é o espessamento das cúspides valvares (esclerose aórtica).

  • As pessoas podem sentir um aperto no peito, falta de ar ou desmaiar.

  • Os médicos costumam basear o diagnóstico em um sopro cardíaco característico ouvido através de um estetoscópio e em resultados de ecocardiogramas.

  • As pessoas consultam seus médicos regularmente para que seu quadro clínico possa ser monitorado e aquelas com sintomas possam ser submetidas à substituição da válvula.

A válvula aórtica situa-se na abertura entre o ventrículo esquerdo e a aorta. A válvula aórtica se abre à medida que o ventrículo esquerdo se contrai para bombear sangue na aorta. Se um distúrbio fizer as abas das válvulas ficarem espessas e endurecidas, a abertura das válvulas se torna estreitada (estenose). Às vezes, a válvula endurecida deixa de fechar completamente e ocorre a regurgitação aórtica (refluxo de sangue que vaza pela válvula aórtica toda vez que o ventrículo esquerdo relaxa).

Na estenose aórtica, a parede muscular do ventrículo esquerdo geralmente se torna mais espessa à medida que o ventrículo trabalha mais para bombear sangue através da abertura estreitada da válvula para a aorta. O músculo cardíaco mais espesso requer uma oferta crescente de sangue das artérias coronarianas e, às vezes, o fornecimento de sangue não atende às necessidades do músculo cardíaco, especialmente durante o esforço. O suprimento insuficiente de sangue pode causar aperto torácico, desmaio e, às vezes, morte súbita. O músculo cardíaco também pode começar a enfraquecer, o que leva à insuficiência cardíaca. Raramente, a válvula aórtica anormal pode ser infectada (endocardite infecciosa).

Causas

Na América do Norte e Europa Ocidental, a estenose aórtica é principalmente uma doença de pessoas idosas – o resultado da formação de cicatrizes e do acúmulo de cálcio (calcificação) nas cúspides valvares. Nesses casos, a estenose aórtica se torna evidente após os 60 anos, mas não costuma causar sintomas antes de as pessoas atingirem 70 ou 80 anos.

A estenose aórtica também pode resultar de febre reumática contraída na infância. A febre reumática é a causa mais comum no mundo em desenvolvimento.

Em pessoas com menos de 70 anos, a causa mais comum é um defeito de nascença, como uma válvula com apenas duas cúspides em vez das três habituais ou com uma forma de funil anormal. A abertura da válvula aórtica estreitada pode não ser um problema durante a infância, mas ocorrem problemas quando a pessoa cresce. A abertura da válvula continua do mesmo tamanho, mas o coração cresce e aumenta ainda mais à medida que tenta bombear quantidades crescentes de sangue através da pequena abertura da válvula. Ao longo dos anos, a abertura de uma válvula defeituosa torna-se rígida e estreita devido ao acúmulo de cálcio.

Destaque para Idosos: Esclerose aórtica

Às vezes, cálcio se acumula na válvula aórtica e a válvula fica mais espessa. O espessamento, porém, não afeta o fluxo de sangue através da válvula. Esse distúrbio é chamado esclerose aórtica. Cerca de uma em cada quatro pessoas com mais de 65 anos têm esse distúrbio.

A esclerose aórtica não causa sintomas. Ela pode causar um leve sopro cardíaco que pode ser ouvido por um médico através de um estetoscópio. A esclerose aórtica pode não fazer uma pessoa se sentir diferente, mas aumenta o risco de ataque cardíaco, acidente vascular cerebral ou morte. Consequentemente, identificar e eliminar ou controlar os fatores de risco de esclerose aórtica são medidas importantes para pessoas com esclerose aórtica. Esses fatores de risco incluem tabagismo, hipertensão arterial e colesterol e triglicérides alterados, além de diabetes.

Sintomas

As pessoas que desenvolvem estenose aórtica como resultado de um defeito de nascença podem não desenvolver sintomas até a idade adulta.

Pode ocorrer aperto no peito (angina) durante o esforço. Os sintomas desaparecem com vários minutos de descanso. Pessoas com insuficiência cardíaca desenvolvem fadiga e falta de ar durante o esforço.

As pessoas que têm estenose aórtica grave podem desmaiar durante o esforço, pois a pressão arterial pode cair repentinamente. O desmaio geralmente ocorre sem sintomas de alerta (como tontura ou sensação de desmaio iminente).

Diagnóstico

  • Exame físico

  • Ecocardiograma

Os médicos costumam basear o diagnóstico em um sopro cardíaco característico ouvido através de um estetoscópio e em resultados de ecocardiogramas. O ecocardiograma é o melhor procedimento para avaliar a gravidade da estenose aórtica (pois mede o quão pequena é a abertura da válvula) e a função do ventrículo esquerdo.

Para pessoas que têm estenose aórtica assintomática, os médicos costumam considerar um teste de esforço. As pessoas que apresentam angina, falta de ar ou sensação de desmaio durante o teste de esforço estão em risco de complicações e podem necessitar de tratamento.

Se o teste de esforço for anormal ou se a pessoa desenvolver sintomas, é necessário realizar um cateterismo cardíaco para determinar se ela também tem doença arterial coronariana. O cateterismo cardíaco é feito frequentemente quando se planeja uma cirurgia para substituir uma válvula aórtica. Desta forma, os médicos podem identificar alguma doença arterial coronariana que também poderia ser tratada durante a cirurgia cardíaca.

Tratamento

  • Substituição de válvula

Adultos que têm estenose aórtica assintomática devem consultar seu médico regularmente e evitar a prática de exercícios pesados. É feito um ecocardiograma periodicamente, em intervalos determinados pela gravidade da estenose, para monitorar a função do coração e das válvulas.

Antes da cirurgia, a insuficiência cardíaca é tratada com diuréticos ( Alguns medicamentos empregados no tratamento de insuficiência cardíaca). Tratar a angina frequentemente é difícil, pois a nitroglicerina, que é usada para tratar a angina em pessoas que têm doença arterial coronariana, pode, em raras ocasiões, fazer com que a pressão arterial fique perigosamente baixa e piorar a angina em pessoas com estenose aórtica.

Em pessoas que têm estenose aórtica que causa sintomas (principalmente falta de ar ao esforço, angina ou desmaio), ou se o ventrículo esquerdo começar a falhar, a válvula aórtica é substituída. A substituição cirúrgica da válvula anormal é o melhor tratamento para quase todas as pessoas e o prognóstico após a cirurgia de substituição de válvula é excelente.

Às vezes, em crianças e adultos jovens que nasceram com uma válvula defeituosa, esta pode ter sua abertura ampliada usando um procedimento chamado valvotomia por balão. Neste procedimento, um cateter com um balão na extremidade é introduzido no coração por uma veia ou artéria ( Cateterismo cardíaco). Uma vez chegando na válvula, o balão é inflado, e as cúspides da válvula são separadas.

Cada vez mais, pessoas idosas frágeis, com risco moderado a elevado de complicações durante a cirurgia, podem fazer a substituição das válvulas através de um cateter inserido na artéria femoral em um procedimento chamado substituição de válvula aórtica transcateter (SVAT). Em alguns casos, quando houver doença da artéria periférica nas pernas, esta válvula montada em cateter pode ser inserida por uma pequena incisão no lado esquerdo do tórax (abordagem transapical) ou mesmo debaixo do ombro (abordagem axilar). A SVAT é geralmente melhor que o tratamento clínico e assemelha-se à substituição cirúrgica da válvula para essas pessoas.

Pessoas com uma válvula artificial devem tomar antibióticos antes de procedimentos cirúrgicos, odontológicos ou médicos ( Exemplos de procedimentos que requerem antibióticos preventivos nos Estados Unidos*) para reduzir o risco de infecção da válvula (endocardite infecciosa).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Compreenda a regurgitação valvar mitral
Vídeo
Compreenda a regurgitação valvar mitral
Uma válvula mitral normal, à esquerda, regula o fluxo de sangue do átrio para o ventrículo...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fibrilação Atrial
Modelo 3D
Fibrilação Atrial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS