Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Tratamento medicamentoso para insuficiência cardíaca

Por

Jonathan G. Howlett

, MD, Libin Cardiovascular Institute of Alberta

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Insuficiência cardíaca é um distúrbio em que o coração não consegue suprir as necessidades do corpo, causando redução do fluxo sanguíneo, refluxo (congestão) de sangue nas veias e nos pulmões e/ou outras alterações que podem debilitar ou enrijecer ainda mais o coração. O tratamento medicamentoso de insuficiência cardíaca envolve

  • Medicamentos para ajudar a aliviar os sintomas: diuréticos, vasodilatadores ou digoxina

  • Medicamentos para ajudar a melhorar a sobrevida: inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ECA), betabloqueadores, antagonistas da aldosterona, bloqueadores dos receptores da angiotensina II (BRAs), inibidores da neprilisina e dos receptores da angiotensina (INRAs), inibidores do cotransportador de sódio-glicose tipo 2 ou inibidores do nódulo sinusal

O tipo de medicamento usado depende do tipo de insuficiência cardíaca. Na insuficiência cardíaca sistólica (insuficiência cardíaca com fração de ejeção reduzida, ICFER), todas as classes de medicamentos são úteis. Na insuficiência cardíaca diastólica (insuficiência cardíaca com fração de ejeção preservada, ICFEP), apenas inibidores da ECA, BRAs, antagonistas da aldosterona e betabloqueadores são normalmente usados. Na insuficiência cardíaca com fração de ejeção na faixa média, os ARNIs podem ser úteis.

É importante que as pessoas tomem seus medicamentos regularmente e se lembrem de pedir uma nova receita antes que o estoque termine.

Antagonistas de aldosterona

A aldosterona é um hormônio que faz com que os rins retenham sal e água. Assim, os antagonistas (bloqueadores) da aldosterona bloqueiam diretamente os efeitos da aldosterona (ao contrário dos inibidores da ECA, que os bloqueiam indiretamente), ajudando a controlar a retenção de líquido. Esses medicamentos melhoram a sobrevida e reduzem a hospitalização em pessoas com insuficiência cardíaca.

Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA)

A angiotensina II é um hormônio que desencadeia a liberação de aldosterona e vasopressina, e ambos fazem com que os rins retenham sal e água. Dessa forma, os inibidores da ECA ajudam a limitar a retenção de líquido e estão entre os medicamentos essenciais no tratamento da insuficiência cardíaca sistólica. Esses medicamentos reduzem os sintomas e a necessidade de hospitalização, além de aumentar a sobrevida. Os inibidores da ECA diminuem os níveis sanguíneos dos hormônios angiotensina II e, consequentemente, aldosterona (que normalmente ajuda a elevar a pressão arterial (veja a figura Regulação da pressão arterial: o sistema renina-angiotensina-aldosterona). Dessa maneira, os inibidores da ECA dilatam as artérias e veias e ajudam os rins a excretar o excesso de água, diminuindo, assim a carga de trabalho do coração. Esses medicamentos também podem ter efeitos benéficos diretos sobre o coração e paredes dos vasos sanguíneos.

Bloqueadores dos receptores da angiotensina II (BRAs)

Os bloqueadores dos receptores de angiotensina II (BRAs) têm efeitos semelhantes aos dos inibidores da ECA. BRAs são usados em vez de inibidores da ECA em algumas pessoas que não toleram os inibidores da ECA devido à tosse, um efeito colateral de inibidores da ECA que é menos provável com os BRAs.

Inibidores da neprilisina e dos receptores de angiotensina

Os inibidores da neprilisina e dos receptores de angiotensina (INRAs) constituem um medicamento combinado mais novo para o tratamento de insuficiência cardíaca. Eles incluem um BRA e uma nova classe do medicamento, inibidores da neprilisina. A neprilisina é uma enzima envolvida na degradação de certas substâncias (peptídeos) que sinalizam ao corpo que excrete sódio. Ao inibir a degradação desses peptídeos, esses medicamentos reduzem a pressão arterial e aumentam a excreção de sódio, diminuindo a carga de trabalho do coração. Esses medicamentos prolongam a vida mais satisfatoriamente do que os inibidores da ECA ou BRAs isoladamente em pessoas com insuficiência cardíaca sistólica.

Betabloqueadores

Betabloqueadores geralmente são usados em associação aos inibidores da ECA e são outro medicamento fundamental no tratamento da insuficiência cardíaca. Esses medicamentos bloqueiam a ação do hormônio noradrenalina (que aumenta a pressão sobre o coração) e produzem melhora de longo prazo da função cardíaca e da sobrevida, sendo assim um tratamento essencial em pessoas com insuficiência cardíaca sistólica. Os betabloqueadores podem reduzir a força de contração do coração inicialmente, por isso, são geralmente aplicados após a insuficiência cardíaca já ter sido estabilizada com outros medicamentos.

Digoxina

Digoxina, um dos medicamentos mais antigos para o tratamento da insuficiência cardíaca, aumenta a força de cada batimento cardíaco e diminui a frequência cardíaca quando esta é muito rápida. A digoxina ajuda a aliviar os sintomas em algumas pessoas com insuficiência cardíaca sistólica, mas, ao contrário de outros medicamentos para insuficiência cardíaca discutidos aqui, não prolonga a vida.

Diuréticos

Diuréticos (“pílulas de água”) são prescritos frequentemente quando a restrição de sal por si só não reduz a retenção de líquidos. Os diuréticos ajudam os rins a eliminarem maior quantidade de sal e água através do aumento da produção de urina e redução do volume de líquido no corpo.

Os diuréticos de alça, como furosemida ou bumetanida, são os diuréticos mais comumente usados ​​para a insuficiência cardíaca. Esses diuréticos normalmente são tomados por via oral em longo prazo, mas, em caso de emergência, eles são muito eficazes quando administrados por via intravenosa. Os diuréticos de alça são mais indicados para insuficiências cardíacas de gravidade moderada a grave.

Diuréticos tiazídicos, tais como hidroclorotiazida, que têm efeitos mais leves e podem reduzir a pressão arterial, podem ser prescritos em especial para pessoas que também têm hipertensão arterial.

Os diuréticos tiazídicos e de alça podem causar perda de potássio pela urina, resultando em hipocalemia. Consequentemente, um diurético que cause aumento dos níveis potássio (um diurético poupador de potássio) ou um suplemento de potássio também podem ser administrados. Para todas as pessoas com insuficiência cardíaca, a espironolactona é o diurético poupador de potássio mais indicado e pode ser usado a menos que haja uma grave redução da função renal. Esse medicamento pode aumentar a sobrevida de pessoas com insuficiência cardíaca.

Tomar diuréticos pode agravar a incontinência urinária. No entanto, uma dose de diurético geralmente pode ser programada para que o risco de incontinência não ocorra quando não há um sanitário disponível ou quando o acesso a um é inconveniente.

Inibidores do nódulo sinusal

O nódulo sinusal é a parte do coração que desencadeia o batimento e define a frequência cardíaca. Ivabradina é o primeiro medicamento nessa classe de medicamentos que diminui a frequência do nódulo sinusal. A desaceleração do coração reduz a carga de trabalho do coração e pode ajudar a reduzir o número de vezes em que certas pessoas com insuficiência cardíaca precisam ser hospitalizadas.

Inibidores do cotransportador de sódio-glicose tipo 2

Os inibidores do cotransportador de sódio-glicose tipo 2 são usados no tratamento de diabetes. Além de reduzir o nível de açúcar (glicose) no sangue, eles também têm efeitos benéficos no músculo cardíaco e nos vasos sanguíneos. Um medicamento dessa classe, dapagliflozina, mostrou diminuir os sintomas de insuficiência cardíaca e melhorar a qualidade de vida em algumas pessoas com insuficiência cardíaca.

Vasodilatadores

Vasodilatadores (medicamentos que dilatam os vasos sanguíneos) facilitam o bombeamento de sangue pelo coração. Esses medicamentos, como hidralazina, dinitrato de isossorbida e adesivos ou spray de nitroglicerina, não são administrados com a mesma frequência que inibidores da ECA ou bloqueadores dos receptores da angiotensina II, que são mais eficazes. No entanto, pessoas que não podem tomar inibidores da ECA ou bloqueadores dos receptores da angiotensina II, ou que não respondem a eles, podem se beneficiar do uso de vasodilatadores. Em algumas pessoas com sintomas avançados, esses medicamentos podem melhorar a qualidade e o tempo de sobrevida quando associados a inibidores da ECA ou angiotensina.

Outros medicamentos usados para insuficiência cardíaca

Outros medicamentos podem ser úteis às vezes.

Anticoagulantes, como varfarina, podem ser administrados para evitar a formação de coágulos nas câmaras do coração.

Se o ritmo cardíaco estiver anormal, podem ser prescritos medicamentos antiarrítmicos (veja a tabela Alguns medicamentos usados no tratamento de arritmias).

Os médicos tentaram usar medicamentos que aumentassem a potência de bombeamento do coração, além de digoxina, mas, até o presente, nenhum deles se mostrou útil e alguns aumentaram o risco de morte.

Tabela
icon

Some Drugs Used to Treat Heart Failure

Medicamento*

Comentários†

Antagonistas de aldosterona

Eplerenona

Espironolactona

Esses medicamentos bloqueiam a ação do hormônio aldosterona, que promove retenção de sal e líquidos e pode provocar efeitos colaterais diretos sobre o coração.

Ambos são diuréticos poupadores de potássio e aumentam a sobrevida e reduzem as hospitalizações.

A eplerenona tem menos chances de causar sensibilidade nas mamas ou seu aumento em homens em comparação com a espironolactona.

Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA)

Captopril

Enalapril

Lisinopril

Perindopril

Quinapril

Ramipril

Trandolapril

Os inibidores da ECA provocam expansão (dilatação) dos vasos sanguíneos, reduzindo, assim, a carga de trabalho do coração.

Eles também podem beneficiar diretamente o coração.

Esses medicamentos são fundamentais no tratamento da insuficiência cardíaca.

Eles reduzem os sintomas, a necessidade de hospitalização e prolongam o tempo de vida.

Bloqueadores dos receptores da angiotensina II

Candesartana

Losartana

Valsartana

Bloqueadores dos receptores da angiotensina II têm efeitos semelhantes aos dos inibidores da ECA e podem ser mais bem tolerados.

Eles podem ser usados ​​em pessoas que não podem tomar um inibidor da ECA.

Inibidor da neprilisina e dos receptores de angiotensina

Valsartana mais sacubitril

O medicamento combinado pode ser administrado a pessoas que têm insuficiência cardíaca sistólica com sintomas leves ou moderados. Nessas pessoas, esse medicamento combinado prolonga a vida mais satisfatoriamente do que um inibidor da ECA usado isoladamente.

As pessoas devem parar de tomar inibidores da ECA pelo menos 36 horas antes de iniciar valsartana/sacubitril.

Betabloqueadores

Bisoprolol

Carvedilol

Metoprolol

Betabloqueadores diminuem a frequência cardíaca e bloqueiam a estimulação excessiva do coração.

Esses medicamentos geralmente são usados em associação com inibidores da ECA e oferecem um benefício adicional.

Eles podem agravar temporariamente os sintomas, mas resultam em melhora da função cardíaca em longo prazo.

Glicosídeo cardíaco

Digoxina

Os glicosídeos cardíacos, como a digoxina, aumentam a força de cada batimento cardíaco e diminuem a frequência cardíaca em pessoas com fibrilação atrial.

Diuréticos de alça

Bumetanida

Ácido etacrínico

Furosemida

Torasemida

Esses diuréticos auxiliam os rins a eliminarem sal e água, reduzindo, assim, o volume de líquido na corrente sanguínea.

Diuréticos poupadores de potássio

Amilorida

Triantereno

Como esses diuréticos previnem a perda de potássio, eles podem ser administrados com tiazida ou diuréticos de alça, que causam perda de potássio.

A espironolactona e a eplerenona são diuréticos poupadores de potássio e também bloqueadores dos receptores de aldosterona.

Inibidores do nódulo sinusal

Ivabradina

A ivabradina pode ser utilizada em certas pessoas que têm insuficiência cardíaca sistólica.

Inibidores do cotransportador de sódio-glicose tipo 2

Esses medicamentos para diabetes também têm efeitos benéficos na insuficiência cardíaca independentemente de as pessoas terem ou não diabetes

Dapagliflozina

Normalmente, não devem ser usados em pessoas que têm pressão arterial baixa ou mau funcionamento renal

Tiazidas e diuréticos tiazídicos

Clortalidona

Hidroclorotiazida

Indapamida

Metolazona

A ação desses diuréticos é similar à dos diuréticos de alça. Esses dois tipos de diuréticos são particularmente eficientes quando associados.

Opioides

Morfina

A morfina pode ser administrada para aliviar a ansiedade em uma emergência médica, como edema pulmonar agudo.

É necessária supervisão cuidadosa.

Vasodilatadores

Hidralazina

Dinitrato de isossorbida

Nitroglicerina

Vasodilatadores provocam a dilatação dos vasos sanguíneos.

Eles são administrados frequentemente em pessoas que não podem usar um inibidor da ECA ou um bloqueador dos receptores da angiotensina II.

A nitroglicerina é particularmente útil para pessoas com insuficiência cardíaca e angina, bem como para aquelas com insuficiência cardíaca aguda.

A combinação de hidralazina e nitratos mostrou-se eficiente, particularmente em afrodescendentes.

* Estes medicamentos específicos foram mais bem estudados para evitar ou tratar a insuficiência cardíaca.

† Alguns efeitos colaterais dos inibidores da ECA, bloqueadores dos receptores da angiotensina II e betabloqueadores estão listados na tabela ({blank} Antihypertensive Drugs).

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS