Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Indigestão

(dispepsia)

Por

Jonathan Gotfried

, MD, Lewis Katz School of Medicine at Temple University

Última revisão/alteração completa mar 2020| Última modificação do conteúdo mar 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A indigestão é uma dor ou desconforto no abdômen superior. As pessoas também podem descrever a sensação como flatulência, sensação de plenitude, ardência ou queimação. A sensação de plenitude pode ocorrer após uma refeição pequena (saciedade precoce), ser uma sensação de plenitude excessiva após uma refeição normal (sensação de plenitude pós-prandial) ou não ter relação com as refeições. Para saber mais sobre o desconforto abdominal, Dor abdominal aguda Dor abdominal aguda A dor abdominal é comum e, geralmente, pouco importante. Dores abdominais graves que surgem rapidamente, porém, quase sempre indicam um problema significativo. A dor pode ser o único sinal da... leia mais .

Como a dispepsia é normalmente um desconforto indeterminado e leve, muitas pessoas não buscam atendimento médico até que a dispepsia esteja presente por um longo período, mesmo que de forma intermitente. Às vezes, a dispepsia é uma sensação mais súbita e perceptível (aguda).

Dependendo da causa da dispepsia, as pessoas podem ter outros sintomas, como falta de apetite, náusea, constipação, diarreia, flatulência e eructação. Alimentar-se piora os sintomas em algumas pessoas. Para outras, alimentar-se alivia os sintomas.

Causas da indigestão

A dispepsia tem muitas causas que, apesar do uso comum do termo “indigestão”, não incluem uma dificuldade em digerir os alimentos.

A dispepsia aguda pode ocorrer logo após a ingestão de

  • Uma refeição grande

  • Álcool

  • Certos medicamentos irritantes (como bifosfonatos, eritromicina, ferro ou medicamentos anti-inflamatórios não esteroides [AINEs])

No caso da dispepsia recorrente, as causas comuns incluem

O esvaziamento gástrico atrasado é uma situação em que os alimentos permanecem no estômago por um período anormalmente longo. O esvaziamento retardado normalmente é causado por um distúrbio (como diabetes, distúrbio do tecido conjuntivo ou distúrbio neurológico) que afeta os nervos do trato digestivo.

A ansiedade por si só não causa dispepsia. Entretanto, a ansiedade pode, às vezes, piorar a dispepsia ao elevar a preocupação da pessoa com sensações incomuns ou desagradáveis, de forma que um desconforto menor se torna muito incômodo.

É muito comum o médico não encontrar nenhuma alteração durante um exame físico ou após examinar o esôfago e o estômago da pessoa com um tubo flexível para visualização (endoscopia digestiva alta) ou realizar exames de imagem ou de laboratório. Nesses casos, conhecidos como dispepsia não ulcerosa (dispepsia funcional), os sintomas da pessoa podem ser decorrentes de uma maior sensibilidade a sensações no estômago ou contrações intestinais.

Avaliação da indigestão

Nem todo episódio de dispepsia requer avaliação imediata por um médico. As seguintes informações podem ajudar as pessoas a decidirem se a avaliação médica é necessária e a saberem o que esperar durante a avaliação.

Sinais de alerta

Em pessoas com dispepsia, certos sintomas e características são motivo de preocupação. Incluem

  • Falta de ar, sudorese ou frequência cardíaca rápida acompanhando um episódio de dispepsia

  • Perda de apetite (anorexia)

  • Náuseas ou vômitos

  • Perda de peso

  • Sangue nas fezes

  • Dificuldade em engolir (disfagia) ou dor ao engolir (odinofagia)

  • Dispepsia que persiste mesmo com tratamento com medicamentos como inibidores da bomba de prótons (IBP)

Quando consultar um médico

Pessoas com um episódio de dispepsia único e súbito devem consultar um médico imediatamente, especialmente se os sintomas forem acompanhados por falta de ar, sudorese ou frequência cardíaca rápida. Tais pessoas podem ter isquemia coronária aguda. Pessoas com dispepsia crônica associada à prática de exercícios e que melhora com repouso podem ter angina Angina Angina é uma dor no peito temporária ou uma sensação de pressão que ocorre quando o músculo cardíaco não está recebendo oxigênio suficiente. O indivíduo com angina costuma sentir desconforto... leia mais e devem consultar um médico em poucos dias.

Pessoas com dispepsia e um ou mais sinais de alerta devem consultar um médico dentro de alguns dias a uma semana. Pessoas com dispepsia recorrente e nenhum sinal de alerta devem ver um médico em algum momento, mas esperar alguns dias não seria prejudicial.

O que o médico faz

Primeiro, os médicos fazem perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, o médico faz um exame físico. O que eles encontram durante a avaliação do histórico e o exame físico geralmente sugere uma causa para a dispepsia e os exames que podem ser necessários ( Algumas causas e características da indigestão Algumas causas e características da indigestão A indigestão é uma dor ou desconforto no abdômen superior. As pessoas também podem descrever a sensação como flatulência, sensação de plenitude, ardência ou queimação. A sensação de plenitude... leia mais ).

O histórico enfoca a obtenção de uma descrição clara dos sintomas, incluindo se são súbitos ou crônicos. Os médicos precisam ser informados sobre o intervalo e a frequência da recorrência, qualquer dificuldade em engolir e se os sintomas ocorrem apenas após comer, ingerir álcool ou usar certos medicamentos. Os médicos também precisam saber quais fatores pioram os sintomas (particularmente esforço, certos alimentos ou álcool) ou os melhoram (particularmente comer ou tomar antiácidos).

Os médicos também perguntam à pessoa sobre sintomas gastrointestinais, como anorexia, náusea, vômito, vômito com sangue (hematêmese), perda de peso e fezes negras ou com sangue. Outros sintomas incluem falta de ar e sudorese.

Os médicos precisam saber se a pessoa foi diagnosticada com distúrbio gastrointestinal e/ou cardíaco, se ela tem algum fator de risco cardíaco (como pressão arterial alta [hipertensão ] ou quantidade excessiva de colesterol no sangue [hipercolesterolemia Dislipidemia Dislipidemia significa um nível elevado de lipídios (colesterol, triglicerídeos ou ambos) ou um nível baixo de colesterol do tipo lipoproteína de alta densidade (HDL). O estilo de vida, a genética... leia mais Dislipidemia ]) e os resultados de exames prévios e tratamentos que foram tentados.

O exame físico normalmente não dá pistas de um diagnóstico específico aos médicos. Entretanto, os médicos procuram sinais de doença crônica, como pele muito pálida, atrofia muscular ou de tecido adiposo (caquexia) ou olhos e pele amarelados (icterícia Icterícia em adultos Na icterícia, a pele e a parte branca dos olhos ficam amareladas. Ela ocorre quando há excesso de bilirrubina (um pigmento amarelo) no sangue - uma condição denominada hiperbilirrubinemia. ... leia mais Icterícia em adultos ). Eles também realizam um exame retal para detectar a presença de sangue. É mais provável que os médicos recomendem exames para pessoas com tais sintomas anormais.

Tabela
icon

Exames

Possíveis exames incluem

  • Endoscopia digestiva alta

  • Exames de sangue

Dado o risco de câncer, geralmente o médico investiga o esôfago e o estômago com um tubo flexível (endoscopia digestiva alta Endoscopia leia mais ) em pessoas com idade acima de 60 anos e em pessoas mais jovens que estejam apresentando sinais de alerta. Essas pessoas mais jovens e que não têm sintomas além da dispepsia, geralmente são tratadas com medicamentos inibidores da produção de ácido. Se esse tratamento não for bem-sucedido, os médicos normalmente realizam uma endoscopia.

As pessoas com sintomas de isquemia coronária aguda, particularmente aquelas com fatores de risco, devem procurar um pronto-socorro para uma avaliação imediata, incluindo eletrocardiograma (ECG) e exames de sangue para verificar a presença de lesões nas células do músculo cardíaco.

As pessoas com sintomas crônicos e não específicos devem realizar exames de sangue. Se os resultados dos exames de sangue forem anormais, os médicos consideram exames adicionais (como estudos de diagnóstico por imagem ou endoscopia). Alguns médicos recomendam fazer exames preventivos para detectar a presença de infecção por Helicobacter pylori por meio de exame de ar exalado ou exame de fezes.

O médico realiza uma manometria do esôfago Manometria leia mais e estudos de pHmetria (acidez) para pessoas que ainda têm sintomas de refluxo após terem realizado uma endoscopia digestiva alta e tomado inibidores da bomba de prótons (IBP) por quatro a oito semanas.

Às vezes, uma alteração encontrada durante exames (como, por exemplo, gastrite ou refluxo gastroesofágico) não é a causa da dispepsia da pessoa. Os médicos descobrem isso apenas quando o distúrbio se resolve, mas os sintomas da dispepsia não.

Tratamento da indigestão

O melhor modo de tratar a dispepsia é tratar qualquer distúrbio subjacente. Pessoas sem distúrbios identificáveis são observadas por um período e tranquilizadas.

Para pessoas que não parecem ter um distúrbio específico, os médicos geralmente tentam um tratamento com medicamentos bloqueadores de ácido (como inibidores da bomba de prótons ou bloqueadores de histamina-2 [H2]), ou com medicamentos que combatem úlceras ao elevar a quantidade de muco no estômago (agentes citoprotetores). Alternativamente, os médicos podem receitar um medicamento que ajuda a estimular o movimento dos músculos do trato digestivo (medicamentos procinéticos — como metoclopramida e eritromicina). Os médicos podem receitar um antidepressivo para algumas pessoas.

Pontos-chave sobre indigestão

  • As pessoas com desconforto intenso provocado por “gases” no abdômen superior ou tórax podem ter isquemia coronária aguda.

  • Pessoas apresentando sinais de alerta ou com mais de 60 anos de idade devem realizar uma endoscopia.

  • Pessoas que não estejam apresentando sinais de alerta e tenham menos de 60 anos são tratadas com um medicamento inibidor de ácido.

  • Pessoas com sintomas que não melhoram no prazo de quatro a oito semanas precisam de avaliação mais profunda.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Teste os seus conhecimentos

Esofagite eosinofílica
A esofagite eosinofílica é um distúrbio inflamatório, no qual a parede do esôfago, um tubo que leva da garganta até o estômago, se enche de um tipo de glóbulo branco chamado eosinófilo. Qual das opções seguintes é considerada a causa desse distúrbio?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS