Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Mania de arrancar cabelos (tricotilomania)

Por

Katharine Anne Phillips

, MD, Weill Cornell Medical College;


Dan J. Stein

, MD, PhD, University of Cape Town

Avaliado clinicamente jun 2021
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
Recursos do assunto

Na mania de arrancar cabelos, a pessoa repetidamente arranca os cabelos/pelos, o que resulta em perda de cabelo/pelos.

  • É possível que a pessoa com mania de arrancar cabelo/pelos se sinta tensa ou ansiosa logo antes de arrancar o cabelo/pelos, e o ato de arrancá-lo pode aliviar essa sensação.

  • Os sintomas normalmente variam de intensidade e podem continuar por toda a vida.

  • O médico diagnostica o transtorno se a pessoa arranca uma quantidade tal de cabelo/pelos a ponto de causar perda de cabelo/pelos, tenta parar de arrancá‑los e não consegue, e seu comportamento lhe causa angústia significativa ou diminui sua capacidade funcional.

  • A terapia cognitivo-comportamental com foco específico na mania de arrancar cabelos/pelos e determinados antidepressivos ou outros medicamentos podem ajudar a controlar os sintomas.

A pessoa com esse transtorno puxa ou arranca compulsivamente cabelos/pelos por motivos não estéticos. Ou seja, ela não arranca cabelos/pelos para melhorar a aparência. Geralmente, a pessoa arranca o cabelo do couro cabeludo, sobrancelhas e/ou cílios, mas o pelo de qualquer parte do corpo pode ser arrancado.

Geralmente, a mania de arrancar cabelos/pelos começa logo antes ou após a puberdade. Entre 1% a 2% das pessoas sofrem de mania de arrancar cabelos/pelos. Aproximadamente 90% dos adultos com mania de arrancar cabelos/pelos são do sexo feminino.

Sintomas

A quantidade de cabelos/pelos e o local de onde são arrancados variam de uma pessoa para outra. Algumas pessoas com mania de arrancar cabelos/pelos têm áreas de calvície completa. É possível que ela não tenha cílios ou sobrancelhas. Outras pessoas só possuem cabelo ralo. É possível que a pessoa mude o local de onde arranca o cabelo com o passar do tempo.

Algumas pessoas arrancam o cabelo praticamente de forma automática, sem pensar. Outras têm mais consciência da atividade.

A pessoa com mania de arrancar cabelos/pelos não arranca os cabelos/pelos, porque está preocupada com a aparência física e está tentando arrumá-la (como é o caso de pessoas com transtorno dismórfico corporal Transtorno dismórfico corporal No transtorno dismórfico corporal, a preocupação com um ou mais defeitos inexistentes ou sutis da aparência causa forte angústia e/ou prejudica a capacidade funcional. As pessoas normalmente... leia mais ). No entanto, é possível que ela se sinta tensa ou ansiosa logo antes de fazê-lo e o ato de arrancar o cabelo pode aliviar essa sensação. Depois disso, é possível que ela tenha uma sensação de satisfação.

Muitas atividades (rituais) podem acompanhar a mania de arrancar cabelos. É possível que a pessoa procure meticulosamente por um tipo específico de cabelo para puxar. Ela pode enrolar o cabelo entre os dedos, puxar os fios entre os dentes ou morder o cabelo depois de ter sido puxado. Muitas engolem o cabelo. O cabelo engolido pode formar uma massa que fica presa no estômago ou em outras partes do trato digestivo. Essas massas, denominadas tricobezoares Bezoares Os bezoares são massas compactas de matéria parcialmente digerida ou não digerida que podem ficar presas no estômago ou intestino. Massas de matéria não digerível podem ficar presas no estômago... leia mais Bezoares , podem fazer com que a pessoa se sinta prematuramente satisfeita após comer ou cause náuseas, vômitos, dor e outros sintomas digestivos.

A pessoa afetada pode sentir‑se constrangida ou envergonhada de sua aparência ou pelo fato de que não consegue controlar o próprio comportamento. É possível que ela tente camuflar a perda de cabelo com perucas ou cachecóis. Algumas pessoas arrancam cabelo de áreas bastante dispersas para disfarçar a perda. É possível que a pessoa evite situações em que outros possam ver a perda de cabelo. Normalmente, a pessoa não arranca os cabelos/pelos na frente de outros, exceto membros da família. É também possível que a pessoa sinta angústia pela perda do próprio controle e tente repetidamente diminuir a frequência ou parar de arrancar os cabelos/pelos, mas ela não consegue.

Algumas pessoas arrancam cabelo de outras pessoas ou de animais ou arrancam fios de tecidos, lençóis ou outros produtos têxteis.

Os sintomas normalmente variam de intensidade e podem continuar por toda a vida.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico com base em critérios diagnósticos específicos

O médico diagnostica a mania de arrancar cabelos/pelos tomando por base os sintomas:

  • Arrancar quantidade suficiente de cabelo/pelos, causando perda

  • Tentar repetidamente diminuir a frequência ou parar de arrancar os cabelos/pelos

  • Sentir angústia significativa ou sofrer uma diminuição da capacidade funcional devido à atividade

Tratamento

  • Medicamentos

  • Terapia cognitivo-comportamental

A terapia cognitivo-comportamental com foco específico na mania de arrancar cabelos/pelos também pode diminuir os sintomas. A forma de terapia cognitivo-comportamental mais frequentemente usada é a terapia reversa de hábitos. Nessa terapia, a pessoa aprende a:

  • Ficar mais consciente do que está fazendo

  • Identificar situações que desencadeiam a atividade

  • Usar estratégias para ajudá-la a parar de arrancar os cabelos/pelos, por exemplo, substituindo a atividade de arrancá-los por outra (por exemplo, cerrar os punhos, tricotar ou sentar-se sobre as mãos)

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
VISUALIZAR A VERSÃO PARA PROFISSIONAIS DE SAÚDE
quiz link

Test your knowledge

Take a Quiz! 
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS