Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Parapsoríase

Por

Shinjita Das

, MD, Harvard Medical School

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Parapsoríase se refere a um grupo de doenças cutâneas caracterizadas por placas pequenas e avermelhadas ou descamativas na pele.

A parapsoríase é uma doença semelhante à psoríase. Ambas as doenças causam a formação de placas descamativas na pele. A diferença entre as duas doenças é que na parapsoríase as placas são mais finas do que na forma mais típica da psoríase.

Há duas formas de parapsoríase:

  • Forma de placas pequenas

  • Forma de placas grandes

A parapsoríase de placas pequenas geralmente não é cancerosa (ou seja, é benigna). No entanto, em casos extremamente raros, a parapsoríase de placas pequenas se transforma em linfoma cutâneo de células T (LCCT), que é um tipo de câncer de pele causado por tipos específicos de glóbulos brancos, chamados linfócitos.

Entre pessoas com parapsoríase de placas grandes, 10% desenvolverão LCCT a cada dez anos.

Sintomas

Exemplos de parapsoríase

As placas geralmente não causam sintomas. Normalmente, elas têm o aspecto de placas finas, descamativas, esmaecidas e rosadas e algumas podem ter um aspecto ligeiramente enrugado ou afinado.

Na forma de placas pequenas, estas têm menos de 5 cm de diâmetro. Na forma de placas grandes, estas têm mais de 5 cm de diâmetro.

Às vezes as placas de parapsoríase de células pequenas se desenvolvem em áreas da pele por onde passam nervos específicos que saem da coluna vertebral, principalmente nos lados das costas e no abdômen. Essas placas são chamadas placas digitadas pois se parecem com dedos (dígitos) e podem ter mais de 5 cm. Essas placas raramente se transformam em LCCT.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Às vezes, biópsia da pele

Os médicos baseiam o diagnóstico de parapsoríase no aspecto das escamas e das placas e em sua localização no corpo.

Às vezes, os médicos tiram uma amostra do tecido da pele e a examinam ao microscópio para descartar outros distúrbios.

Prognóstico

A progressão de ambas as formas é imprevisível. As pessoas passam por acompanhamentos e biópsias periódicas para determinar se correm o risco de desenvolverem LCCT.

Tratamento

  • Inclui fototerapia, corticosteroides ou ambos

O tratamento de parapsoríase de placas pequenas pode não ser necessário, mas poderá incluir hidratantes da pele (emolientes), preparados à base de alcatrão ou corticosteroides aplicados à pele, fototerapia (exposição à luz ultravioleta) ou uma combinação.

O tratamento de parapsoríase de placas grandes é a fototerapia (ultravioleta B de banda estreita [NBUVB]) ou corticosteroides aplicados na pele.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS