Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Dermatite seborreica

Por

Mercedes E. Gonzalez

, MD, University of Miami Miller School of Medicine

Última revisão/alteração completa mar 2018| Última modificação do conteúdo mar 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A dermatite seborreica é uma inflamação crônica da pele que provoca escamas gordurosas e caspa no couro cabeludo, na face, ao longo do risco do penteado, ao redor das orelhas e, ocasionalmente, em outras zonas.

A causa é desconhecida, mas o número de leveduras do gênero Malassezia, um organismo normalmente presente na pele, desempenha algum papel. A dermatite seborreica ocorre com mais frequência nos bebês, geralmente nos três primeiros meses de vida, nos adolescentes e nas pessoas entre 30 e 70 anos. Esse distúrbio é mais comum entre os homens, geralmente é hereditário, e se agrava com o frio. O estresse emocional ou físico parece agravar a dermatite seborreica. Uma forma particular de dermatite seborreica também ocorre em aproximadamente 85% das pessoas com AIDS. A dermatite seborreica também é comum entre pessoas com doença de Parkinson.

Sintomas

A dermatite seborreica costuma surgir gradualmente, provocando uma escamação seca ou gordurosa no couro cabeludo (caspa), por vezes com coceira, mas sem perda de cabelo. Nos casos mais graves, surgem caroços elevados escamosos amarelados ou avermelhados, ao longo do risco do penteado, por detrás das orelhas, no canal auditivo, sobre as sobrancelhas, no nariz e à volta deste, no tórax, nas axilas e na região dorsal.

Nos lactentes com menos de um mês, a dermatite seborreica pode provocar uma lesão com crosta, amarela e espessa (gorro do lactente) e, por vezes, uma escamação amarela por detrás das orelhas, além de pápulas vermelhas na face. Surge, frequentemente, uma erupção cutânea persistente na zona da fralda, ao mesmo tempo em que a erupção do couro cabeludo.

As crianças maiores e os adultos podem desenvolver uma erupção cutânea grande, persistente e com grandes escamas.

Diagnóstico

  • O local e a aparência da pele afetada

Os médicos baseiam o diagnóstico de dermatite seborreica na localização e na aparência da pele afetada.

Tratamento

  • Xampus, cremes antimicóticos, cremes de corticosteroides e, às vezes, inibidores da calcineurina

Adultos e crianças mais velhas

Nos adultos e crianças mais velhas, o couro cabeludo pode ser tratado com xampus que contenham zinco, sulfureto de selênio, ácido salicílico, enxofre ou alcatrão. Devem ser usados xampus prescritos, em dias alternados, até controlar a dermatite e, depois, duas vezes por semana. O cetoconazol em creme (medicamento antimicótico) também é, muitas vezes, eficaz. Se aparecerem crostas espessas e escamas, podem ser eliminadas com a aplicação noturna de ácido salicílico ou loções de corticosteroides por debaixo de uma touca.

Muitas vezes, o tratamento deve ser mantido por várias semanas. Se a dermatite voltar depois que o tratamento for interrompido, o tratamento pode ser retomado. Corticosteroides tópicos também são usados na cabeça e em outras áreas afetadas. Na face, só se devem usar corticosteroides suaves, como a hidrocortisona a 1%–2,5%. Até os corticosteroides suaves devem ser administrados com precaução, porque o uso em longo prazo pode reduzir a espessura da pele e provocar outros problemas. Os inibidores da calcineurina (pimecrolimo e tacrolimo) também são usados, principalmente para terapia de longo prazo.

Bebês e crianças pequenas

Em bebês, o couro cabeludo pode ser lavado diariamente com um xampu infantil suave, e pode-se massagear o couro cabeludo ou a face com um creme com hidrocortisona a 1%–2,5% ou um óleo com fluocinolona a 0,01%. Cremes antimicóticos, como cetoconazol a 2% ou econazol a 1%, podem ser úteis em casos graves. Nas crianças pequenas que apresentam uma crosta espessa no couro cabeludo, pode-se esfregar óleo mineral, azeite ou um gel com corticosteroide suavemente sobre a área afetada, todas as noites, com uma escova de dentes macia.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Piolhos púbicos
Vídeo
Piolhos púbicos
As áreas genitais de homens e mulheres maduros muitas vezes estão cobertos por tufos de pelos...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS