Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Alopecia areata

Por

Wendy S. Levinbook

, MD, Hartford Dermatology Associates

Última revisão/alteração completa out 2019| Última modificação do conteúdo out 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

A alopecia areata é a perda repentina de áreas do cabelo, quando não há nenhuma causa óbvia, como distúrbios cutâneos ou distúrbios internos generalizados.

A alopecia areata é comum. A alopecia areata manifesta-se em ambos os sexos e em qualquer idade, sendo, porém, mais frequente em crianças e em adultos jovens.

Acredita-se que a causa da alopecia areata possa ser uma reação autoimune, na qual as defesas imunitárias do organismo atacam, por engano, os folículos pilosos. A alopecia areata não é o resultado de outro distúrbio, porém algumas pessoas também podem ter um distúrbio coexistente da tireoide ou vitiligo (um distúrbio do pigmento da pele).

Sintomas

Mechas de cabelo redondas e irregulares são perdidas subitamente. Ao redor da beira das áreas estão fios curtos e quebrados, que parecem pontos de exclamação. O lugar da queda de cabelo é, geralmente, o couro cabeludo ou barba. Às vezes, há queda de todo o cabelo (alopecia total), os cabelos caem ao redor dos cantos laterais e posteriores do couro cabeludo (ofíase) ou há queda de cabelo no topo da cabeça, mas não nas margens do couro cabeludo (sisaifo). Raramente, pode ocorrer a queda de toda a pilosidade do corpo, um distúrbio denominado alopecia universal.

As unhas podem ficar sulcadas ou ásperas, ou a meia-lua na base das unhas (a lúnula) pode estar vermelha.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

Os médicos examinam o couro cabelo, a superfície do corpo e as unhas.

Os médicos podem realizar testes para descartar outros distúrbios.

Tratamento

  • Corticosteroides

  • Medicamentos ou produtos químicos aplicados diretamente na pele

  • Às vezes, metotrexato

A alopecia areata pode ser tratada com corticosteroides. No caso de pequenas áreas de calvície, normalmente se injeta corticosteroides sob a área de calvície, e o minoxidil também pode ser aplicado diretamente na área de calvície. No caso de áreas maiores, pode-se aplicar corticosteroides no couro cabeludo ou, mais raramente, eles podem ser tomados por via oral.

Outros tratamentos para alopecia areata envolvem aplicação de produtos químicos, como antralina, difenilciclopropenona ou dibutilester do ácido esquárico ao couro cabeludo para induzir uma leve reação irritante ou leve reação alérgica que, às vezes, promove o crescimento capilar. Esses tratamentos são em geral administrados a pessoas que apresentam perda de cabelo amplamente disseminada e que não tenham sido beneficiadas por outros tratamentos.

Para casos mais graves, as pessoas podem receber metotrexato administrado por via oral. Esse medicamento pode ser combinado com corticosteroides tomados por via oral. Os medicamentos chamados inibidores da janus quinase (JAK), que são usados no tratamento de outros distúrbios autoimunes e do sangue, podem ser úteis no tratamento de alopecia areata.

O médico e a pessoa podem optar por deixar a alopecia areata solucionar-se por si só, o que às vezes acontece sem tratamento, nos casos mais leves. Em algumas pessoas, o cabelo pode voltar a crescer dentro de vários meses. Em pessoas com perda de cabelo amplamente disseminada, é pouco provável que o cabelo volte a crescer.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Acne
Vídeo
Acne
A pele contém muitos folículos pilosos diminutos, ou poros. Cada poro contém um pelo e uma...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Eritema linear
Modelo 3D
Eritema linear

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS