Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Oftalmoplegia Internuclear

Por

Michael Rubin

, MDCM, New York Presbyterian Hospital-Cornell Medical Center

Última revisão/alteração completa set 2020| Última modificação do conteúdo set 2020
Clique aqui para a versão para profissionais

Oftalmoplegia internuclear é o comprometimento dos movimentos horizontais dos olhos causado pela lesão em certas conexões entre os centros nervosos no tronco cerebral Tronco cerebral As funções do cérebro são tão admiráveis quanto misteriosas, dependendo de bilhões de células nervosas e da comunicação interna entre elas. É nele que pensamentos, crenças, recordações, comportamentos... leia mais Tronco cerebral (parte inferior do cérebro).

  • Na oftalmoplegia internuclear, os movimentos oculares horizontais ficam comprometidos, mas os movimentos oculares verticais não.

  • As pessoas com oftalmoplegia internuclear às vezes têm visão dupla.

  • Na síndrome do um e meio, quando a pessoa tenta olhar para cada lado, o olho no lado lesionado olha diretamente para frente e o outro olho consegue virar para fora, mas não para dentro, mas os movimentos para cima e para baixo não são afetados.

  • O tratamento e o prognóstico (se haverá diminuição ou, por fim, cura do distúrbio) dependem da causa do comprometimento dos movimentos oculares horizontais.

Na oftalmoplegia internuclear, as fibras do nervo que coordenam os olhos em movimentos horizontais – olhar de um lado para outro – são lesionadas. Essas fibras conectam grupos de células nervosas (centros ou núcleos) do 3º nervo craniano (nervo oculomotor), do 4º nervo craniano (nervo troclear) e do 6º nervo craniano (nervo motor ocular externo).

A oftalmoplegia internuclear geralmente resulta de

Os movimentos oculares horizontais (de um lado para outro) ficam comprometidos, mas os movimentos oculares verticais (para cima e para baixo), não. O olho afetado não vira para dentro, mas vira para fora. Quando apenas um olho é afetado e a pessoa olha para o lado oposto do olho afetado, acontece o seguinte:

  • O olho afetado, que deve girar para dentro, não se move além da linha média. Isto é, o olho afetado olha para frente.

  • Como o olho não afetado vira para fora, geralmente faz movimentos repetitivos e involuntários, o que é chamado nistagmo. Ou seja, os olhos se mexem rapidamente em uma direção, depois mudam lentamente para a outra.

As pessoas com oftalmoplegia internuclear podem ter visão dupla quando olham para o lado, mas podem não ter visão dupla quando olham para a frente, em linha reta.

A síndrome do um e meio acontece quando a doença que causa a oftalmoplegia internuclear também lesiona o centro que coordena e controla os movimentos horizontais dos olhos (centro do olhar horizontal). Quando a pessoa tenta olhar para o lado, o olho no lado lesionado continua sem movimento no meio. O outro olho consegue virar para fora, mas não para dentro. Tal como na oftalmoplegia internuclear, os movimentos verticais do olho não são afetados. As causas da síndrome do um e meio incluem esclerose múltipla Esclerose Múltipla (EM) Na esclerose múltipla, são danificadas ou destruídas as zonas de mielina (a substância que cobre a maioria das fibras nervosas) e as fibras nervosas subjacentes no cé... leia mais , acidente vascular cerebral e tumores.

Na oftalmoplegia nuclear e na síndrome do um e meio, os olhos conseguem virar para fora quando a pessoa olha para dentro (como ao focar em um objeto próximo), mesmo que os olhos não consigam virar para dentro quando a pessoa olha para o lado.

Para oftalmoplegia internuclear ou síndrome do um e meio, o tratamento e o prognóstico (se haverá diminuição ou, por fim, cura do distúrbio) dependem da doença que a causou.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
ANDROID iOS
PRINCIPAIS