Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Tabagismo

Por

Judith J. Prochaska

, PhD, MPH, Department of Medicine, Stanford University

Última revisão/alteração completa ago 2018| Última modificação do conteúdo ago 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

Fumar tabaco pode causar danos a quase todos os órgãos do corpo.

  • Fumar aumenta o risco de ataque cardíaco, câncer do pulmão, doença pulmonar obstrutiva crônica e outros distúrbios.

  • A nicotina é a substância viciante presente no tabaco.

  • É possível que a pessoa que para de usar a nicotina se torne irritável, ansiosa, triste e inquieta durante o período de abstinência.

(Consulte também Cessação do tabagismo.)

A nicotina é a substância no tabaco (presente tanto em cigarros, charutos, cachimbo e tabaco de mascar como em cigarros eletrônicos) da qual os usuários se tornam dependentes. Além da nicotina, cigarros fumados contêm alcatrão e monóxido de carbono, juntamente com quase 4.000 outros ingredientes, muitos dos quais são tóxicos. A nicotina também é o princípio ativo em alguns produtos medicamentosos usados para ajudar a pessoa a parar de fumar. Quando administrada por meio de fumar cigarros, a nicotina atinge o cérebro rapidamente (no prazo de 10 segundos) e, por isso, é extremamente viciante. Por outro lado, a administração de nicotina por meio de um adesivo transdérmico é lenta e constante e não causa dependência.

Grande parte da exposição à nicotina ocorre ao fumar tabaco, embora as crianças possam, acidentalmente, comê-la (normalmente cigarros ou bitucas deixados em cinzeiros ou, às vezes, goma de mascar ou adesivos de nicotina ou líquido de cigarros eletrônicos); além disso, algumas pessoas usam tabaco sem fumaça. Quase todos os fumantes fumam cigarros. Uma pequena porcentagem de fumantes fuma charutos ou cachimbo.

O tabagismo permanece a principal causa de doença e morte evitáveis nos Estados Unidos e no mundo. Aproximadamente dois em cada três fumantes de longo prazo morrerá prematuramente de uma doença causada pelo tabagismo. Mais de meio milhão de americanos morrem todos os anos de uma doença relacionada ao tabaco: ou seja, uma em cada cinco mortes nos Estados Unidos está relacionada ao tabagismo. Fumar é letal porque os fumantes inalam centenas de substâncias, muitas das quais podem causar câncer, doença cardíaca e doença pulmonar. Os produtos de tabaco sem fumaça não são alternativas seguras a fumar, porque eles também contêm toxinas.

O tabagismo também traz outro risco, uma vez que é a causa mais comum de incêndio não intencional nas residências nos Estados Unidos. A Agência Federal de Administração de Emergências (Federal Emergency Management Agency, FEMA) calcula que aproximadamente 7.600 incêndios relacionados ao tabagismo ocorrem em edifícios residenciais todos os anos, causando aproximadamente 365 mortes, 925 lesões e 326 milhões de dólares em danos à propriedade.

Atualmente, aproximadamente 15% dos adultos nos EUA fumam cigarros, em comparação com meados da década de 1960, quando um em cada dois homens e uma em cada três mulheres eram fumantes. No entanto, devido ao crescimento da população, o número absoluto de fumantes nos Estados Unidos permanece aproximadamente o mesmo, sendo quase 40 milhões de adultos. A propaganda de cigarros dirigida tanto a adolescentes como a adultos é intensa, principalmente nos pontos de venda. Todos os dias, mais de 3.000 adolescentes experimentam fumar e 2.000 adolescentes e adultos jovens se tornam fumantes diários de cigarro.

Gestantes e crianças

Fumar durante a gravidez rouba o oxigênio do feto em desenvolvimento e pode causar baixo peso ao nascimento, nascimento prematuro e morte fetal. Fumar durante a gravidez também aumenta o risco de ocorrer síndrome de morte súbita infantil (SMSI). Fumar é uma doença pediátrica: nove em cada dez fumantes começam a fazê‑lo antes dos 18 anos de idade, que é a principal época de desenvolvimento do cérebro.

Sintomas

Fumar é prejudicial para quase todos os órgãos do corpo.

Efeitos imediatos

A nicotina é um estimulante que ativa o centro de prazer no cérebro. Quando recebida por meio do tabagismo, a nicotina pode aumentar a energia e a concentração e diminuir o apetite. Uma vez que uma pessoa fica dependente, fumar reduz os sintomas de abstinência de nicotina e pode dar a sensação de relaxamento. As pessoas não acostumadas à nicotina podem ter náuseas, rubor ou os dois.

As pessoas que lidam com grandes quantidades de folhas de tabaco podem absorver a nicotina através da pele e apresentar náuseas, vômitos, diarreia, sudorese e fraqueza. Essa doença tem sido chamada de enjoo por folhas verdes de tabaco.

As crianças que comem produtos de tabaco ou goma de mascar de nicotina ou ingerem o líquido do cigarro eletrônico podem apresentar náuseas, vômitos, diarreia, sudorese e fraqueza, juntamente com agitação e confusão, às vezes com apenas um cigarro. No entanto, toxicidade grave ou fatal em crianças não é comum, em parte porque os vômitos esvaziam o estômago.

Efeitos no longo prazo

Os principais problemas de saúde relacionados ao tabagismo são os seguintes:

Fumo passivo

A pessoa que não fuma, mas que fica exposta à fumaça de outros (fumante passivo), pode apresentar muitos dos mesmos distúrbios que os fumantes, principalmente no caso de exposição repetida e prolongada. O Ministério da Saúde concluiu que não existe um nível seguro de exposição passiva à fumaça.

As crianças expostas à fumaça do cigarro perdem mais dias de aula por doença que as crianças não expostas.

Tabaco sem fumaça

A toxicidade do tabaco sem fumaça varia de uma marca para outra. Os riscos incluem doenças cardíacas e vasculares, doenças orais (por exemplo, câncer, recessão da gengiva, gengivite e doença periodontal e suas consequências), além de tumores.

Cigarros eletrônicos

Os cigarros eletrônicos ou vapes são dispositivos que consistem em uma bateria e um cartucho contendo um atomizador para aquecer uma solução, muitas vezes contendo nicotina. Os riscos de longo prazo dos cigarros eletrônicos são desconhecidos.

Outros efeitos

Fumar pode interagir com outros medicamentos. Os efeitos ocorrem, em grande parte, devido à presença de alcatrão no fígado na forma de um subproduto do tabagismo e não devido à nicotina; portanto, a maioria dos efeitos não é observada na terapia de reposição de nicotina (TRN). O tabagismo seca e enruga a pele da pessoa, afina o cabelo e deixa os dentes e os dedos amarelos. Os fumantes tendem a pesar aproximadamente 4,5 kg menos do que pesariam se não fumassem, mas nem todas as pessoas ganham peso quando param de fumar. Além disso, os efeitos nocivos do tabagismo superam em muito os riscos de ganho de peso. Funcionários que fumam custam aos empregadores, em média, mais de cinco mil dólares a mais por ano que funcionários não fumantes devido a maiores custos de tratamento de saúde e mais faltas. Fumar aumenta o risco de ficar desempregado e dificulta encontrar um novo emprego.

Sintomas de abstinência

A abstinência de nicotina pode dar origem a muitos sintomas desagradáveis, como desejo pela nicotina, irritabilidade, ansiedade, falta de concentração, inquietação, tremores, humor deprimido, ganho de peso, dores de cabeça, sonolência e mal-estar estomacal. A abstinência é mais preocupante nas pessoas gravemente dependentes. Os sintomas de abstinência de nicotina são mais fortes nos primeiros três dias e melhoram no prazo de duas a quatro semanas, mas alguns sintomas, como o desejo pela nicotina, podem continuar por mais tempo.

Diagnóstico

  • Entrevista de um fumante

Recomenda-se aos médicos que perguntem a todas as pessoas sobre o uso do tabaco. Para muitas pessoas, o tabagismo é uma toxicodependência que precisa de tratamento médico. Avaliar quanto uma pessoa está consumindo (o número de cigarros fumados por dia [atualmente e no passado]) e quanto tempo demora até ela fumar depois de acordar (no prazo de 30 minutos é uma medida útil) pode fornecer uma indicação da gravidade de dependência ao tabaco e do vício de nicotina. As respostas também podem ajudar a orientar a escolha da medicação para cessação do tabagismo e sua dose.

A intoxicação por nicotina pode não ser percebida. Por exemplo, as crianças podem engolir cigarros ou goma de mascar de nicotina sem que isso seja notado. Mesmo quando se percebe que a criança está com tabaco na boca, pode ser difícil dizer quanto ela realmente engoliu. As pessoas com o enjoo por folhas verdes de tabaco podem não conectar os sintomas com o fato de manusear tabaco.

Tratamento

  • Tratamento de sintomas

  • Parar de fumar

Tratamento de emergência raramente é necessário, exceto para crianças que tiverem comido produtos que contêm nicotina. Os médicos normalmente administram carvão ativado via oral para absorver qualquer droga remanescente no trato gastrointestinal. Nas crianças muito agitadas, pode-se administrar um sedativo, como o lorazepam.

Parar de fumar pode ser muito difícil e a recaída é comum. Parar de fumar com sucesso geralmente exige várias tentativas. Tratamentos baseados em evidência mais do que duplicam as chances de sucesso em longo prazo.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Raios X
Vídeo
Raios X
A tecnologia de raios X utiliza raios de alta energia que podem atravessar certos tecidos...
Exame de tomografia computadorizada (TC)
Vídeo
Exame de tomografia computadorizada (TC)
Um exame de TC é utilizado para detectar lesão em ossos e tecidos moles. Durante o procedimento...

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS