Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

honeypot link

Taquicardia ventricular (TV)

Por

L. Brent Mitchell

, MD, Libin Cardiovascular Institute of Alberta, University of Calgary

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

Taquicardia ventricular caracteriza-se por 3 batimentos ventriculares consecutivos com frequência 120 bpm. Os sintomas dependem da duração e variam de nenhum a palpitação, colapso hemodinâmico e morte. O diagnóstico é realizado por ECG. O tratamento dos episódios mais duradouros envolve cardioversão ou antiarrítmicos, dependendo dos sintomas. Se necessário, o tratamento a longo prazo é o implante de CDI.

Alguns especialistas usam a frequência limite de 100 bpm para taquicardia ventricular (TV). Os ritmos ventriculares repetitivos com frequências mais baixas são denominados ritmos idioventriculares acelerados ou TV lenta. Em geral, eles são benignos e não exigem tratamento, a menos que sejam acompanhados de sintomas hemodinâmicos.

A maioria dos pacientes com TV tem cardiopatia significativa, especialmente infarto do miocárdio Infarto agudo do miocárdio (IAM) Infarto agudo do miocárdio é necrose miocárdica resultante de obstrução aguda de uma artéria coronária. Os sintomas incluem desconforto torácico com ou sem dispneia, náuseas e diaforese. O diagnóstico... leia mais Infarto agudo do miocárdio (IAM) ou cardiopatia Visão geral das miocardiopatias A miocardiopatia é uma doença primária do miocárdio. É diferente das doenças cardíacas estruturais, como doença coronariana, valvopatias e das doenças cardíacas congênitas. As miocardiopatias... leia mais prévio. Os distúrbios eletrolíticos (particularmente hipopotassemia Hipopotassemia A hipopotassemia consiste na concentração plasmática de potássio 3,5 mEq/L ( leia mais ou hipomagnesemia Hipomagnesemia A hipomagnesemia caracteriza-se pela concentração plasmática de magnésio 1,8 mg/dL ( 0,70 mmol/L). As causas incluem ingestão inadequada de magnésio e absorção ou aumento de excreção decorrente... leia mais ), acidemia, hipoxemia e efeitos adversos de fármacos podem contribuir. A síndrome do QT longo Síndrome do QT longo e taquicardia ventricular do tipo torsades de pointes Torsades de pointes é uma forma específica de TV polimórfica em pacientes com um intervalo QT longo. Se caracteriza por complexos QRS irregulares rápidos, que parecem estar se contorcer em torno... leia mais (congênita ou adquirida) é acompanhada de forma específica de TV, a torsades de pointes.

Taquicardia ventricular pode ser monomórfica ou polimórfica e pode ser sustentada ou não sustentada.

  • TV monomórfica: foco anormal único ou via reentrante e complexos QRS de aspecto idêntico e regulares

  • TV polimórfica: vários focos ou vias diferentes e complexos QRS variáveis e irregulares.

  • TV não sustentada: dura < 30 segundos

  • TV não sustentada: dura 30 segundos e é interrompida mais precocemente por causa de colapso hemodinâmico.

Sinais e sintomas

Taquicardia ventricular de curta duração ou de baixa frequência pode ser assintomática. A TV sustentada é quase sempre sintomática, causando palpitação, sintomas de comprometimento hemodinâmico ou morte súbita cardíaca.

Diagnóstico

  • Eletrocardiografia (ECG)

O diagnóstico da taquicardia ventricular é feito por ECG (ver figura Taquicardia ventricular com QRS amplo Taquicardia ventricular com QRS amplo Taquicardia ventricular caracteriza-se por ≥ 3 batimentos ventriculares consecutivos com frequência ≥ 120 bpm. Os sintomas dependem da duração e variam de nenhum a palpitação, colapso hemodinâmico... leia mais ). Qualquer taquicardia com complexo QRS largos (QRS 0,12 segundos) deve ser considerada TV até que se prove o contrário.

O diagnóstico é complementado por achados no ECG de dissociação da atividade da onda P, batimentos de fusão ou captura, uniformidade dos vetores do QRS nas derivações precordiais (concordância) e discordância dos vetores da onda T (opostos aos vetores do QRS) e eixo do QRS no plano frontal no quadrante noroeste. O diagnóstico diferencial abrange a taquicardia supraventricular Taquicardias supraventriculares reentrantes (TSV), incluindo a síndrome de Wolff-Parkinson-White As taquicardias supraventriculares (TSV) reentrantes envolvem vias reentrantes com um componente acima da bifurcação do feixe de His. Os pacientes desenvolvem episódios súbitos de palpitação... leia mais com bloqueio de ramo ou por via acessória (ver figura Critérios de Brugada modificados para taquicardia ventricular Critérios de Brugada modificados para taquicardia ventricular O coração normal bate de maneira regular e coordenada, pois impulsos elétricos gerados e transmitidos pelos miócitos com propriedades elétricas singulares deflagram uma sequência de contrações... leia mais Critérios de Brugada modificados para taquicardia ventricular ). Entretanto, como alguns pacientes toleram a TV surpreendentemente bem, a conclusão de que a taquicardia com complexo QRS largo bem tolerada deve ser de origem supraventricular é equivocada. O uso de fármacos apropriados para tratar TSV (p. ex., verapamil e diltiazem) em pacientes com TV pode causar colapso hemodinâmico e morte.

Dicas e conselhos

  • Como alguns pacientes toleram a taquicardia ventricular surpreendentemente bem, a conclusão de que a taquicardia com complexo QRS largo bem tolerada deve ser de origem supraventricular é equivocada.

Taquicardia ventricular com QRS amplo

A duração do QRS é 160 milissegundos. Uma onda P independente pode ser vista em II (setas). Há um deslocamento do eixo frontal médio para a esquerda.

Taquicardia ventricular com QRS amplo

Tratamento

  • Agudo: às vezes, cardioversão sincronizada com corrente direta, algumas vezes antiarrítmicos classe I ou III

  • Longo prazo: geralmente CDI

Aguda

O tratamento da taquicardia ventricular aguda depende dos sintomas e da duração da taquicardia ventricular.

Também pode-se tratar a TV sustentada estável com antiarrítmicos intravenosos de classe I ou III (ver tabela Antiarrítmicos Fármacos antiarrítmicos (classificação de Vaughan-Williams) A necessidade de tratamento das arritmias depende dos sintomas e da gravidade da arritmia. O tratamento é direcionado às causas. Se necessário, utiliza-se terapia antiarrítmica direta, incluindo... leia mais ). Lidocaína age rapidamente, mas é frequentemente ineficaz. Se a lidocaína não for eficaz, pode-se administrar procainamida IV que, no entanto, pode levar até 1 horas para agir. Amiodarona IV é frequentemente utilizada, mas não costuma funcionar rapidamente. A falha da procainamida IV ou amiodarona IV é indicação de cardioversão.

A TV não sustentadanão requer tratamento imediato, a menos que os surtos sejam frequentes ou duradouros o suficiente para provocarem sintomas. Nesses casos, fármacos antiarrítmicas são utilizadas de maneira semelhante à TV sustentada.

Longo prazo

O tratamento a longo prazo não é necessário quando o episódio indicador de taquicardia ventricular é causa transitória (p. ex., durante as 48 horas após o início do infarto do miocárdio) ou causa reversível (desequilíbrio ácido-básico, distúrbios eletrolíticos e efeito pró-arrítmico de fármaco).

Na ausência de causa transitória ou reversível, os pacientes que desenvolvem episódio de TV sustentada tipicamente requerem CDI. A maioria dos pacientes com TV sustentada e cardiopatia estrutural significativa deve receber um betabloqueador. Se não for possível usar um o CDI, amiodarona é o antiarrítmico preferido para a prevenção de morte súbita.

Como a TV não sustentada é um indicador de risco elevado de morte súbita em portadores de cardiopatia estrutural, tais pacientes (especialmente aqueles com fração de ejeção < 0,35) necessitam de avaliação posterior. Esses pacientes devem receber CDI.

Quando a prevenção da TV for importante (em geral para pacientes com CDI e episódios frequentes de TV), é necessário o uso de antiarrítmicos ou ablação Ablação para arritmia cardíaca A necessidade de tratamento das arritmias depende dos sintomas e da gravidade da arritmia. O tratamento é direcionado às causas. Se necessário, utiliza-se terapia antiarrítmica direta, incluindo... leia mais cirúrgica ou por transcateter do substrato arritmogênico. Pode-se usar qualquer um dos antiarrítmicos Fármacos para arritmias A necessidade de tratamento das arritmias depende dos sintomas e da gravidade da arritmia. O tratamento é direcionado às causas. Se necessário, utiliza-se terapia antiarrítmica direta, incluindo... leia mais das classes Ia, Ib, Ic, II ou III. Como os betabloqueadores são seguros, constituem a primeira escolha, a não ser que haja contraindicação. Se for necessário acrescentar mais um fármaco, geralmente utiliza-se o sotalol e, em seguida, a amiodarona.

Usa-se a ablação Ablação para arritmia cardíaca A necessidade de tratamento das arritmias depende dos sintomas e da gravidade da arritmia. O tratamento é direcionado às causas. Se necessário, utiliza-se terapia antiarrítmica direta, incluindo... leia mais por transcateter com maior frequência em pacientes que desenvolvem TV com síndromes bem definidas (p. ex., TV da via de saída do ventrículo direito ou TV septal esquerda [TV de Belhassen e TV sensível ao verapamil]) e têm coração sadio.

Pontos-chave

  • Qualquer taquicardia com complexo aumentado (QRS ≥ 0,12 segundos) deve ser considerada taquicardia ventricular até que se prove o contrário.

  • Deve-se desfibrilizar pacientes que não têm pulso.

  • Pode-se tentar cardioversão sincronizada ou antiarrítmicos se o paciente está estável.

  • Os pacientes que tiveram um episódio de TV sustentada sem uma causa transitória ou reversível normalmente têm indicação de colocar um cardiodesfibrilador implantável (CDI).

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram
Teste os seus conhecimentos
Hipotensão ortostática
Em pacientes com hipotensão ortostática, qual dos sinais de alerta a seguir sugere uma etiologia mais séria?
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS ANDROID iOS
PRINCIPAIS