Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Avaliação do paciente com doença hepática

Por

Steven K. Herrine

, MD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última modificação do conteúdo fev 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

História

Vários são os sintomas que podem aparecer, mas poucos são específicos das hepatopatias:

  • Sintomas gerais não específicos incluem fadiga, anorexia, náuseas e, de maneira ocasional, vômitos, principalmente em doenças graves.

  • Esteatorreia (perda de gordura nas fezes) pode ocorrer quando a colestase impede que a quantidade de bile suficiente atinja o trato digestivo. Pacientes com esteatorreia apresentam risco de deficiência das vitaminas lipossolúveis (A, D, E, K). Consequências clínicas comuns são sangramento e osteoporose.

  • Febre pode acontecer em hepatites virais ou alcoólicas.

  • O sintoma mais característico das hepatopatias é a icterícia, acontecendo tanto em disfunções hepatocitárias quanto em distúrbios colestáticos. É frequentemente acompanhada de urina escura e fezes de coloração clara.

  • Dor no hipocôndrio direito do abdome sugere distensão (p. ex., congestão venosa ou tumores) ou inflamação da cápsula hepática.

  • Pode resultar em disfunção erétil e feminização, embora esses sintomas possam ser mais diretamente relacionados com o consumo de álcool do que com a doença hepática.

Tabela
icon

Fatores de risco de hepatopatias

Categoria

Fatores de risco

Adquirida

Uso de álcool

Transfusão de hemoderivados (especialmente antes de 1992)*

Piercing*

Drogas (prescritas ou não) e produtos derivados de ervas

Exposição a outras toxinas hepáticas

Exposição à hepatite*

Picadas de agulha*

Uso de drogas injetáveis*

Consumo de ostras*

Tatuagens*

Familiar

História familiar de doenças como colangite biliar primária, hemocromatose, doença de Wilson ou deficiência de alfa-1-antitripsina

*Esses fatores aumentam especialmente o risco de hepatite, bem como o risco de doenças hepáticas em geral.

História familiar, história social e uso de fármacos e substâncias podem ser fatores indicativos de doenças hepáticas ( Fatores de risco de hepatopatias).

Exame físico

Anormalidades detectáveis durante um exame físico geralmente não aparecem até uma fase avançada da doença hepática. Alguns achados comuns podem sugerir uma causa ( Interpretação de alguns achados de exame físico).

Tabela
icon

Interpretação de alguns achados de exame físico

Achados

Possíveis causas

Comentários

Alterações hepáticas

Hepatomegalia

Hepatite aguda

Congestão venosa passiva

Hemorragia hepática (dentro de um cisto ou do parênquima)

Câncer metastático

Obstrução biliar

Massa palpável

Câncer

Fígado endurecido, superfície irregular, bordos rombos e palpação de nódulos individualizados, se houver.

Dor

Congestão passiva

Hemorragia hepática

Câncer

Obstrução do fluxo hepático

Em razão da ansiedade do paciente, é geralmenteexageradamente diagnosticado

Dor hepática verdadeira: mais bem definida pela dor à compressão ou percussão do gradeado costal

Ocasionalmente, se intensa, pode simular irritação peritoneal

Frêmito ou sons de atrito junto aos arcos costais (raros)

Tumor

Alterações extra-hepáticas

Ascite

Hepatite alcoólica, se crônica ou grave

Obstrução das veias hepáticas

Carcinomatose peritoneal

Retenção hídrica generalizada (p. ex., insuficiência cardíaca, síndrome nefrótica, hipoalbuminemia)

Tipicamente abdome distendido, tenso e com sinal de ondas líquidas (piparote)

Pode não ser detectável se o volume < 1.500 mL

Veias abdominais visíveis e dilatadas (cabeça de medusa)

Hipertensão portal

Obstrução de veia cava inferior

Obstrução das veias hepáticas

Esplenomegalia

Hipertensão portal

Cirrose não alcoólica

Distúrbios esplênicos

Asterix (flapping)

Uremia

Insuficiência cardíaca, se for grave

Incapacidade de manter tônus gerando tremor não sincrônico bilateral à dorsoflexão forçada das mãos com os membros superiores estendidos

Hálito hepático

Encefalopatia portossistêmica ou presença de derivação

Odor doce e picante

Tontura e confusão mental

Encefalopatia portossistêmica

Fármacos

Distúrbios encefálicos ou sistêmicos

Inespecífico

Extremidades magras e abdome protruso com ascite (estereótipo cirrótico)

Cirrose se avançada

Câncer com metástases peritoneais, se avançado

Cirrose alcoólica

Fármacos

Doenças hipofisárias, endócrinas, genéticas e sistêmicas

Atrofia testicular, disfunção erétil, infertilidade e perda de libido

Em homens, ginecomastia, perda de pelos axilares ou no peito e feminização dos pelos pubianos

Cirrose

Abuso alcoólico, se crônico

Fármacos

Distúrbios endócrinos

Ginecomastia deve ser diferenciada da pseudoginecomastia (em homens obesos) pelo exame físico

Ginecomastia e atrofia testicular

Cirrose

Abuso alcoólico, se crônico

Distúrbios endócrinos ou hipofisários

Cirrose

Feminização (em homens)

Gestação

Desnutrição, se grave

Abuso alcoólico, se crônico (possível)

Após compressão, o fluxo é dirigido à periferia (para fora da lesão)

Possível aumento do risco de cirrose grave e hemorragia varicosa se o número de aranhas vasculares aumentar

Pode ocorrer em indivíduos normais (geralmente < 3)

Eritema palmar

Cirrose

Feminização (em homens)

Gestação

Artrite reumatoide

Cânceres hematológicos

Abuso alcoólico, se crônico (possível)

Em geral, mais óbvio nas eminências tenar e hipotenar

Em cirróticos, baqueteamento de dedos

Possível desvio portossistêmico avançado ou cirrose biliar

Pneumopatia, se crônica

Cardiopatia cianótica

Infecção (p. ex., endocardite infecciosa), se crônica

Hiperbilirrubinemia causada por condições como distúrbios hepáticos, biliares e hemolíticos, uso de certos fármacos ou erros inatos do metabolismo

Visível quando o nível de bilirrubina é > 2 a 2,5 mg/dL (> 34 a 43 μmol/L)

Afeta a esclera (diferentemente da carotenemia)

Alterações na pigmentação da pele, escoriações causadas por prurido constante e xantomas ou xantelasmas (depósitos cutâneos de lipídios)

Colestase (inclusive colangite biliar primária), se crônica

Aumento da glândula parótida

Alcoolismo, se crônico (frequentemente presente na cirrose alcoólica)

Coloração acinzentada ou bronzeada da pele

Hemocromatose com deposição de ferro e melanina

Cirrose alcoólica

Alcoolismo, se crônico

Tabagismo

Movimentos ou vibração repetitivos

Exames

Exames para doenças hepáticas e biliares, incluindo exames de sangue, imagem e, às vezes, biópsia do fígado, desempenham um papel de destaque no diagnóstico das doenças hepáticas. Alguns exames, principalmente aqueles que refletem a bioquímica e a excreção hepática, geralmente apresentam baixa sensibilidade e especificidade quando considerados de maneira isolada. Uma combinação de exames, em geral, frequentemente define de forma mais correta a causa e a intensidade da doença.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS