Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Carregando

Síndrome de Mallory-Weiss

Por

Kristle Lee Lynch

, MD,

  • Assistant Professor of Medicine
  • Perelman School of Medicine at The University of Pennsylvania

Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A síndrome de Mallory-Weiss consiste em laceração não penetrante das mucosas do esôfago distal e do estômago proximal, causada por vômitos, ânsia ou soluços.

Inicialmente descrita em alcoólatras, a síndrome de Mallory-Weiss pode ocorrer em qualquer paciente que vomite com grande esforço. É a causa de cerca de 5% dos episódios de hemorragia digestiva alta. A ruptura também pode ser acompanhada por dor na parte inferior do tórax.

O diagnóstico da síndrome de Mallory-Weiss é sugerido clinicamente por uma história típica de hematêmese, ocorrendo após um ou mais episódios de vômitos não sanguinolentos. Nesses casos, se a quantidade de sangramento for mínima e o paciente estiver estável, os exames podem ser adiados. Do contrário, se a história não está clara ou o sangramento é contínuo, o paciente deve ser submetido à avaliação para sangramento GI, tipicamente com endoscopia alta e exames laboratoriais. Endoscopia digestiva alta também pode ser terapêutica porque um clipe pode ser colocado sobre a ruptura para controlar o sangramento.

A maioria dos episódios de sangramento cessa espontaneamente; sangramento grave ocorre em cerca de 10% dos pacientes, que requerem intervenção significativa, como transfusão ou hemostasia endoscópica (por colocação do clipe, injeção de etanol ou adrenalina ou por eletrocautério). Infusão intra-arterial de vasopressina ou embolização terapêutica na artéria gástrica esquerda durante angiografia também pode ser usada para controlar sangramento. Cirurgia raramente é necessária.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS