Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Fraturas de compressão da coluna

(fraturas vertebrais)

Por

Danielle Campagne

, MD, University of San Francisco - Fresno

Última revisão/alteração completa jul 2019| Última modificação do conteúdo jul 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Em uma fratura de compressão da coluna, a parte em forma de barril (corpo) de um ou mais ossos das costas (vértebras) sofre colapso e é esmagada (comprimida) adquirindo uma forma de cunha.

  • A maioria das fraturas de compressão resulta de força leve ou nenhuma força em pessoas idosas com osteoporose.

  • Na maioria das pessoas, as fraturas de compressão devido a osteoporose não causam nenhum sintoma, mas quando há dor, esta piora ao caminhar, ficar de pé ou sentar por longo tempo.

  • Os médicos diagnosticam fraturas por compressão espinhal usando radiografias ou tomografia computadorizada.

  • O tratamento pode incluir a utilização de cintas, medidas de conforto e, por vezes, injeção de cimento ósseo no osso fraturado.

Fraturas de compressão da coluna

Em fraturas de compressão, a parte em forma de barril (corpo) de um osso das costas (vértebra) sofre colapso e é esmagada (comprimida) adquirindo uma forma de cunha. Se diversos ossos das costas sofrerem fratura, as costas podem ficar arredondadas e curvadas.

Fraturas de compressão da coluna

A coluna consiste em 24 ossos das costas mais o cóccix (sacro). Os ossos das costas suportam a maior parte do peso do corpo e, portanto, ficam sob muita pressão. Um osso das costas consiste em uma parte em forma de barril (corpo) na frente, um orifício para a medula espinhal, e diversas projeções de osso (chamadas processos) nas costas. Os discos de cartilagem entre cada osso das costas ajudam a amortecer e proteger os ossos.

Nas fraturas de compressão, há colapso do corpo de um osso das costas, geralmente devido a pressão excessiva. Essas fraturas ocorrem geralmente no meio ou na parte inferior das costas. Elas são mais comuns entre pessoas idosas, normalmente aquelas com osteoporose, a qual enfraquece os ossos. Às vezes, essas fraturas ocorrem em pessoas que têm câncer que se disseminou para a espinha enfraquecendo-a (chamado fraturas patológicas). Quando um osso estiver enfraquecido, as fraturas de compressão podem surgir de força muito pequena, como eventualmente acontece quando pessoas erguem um objeto, se inclinam para frente, saem da cama ou tropeçam. Por vezes, a pessoa não se lembra de qualquer evento que possa ter causado a fratura.

Às vezes, as fraturas de compressão ou outros tipos de fraturas na coluna resultam de força potente, como acontece em um acidente de carro, uma queda de altura ou ferimento por arma de fogo. Nesses casos, uma lesão da medula espinhal também pode estar presente e a coluna pode estar fraturada em mais de um lugar. Se a causa foi uma queda de grande altura e a pessoa caiu sobre ambos os calcanhares, também pode apresentar uma fratura de calcanhar.

Sintomas

Cerca de dois terços das pessoas com fraturas de compressão devido a osteoporose não manifestam nenhum sintoma. Elas não sentem dor quando ocorre fratura.

As pessoas podem ficar menores e as costas podem ficar arredondadas e curvadas (o que é chamado cifose ou, às vezes, corcunda de Dowager ou corcunda de viúva) quando ocorre fratura de diversos ossos das costas. As pessoas podem não conseguir ficar de pé eretas. Elas podem ter dificuldade de se inclinar, alcançar, erguer, subir escadas e caminhar.

Às vezes, uma fratura por compressão causa uma dor aguda e repentina nas costas, ou uma dor que se desenvolve gradualmente. A dor pode ser leve ou muito intensa. Ela pode ser constante e surda e pode piorar quando as pessoas se levantam, caminham, se inclinam para frente ou ficam sentadas por muito tempo. A dor pode irradiar até o abdômen. Bater suavemente nas costas, como médicos fazem durante o exame, causa desconforto.

A dor normalmente diminui depois de umas quatro semanas e desaparece depois de aproximadamente doze semanas.

Fraturas por compressão que não resultam de osteoporose causam dor súbita, e o local da fratura fica sensível ao toque. Essas pessoas geralmente também apresentam espasmos musculares.

Você sabia que...

  • Muitas vezes, as fraturas de compressão da coluna não causam nenhum sintoma.

  • Em muitas pessoas idosas, as costas ficam arredondadas e curvadas (às vezes chamado corcunda de viúva) por terem sofrido muitas fraturas de compressão vertebral.

Outras lesões

Em casos raros, a medula espinhal ou as raízes dos nervos espinhais (que passam através dos espaços entre os ossos das costas) sofrem lesão. Esta lesão é mais provável quando a fratura por compressão resultar de uma força potente, como acontece em um acidente com veículo a motor ou em uma queda de grande altura.

As lesões da medula espinhal podem causar dormência e perda de sensação, fraqueza nas pernas e paralisia (consulte a figura Onde a medula espinhal está lesionada?). As pessoas podem não conseguir controlar a micção ou evacuação (ficarem incontinentes).

As lesões nas raízes dos nervos espinhais costumam ser muito menos sérias. Elas tendem a provocar dor que irradia para a perna e, às vezes, causam ligeira fraqueza de uma perna ou um pé.

Diagnóstico

  • Avaliação de um médico

  • Radiografias

  • Às vezes, tomografia computadorizada e imagem por ressonância magnética

(Consulte também Diagnóstico de fraturas.)

Os médicos suspeitam de fraturas de compressão baseados nos sintomas. Depois eles realizam um exame físico. Eles batem suavemente na parte mediana das costas para ver se há dor. São tiradas radiografias para confirmar o diagnóstico.

O médico pode usar absorciometria de raios-X de dupla energia (DXA) para medir a densidade óssea para determinar se há osteoporose e, neste caso, sua gravidade. Com base nos resultados deste exame, os médicos podem fazer recomendações para ajudar a prevenir fraturas por compressão.

Se a fratura resultou de uma força potente, é feita uma tomografia computadorizada (TC) e, às vezes, imagem por ressonância magnética (RM). Os médicos também verificam se há outras lesões, como fraturas de calcanhar e outras fraturas na coluna.

Tratamento

  • Analgésicos

  • Retomada das atividades normais (principalmente caminhar) o quanto antes

  • Fisioterapia

  • Às vezes um procedimento, como vertebroplastia ou cirurgia

O tratamento é voltado para

  • Alívio da dor

  • Incentivar as pessoas a começarem a se movimentar assim que possível

  • Possibilitar que as pessoas funcionem normalmente

  • Prevenir outras fraturas

A maioria das fraturas de compressão cicatriza por si só, embora lentamente.

Analgésicos, como paracetamol, podem aliviar a dor. Às vezes, quando a dor é intensa, os médicos prescrevem analgésicos opioides.

Se houver fraturas na parte inferior da coluna, às vezes se recomenda o uso de uma cinta para aliviar a dor e tornar a caminhada menos dolorosa. Não se sabe ao certo o grau de eficácia de usar uma cinta.

Às vezes, é necessário repouso na cama por alguns dias. No entanto, as pessoas são incentivadas a sentar e andar por curtos períodos e a retomar as atividades normais o quanto antes. Proceder dessa forma previne a perda do tônus muscular e a perda adicional da densidade óssea.

Pessoas com osteoporose são tratadas com bifosfonatos e, às vezes, com calcitonina. Ambos os fármacos previnem a quebra dos ossos e aumentam a densidade óssea.

Os fisioterapeutas podem ajudar ensinando às pessoas a forma correta de se levantar e ensinando-as a praticar exercícios para fortalecer os músculos ao redor da coluna, mas a terapia pode ter que ser adiada até que a dor esteja controlada.

Procedimentos

Às vezes, podem ser realizados dois procedimentos minimamente invasivos para ajudar a aliviar a dor e possivelmente restaurar a altura e melhorar a aparência:

  • Vertebroplastia: depois de injetar um anestésico local próximo ao osso fraturado das costas, os médicos injetam cimento ósseo acrílico na vértebra que sofreu colapso. O cimento endurece cerca de duas horas depois e estabiliza a vértebra. Este procedimento demora cerca de uma hora para cada vértebra. As pessoas podem ir para casa no mesmo dia.

  • Cifoplastia: neste procedimento semelhante, é introduzido um balão na vértebra e ele é expandido para restaurar a vértebra à sua forma normal. Em seguida, é injetado um cimento ósseo.

Nenhum destes procedimentos ajuda a prevenir fraturas nos ossos adjacentes da coluna ou das costelas. O risco de outras fraturas pode até mesmo aumentar. Outros problemas possíveis podem incluir vazamento do cimento e, possivelmente, bloqueio de uma artéria para o coração (ataque cardíaco) ou para um pulmão (embolia pulmonar), se o cimento vazar para os vasos sanguíneos e deslocar-se para essas artérias.

Se uma fratura estiver exercendo pressão na medula espinhal, faz-se uma cirurgia para aliviar a pressão, se possível dentro de algumas horas. O tratamento imediato é necessário para prevenir lesão permanente na medula espinhal.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Articulação do ombro
Vídeo
Articulação do ombro
O ombro é formado por ossos, ligamentos, tendões e músculos que fixam o braço ao dorso. Os...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Ossos da mão
Modelo 3D
Ossos da mão

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS