Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Intoxicação por hidrocarbonetos

Por

Gerald F. O’Malley

, DO, Grand Strand Regional Medical Center;


Rika O’Malley

, MD, Albert Einstein Medical Center

Última revisão/alteração completa fev 2019| Última modificação do conteúdo fev 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto
  • Cheirar cola ou ingerir gasolina, diluidores de tinta, alguns produtos de limpeza ou querosene podem causar envenenamento por hidrocarboneto.

  • A ingestão ou inalação de hidrocarbonetos pode causar irritação dos pulmões, com tosse, sufocamento, falta de ar e problemas neurológicos.

  • Cheirar ou respirar fumos pode causar frequência cardíaca irregular, frequência cardíaca rápida ou morte súbita, sobretudo após esforço ou estresse.

  • O diagnóstico baseia-se na descrição dos eventos, no odor característico do petróleo no hálito ou vestuário da pessoa e, por vezes, numa radiografia do tórax.

  • O tratamento envolve retirar o vestuário contaminado, lavar a pele e administrar oxigênio e, por vezes, antibióticos a pessoas com problemas respiratórios ou pneumonia.

Produtos derivados de petróleo, produtos de limpeza e colas contêm hidrocarbonetos (substâncias compostas, na sua maioria, por hidrogênio e carbono). Muitas crianças com idade inferior a 5 anos ficam intoxicadas pela ingestão de produtos derivados do petróleo, como gasolina, querosene e diluentes de pintura, mas a maioria se recupera. Os adolescentes que respiram intencionalmente os vapores de colas, tintas, solventes, sprays de limpeza, gasolina ou fluorocarbonetos usados como refrigerantes ou propelentes em aerossóis apresentam maior risco de intoxicação, um tipo de abuso de drogas denominado arfar, aspirar, cheirar, inalar cola ou abuso de substâncias voláteis. Essa inalação pode causar batimentos cardíacos irregulares ou parada cardíaca, especialmente após esforço ou estresse. A inalação repetida de tolueno (um componente de alguns desses produtos) pode danificar partes do cérebro. Alguns produtos com hidrocarbonetos também contêm aditivos venenosos como metanol ou chumbo.

Os hidrocarbonetos engolidos podem causar tosse e sufocamento, o que permite que o hidrocarboneto líquido entre nas vias respiratórias e irrite os pulmões, um problema considerado grave por si só (pneumonite química) podendo levar à pneumonia grave. O envolvimento pulmonar é um problema específico com hidrocarbonetos finos e fluidos, como o óleo mineral que se usa para dar brilho aos móveis, etc., incluindo gasolina. A intoxicação grave também pode afetar o cérebro, o coração, a medula óssea e os rins. Hidrocarbonetos espessos, menos líquidos, como petróleo de iluminação e óleo para motores tendem menos a entrar nos pulmões, mas podem causar irritação grave e persistente se o fizerem.

Você sabia que...

  • Uma pessoa que atinja um estado de excitação por respirar fumos de hidrocarboneto pode morrer subitamente em decorrência de batimentos cardíacos irregulares e parada cardíaca.

Sintomas

Em geral, depois de ingerir ou inalar hidrocarbonetos, a pessoa tem tosse e asfixia. Pode-se registrar uma sensação de ardor no estômago e, possivelmente, vômitos. Se os pulmões forem afetados, a pessoa continua a tossir intensamente. A respiração torna-se acelerada e a pele pode ficar azulada (cianose) devido a níveis baixos de oxigênio no sangue. As crianças mais jovens podem apresentar cianose, falta de ar e tosse persistentes. Por vezes, só surge dificuldade de respirar várias horas após os hidrocarbonetos entrarem nos pulmões.

A ingestão de hidrocarbonetos também causa sintomas neurológicos como sonolência, falta de coordenação, estupor ou coma e convulsões.

Diagnóstico

  • Histórico de contato com hidrocarbonetos e odor de petróleo na pessoa

  • Às vezes, radiografia do tórax e análise de gases no sangue

A intoxicação por hidrocarbonetos é diagnosticada a partir da descrição do sucedido e do odor característico de petróleo no hálito da pessoa ou no vestuário ou se for encontrado um recipiente perto da pessoa. Resíduos de tinta nas mãos ou em torno da boca podem sugerir que a pessoa esteve recentemente cheirando tinta. A pneumonia e a pneumonite química são diagnosticadas com uma radiografia do tórax e medindo-se a concentração de oxigênio no sangue ( Análise da gasometria arterial (GSA) e Oximetria de pulso). Se o médico suspeitar de danos cerebrais, é realizado um exame de ressonância magnética (RM).

Tratamento

  • Remoção do vestuário contaminado e lavagem da pele

  • Evitar esvaziamento do estômago

  • Às vezes, hospitalização para oxigênio suplementar ou ventilação mecânica

Para tratar a intoxicação, deve-se tirar a roupa contaminada e lavar a pele. Se a pessoa não estiver tossindo mais, nem tiver dificuldade respiratória, especialmente se a ingestão foi pequena e acidental, é possível fazer o tratamento em casa, buscando informação em um centro de intoxicações. O tratamento em casa deve ser debatido com alguém em um centro de intoxicação.

Os médicos evitam esvaziar o estômago da pessoa, pois isso pode fazer com que hidrocarbonetos líquidos entrem nos pulmões. As pessoas com problemas respiratórios são internadas. Em caso de pneumonia por aspiração ou pneumonite química, o tratamento hospitalar pode incluir oxigênio e, em casos graves, um ventilador artificial. Os antibióticos ajudam, se ocorrer pneumonia. A recuperação da pneumonia geralmente demora cerca de uma semana, mas pode demorar mais tempo caso ocorra entrada de hidrocarbonetos espessos, tipo xarope, como petróleo de iluminação ou óleo para motores nos pulmões.

Mais informações

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Terapia de células-tronco alogênicas
Vídeo
Terapia de células-tronco alogênicas
Células-tronco são células ímpares localizadas na medula óssea ou no sangue periférico capazes...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Fratura do tornozelo
Modelo 3D
Fratura do tornozelo

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS