Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

honeypot link

Teníase

Por

Richard D. Pearson

, MD, University of Virginia School of Medicine

Última revisão/alteração completa abr 2020| Última modificação do conteúdo abr 2020
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto

A teníase do intestino ocorre principalmente quando as pessoas comem carne de porco, de boi ou peixe de água doce crus ou mal cozidos ou, no caso de tênia anã, água ou alimentos contaminados.

Tênia das vacas

Tênia das vacas
  • As tênias adultas, as quais vivem no intestino das pessoas, geralmente não causam nenhum sintoma, mas podem causar desconforto abdominal, diarreia e perda de peso.

  • A tênia dos porcos também pode formar cistos no cérebro e em outras partes do corpo (chamada cisticercose).

  • Os cistos no cérebro podem causar vários sintomas, como dores de cabeça, convulsões, confusão e, às vezes, doença grave, com risco à vida.

  • Os médicos diagnosticam teníase intestinal através da descoberta de segmentos ou ovos do verme em uma amostra de fezes e diagnosticam cisticercose identificando os cistos em outros locais do corpo ao fazer exames de imagem ou de sangue.

  • Cozinhar muito bem a carne de porco, de boi e peixes de água doce pode ajudar a evitar a infecção.

  • Medicamentos antiparasitários, como praziquantel, podem ser usados para tratar a infecção no intestino, e albendazol e/ou praziquantel associados a corticosteroides podem ser usados para aliviar os sintomas causados por cistos no cérebro.

Diversas espécies de tênias podem causar infecções em pessoas. Incluem

  • Taenia saginata (tênia das vacas)

  • Taenia solium (tênia dos porcos)

  • Taenia asiatica, contraída ao se comer carne de porco na Ásia (tênia asiática)

  • Diphyllobothrium latum (tênia dos peixes)

  • Hymenolepis nana (tênia anã)

Tênias adultas de outras espécies – Echinococcus granulosus e Echinococcus multilocularis (tênias dos cães) – vivem no intestino de cães ou outros caninos. Essas tênias às vezes infectam pessoas, causando a formação de cistos no fígado ou em outros órgãos.

As tênias podem constituir-se de três partes:

  • A cabeça, que é a parte que se fixa ao intestino

  • O pescoço, que pode se regenerar

  • O resto do verme, que consiste em muitos segmentos (chamados proglótides) e que podem conter ovos

Se o tratamento não eliminar a cabeça e o pescoço, o verme inteiro pode se regenerar.

Ciclo de vida de tênias de porco, vaca e peixe

As tênias dos porcos, vacas e peixes são vermes grandes, achatados e assemelhados a fitas que vivem no intestino das pessoas e podem crescer e chegar a 4,5 a 9 metros de comprimento. (As pessoas são consideradas o hospedeiro definitivo, pois as tênias adultas vivem em seu intestino). Os segmentos portadores de ovos do verme (proglótides) são expelidos nas fezes.

Se dejetos humanos não tratados forem liberados no ambiente, os ovos podem ser ingeridos por hospedeiros intermediários, como porcos, gado ou, no caso da tênia dos peixes, pequenos crustáceos de água doce, os quais, por sua vez, são ingeridos pelos peixes. Os ovos maturam para sair larvas no hospedeiro intermediário. As larvas invadem a parede intestinal e são levadas pela corrente sanguínea até os músculos esqueléticos e outros tecidos, onde formam cistos.

As pessoas adquirem o parasita ao comer os cistos em carnes e certos tipos de peixes que estejam crus ou pouco cozidos. Os cistos eclodem e se desenvolvem em vermes adultos, que se alojam na parede intestinal. A partir daí, os vermes crescem em comprimento e começam a produzir ovos.

Ciclo de vida da tênia dos porcos

  • 1. As pessoas se infectam ao comer carne de porco crua ou mal cozida contendo cistos de larvas de tênia (chamadas cisticercos).

  • 2. No intestino, os cisticercos amadurecem em tênias adultas e se fixam à parede do intestino.

  • 3. Tênias adultas produzem segmentos (chamados proglótides) que transportam ovos. As proglótides podem expelir os ovos ou destacar-se do resto da tênia e se deslocar para o ânus.

  • 4. Os ovos, proglótides ou ambos são eliminados nas fezes.

  • 5. Porcos ou, menos frequentemente, pessoas, são infectados ao consumir ovos ou proglótides (por exemplo, em alimentos contaminados com fezes humanas).

  • 6. Depois que os ovos forem consumidos, eles eclodem no intestino e liberam esferas (chamadas oncosferas) que penetram na parede do intestino.

  • 7. As oncosferas passam a se deslocar pela corrente sanguínea até os músculos e o cérebro, fígado e outros órgãos, onde se desenvolvem em cistos.

Ciclo de vida da tênia dos porcos

Você sabia que...

  • As tênias podem crescer e chegar a 4,5 a 9 metros de comprimento.

Ciclo de vida das tênias anãs

As tênias anãs são pequenas e têm somente 40 milímetros de comprimento. As pessoas se infectam com tênias anãs consumindo ovos de tênias, em vez de cistos, como ocorre na infecção com tênia de porcos e vacas. Os ovos podem ser consumidos em alimentos ou água contaminados por fezes humanas ou podem ser transferidos para a boca após contato com pessoas infectadas. Às vezes, as pessoas consomem insetos infectados acidentalmente, como pulgas e besouros, presentes em grãos.

Os ovos se desenvolvem em adultos que vivem no intestino. As tênias adultas põem ovos que são eliminados nas fezes. Os ovos podem ser consumidos por outra pessoa ou pela mesma pessoa, resultando em infecção com uma nova geração de tênias adultas.

Às vezes os ovos eclodem no intestino e desenvolvem-se em tênias-anãs adultas, causando infecção sem nunca deixar o corpo. Esse tipo de infecção é chamado autoinfecção (infecção de si próprio). Um grande número de tênias-anãs podem se acumular e causar sintomas.

Cisticercose

As pessoas que ingerem os ovos da tênia de porco podem se tornar um hospedeiro intermediário da tênia (as pessoas não podem ser hospedeiras intermediárias de tênias de vaca e peixe). As pessoas podem se tornar hospedeiras intermediárias na ocorrência de um dos seguintes:

  • Elas engolem os ovos de tênia dos porcos em alimentos ou água contaminados com fezes humanas.

  • Elas transferem os ovos para sua boca depois do contato com uma pessoa infectada ou com vestuário e móveis contaminados.

  • As pessoas com um verme adulto em seu intestino podem reinfectar-se ao engolir os ovos de suas fezes (por exemplo, em água ou alimentos contaminados) ou, possivelmente, quando segmentos portadores de ovos do verme (proglótides) migram do intestino para o estômago e liberam ovos (autoinfecção).

Como em hospedeiros animais intermediários, os ovos se desenvolvem em esferas contendo larvas (oncosferas) ao atingir o intestino. As esferas penetram na parede intestinal e se deslocam para o cérebro, músculos, outros órgãos ou para o tecido sob a pele, onde formam cistos. Nas pessoas, essa forma da doença chama-se cisticercose.

Sintomas

Embora as tênias adultas no intestino geralmente não causem nenhum sintoma, algumas pessoas sentem desconforto abdominal na parte superior do abdômen, diarreia e outros sintomas. Em alguns casos, as pessoas infectadas com tênias podem sentir um pedaço da tênia se mover pelo ânus ou ver nas fezes parte da tênia similar a uma fita. A tênia anã tem mais probabilidade de causar sintomas abdominais como enjoo, vômitos, diarreia, desconforto abdominal, perda de apetite e perda de peso do que outras tênias.

A tênia de peixe pode causar anemia porque absorve vitamina B12, que é necessária para a produção de glóbulos vermelhos do sangue.

Os sintomas de cisticercose são causados por cistos que se formam no cérebro e em outros órgãos (como medula espinhal, fígado, pulmões e olhos). Esses cistos podem causar sintomas graves, às vezes com risco à vida, anos depois da infecção inicial, quando os cistos começam a deteriorar e causar inflamação. Os cistos no cérebro e nos tecidos que recobrem o cérebro (meninges) podem resultar em dores de cabeça, convulsões, confusão ou outros sintomas neurológicos. Raramente, os cistos se desenvolvem nos olhos, às vezes causando cegueira, ou na medula espinhal, por vezes causando fraqueza muscular ou paralisia.

Diagnóstico

  • Para infecção por tênia intestinal, exame de uma amostra de fezes

  • Para verificar se há cisticercose, tomografia computadorizada ou imagem por ressonância magnética e às vezes exames de sangue

Um médico diagnostica a infecção intestinal por tênias através de descoberta de segmentos dos vermes ou de ovos em uma amostra de fezes.

Em pessoas com cisticercose, os cistos no cérebro ou em outros tecidos podem ser observados em uma tomografia computadorizada (TC) ou em uma ressonância magnética (RM). Os exames de sangue para detectar anticorpos contra a tênia do porco também são úteis. (Anticorpos são proteínas produzidas pelo sistema imunológico para ajudar a defender o corpo contra ataques, incluindo os de parasitas.) Às vezes, os cistos endurecidos podem ser sentidos sob a pele.

Prevenção

A primeira linha de defesa contra tênias é

  • Cozimento completo de cortes inteiros de carnes e peixes de água doce em uma temperatura de mais de 63 °C por três minutos ou mais.

Se a carne for moída, recomenda-se uma temperatura de cozimento de pelo menos 71 °C.

Os cortes inteiros de carne devem repousar durante três minutos após terem sido cozidos antes de serem trinchados ou consumidos. Carnes moídas não necessitam de um período de repouso.

Peixes de água doce não devem ser servidos crus (como sushi) e devem ser consumidos somente depois de terem sido cozidos a uma temperatura de 63 °C ou adequadamente congelados em temperaturas mais frias que as de congeladores domésticos comuns. Essas medidas matam a tênia de peixes.

Os métodos de congelamento a seguir são recomendados para peixes de água doce:

  • A -20 °C ou menos por sete dias

  • A -35 °C ou menos até que estejam sólidos, depois armazenados a -35 °C ou menos por quinze horas

  • A -35 °C ou menos até que estejam sólidos, depois armazenados a -20 °C ou menos por 24 horas

Os processos de defumação e de secagem não eliminam os cistos.

Outra linha de defesa é

  • Avaliação cuidadosa da carne e do peixe por fiscais treinados

Os cistos são visíveis na carne infectada.

O tratamento adequado de dejetos humanos interrompe o ciclo de vida e, dessa forma, ajuda a prevenir infecções por tênias de vacas ou tênias de porcos, inclusive a cisticercose.

A infecção por tênia-anã pode ser prevenida evitando-se os seguintes:

  • Alimentos e águas com provável contaminação por fezes

  • Grãos contaminados por insetos infectados

Por exemplo, ao viajar em países onde é provável que o alimento esteja contaminado com fezes humanas, as pessoas devem lavar, descascar e/ou cozinhar todos os legumes, verduras e frutas crus usando água potável antes que esses alimentos sejam consumidos.

Lavar as mãos com água morna e sabonete depois de usar o vaso sanitário, depois de trocar fraldas e antes de preparar os alimentos também pode ajudar.

Tratamento

  • Para infecção intestinal, praziquantel ou nitazoxanida (medicamentos antiparasitários)

  • Para sintomas decorrentes de cisticercose, às vezes corticosteroides e um medicamento antiparasitário com ou sem cirurgia

Uma pessoa com teníase intestinal é tratada com uma única dose oral de praziquantel. Para infecção por tênia anã, pode-se usar nitazoxanida em seu lugar.

Tratamento da cisticercose

O tratamento da cisticercose depende de vários fatores, como sintomas, e o número e a localização dos cistos no cérebro.

A cisticercose geralmente não é tratada a menos que envolva o cérebro. São administrados corticosteroides, como prednisona, a pessoas com sintomas devido a cistos no cérebro. Esses medicamentos podem reduzir a inflamação. As pessoas que sofrem convulsões recebem medicamentos anticonvulsivantes. Podem ser usados medicamentos antiparasitários (como albendazol ou praziquantel) para matar os cistos vivos no cérebro, mas eles são administrados depois que os sintomas estiverem adequadamente controlados. Os corticosteroides também são administrados com o medicamento antiparasitário para minimizar a inflamação causada por cistos morrendo.

Medicamentos antiparasitários não são usados para tratar cistos nos olhos ou na medula espinhal, pois eles podem desencadear uma inflamação grave que pode danificar tecidos próximos.

Às vezes, é necessária uma cirurgia, por exemplo, quando os cistos estiverem bloqueando o fluxo de líquido que circunda o cérebro e a medula espinhal (líquido cefalorraquidiano) ou quando os cistos estiverem causando problemas na medula espinhal ou nos olhos.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
Baixe o aplicativo  do Manual MSD! ANDROID iOS
PRINCIPAIS