Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Reabilitação para distúrbios da fala

Por

Alex Moroz

, MD, New York University School of Medicine

Última revisão/alteração completa jun 2017| Última modificação do conteúdo jul 2017
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Os serviços de reabilitação são necessários para pessoas que perderam a capacidade de realizar suas funções normalmente, muitas vezes devido a uma lesão, um acidente vascular cerebral, uma infecção, um tumor, uma cirurgia ou um distúrbio progressivo.

Afasia

A afasia é a perda parcial ou completa da capacidade de expressar ou compreender palavras faladas ou escritas. Ela resulta normalmente de um acidente vascular cerebral ou de outra lesão cerebral que afeta o centro de linguagem no cérebro ( Quando áreas específicas do cérebro são lesionadas).

O objetivo da reabilitação é estabelecer os meios de comunicação mais eficientes. No caso de pessoas com um leve comprometimento, o terapeuta da fala usa um método que enfatiza as ideias e os pensamentos mais do que as palavras. Em uma comunicação básica, é frequentemente suficiente apontar um objeto ou imagem, gesticular, fazer acenos de cabeça e confiar nas expressões faciais. Para pessoas com comprometimento mais grave, uma abordagem de estímulos (repetir palavras para a pessoa) e a abordagem de estímulo programado (falar palavras e apresentar objetos que podem ser tocados ou vistos) ajudam a recuperar a capacidade de usar a linguagem. As pessoas com afasia podem usar letras ou cartões com desenhos para se comunicar.

Os cuidadores de pessoas com afasia devem ter muita paciência e compreender a frustração da pessoa. Devem compreender também que a pessoa não está mentalmente comprometida, por isso, não se deve falar com essas pessoas em linguagem de bebê, o que seria ofensivo. Quem cuida de pessoas com afasia deve, pelo contrário, falar normalmente e, se necessário, utilizar gestos ou apontar os objetos.

Disartria

As pessoas não conseguem articular palavras normalmente, devido à lesão da parte do sistema nervoso que controla os músculos usados na fala.

Os objetivos da reabilitação dependem da causa da disartria. Se a causa for um acidente vascular cerebral, lesão na cabeça ou cirurgia cerebral, o objetivo é restabelecer e preservar a fala. Se a disartria for leve, a repetição das palavras ou sentenças pode possibilitar que se aprenda novamente a usar os músculos faciais e a língua para a pronúncia correta. Se a disartria for grave, as pessoas podem aprender a usar um quadro de letras ou imagens, ou um dispositivo eletrônico de comunicação com um teclado e tela para visualização de mensagens.

Se a disartria for provocada por um distúrbio progressivo do sistema nervoso, como esclerose lateral amiotrófica (ELA ou doença de Lou Gehrig) ou esclerose múltipla, o objetivo da terapia é manter a função da fala pelo máximo tempo possível. As pessoas aprendem os exercícios que aumentam o controle da boca, língua e lábios, a falar mais lentamente e usar frases mais curtas. Um controle ruim dos músculos respiratórios pode forçar as pessoas a respirarem no meio de uma sentença. O planejamento da pontuação em uma frase pode ser útil. Fazer exercícios de respiração também pode ajudar, às vezes respirando através de dispositivos de assistência portáteis, que ajudam a deslocar o muco nas vias respiratórias.

Apraxia verbal

A apraxia verbal é a incapacidade de produzir as unidades de sons básicos da fala, devido a uma anomalia na iniciação, coordenação ou sequência dos movimentos musculares necessários para falar. A apraxia verbal é causada frequentemente por lesão cerebral, como resultado de um acidente vascular cerebral ou lesão na cabeça.

Um terapeuta pode auxiliar as pessoas a praticarem, fazendo padrões sonoros repetitivos, e ensinando-as a usar a melodia e o ritmo naturais de frases comuns. Cada frase tem o seu próprio ritmo e melodia, dependendo do humor do falante. Por exemplo, “Bom dia! Tudo bem?" tem uma melodia e ritmo quando o falante está se sentindo animado, que é diferente de quando está se sentido insociável. O terapeuta estimula as pessoas com apraxia verbal a exagerar na melodia e ritmo natural das frases. Conforme a pessoa progride, o exagero da melodia e ritmo é gradualmente reduzido.

Se a apraxia for grave, as pessoas podem aprender a usar um quadro de letras ou imagens, ou um dispositivo eletrônico de comunicação com um teclado e tela para visualização de mensagens.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
O corpo humano: Células, tecidos, órgãos e sistemas
Vídeo
O corpo humano: Células, tecidos, órgãos e sistemas

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS