Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Câncer testicular

Por

J. Ryan Mark

, MD, Sidney Kimmel Cancer Center at Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa ago 2019| Última modificação do conteúdo ago 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
Recursos do assunto
  • O câncer testicular é mais comum entre os jovens, mas é normalmente curável.

  • Normalmente, um nódulo indolor está presente.

  • A ultrassonografia e exames de sangue são feitos.

  • O testículo é removido e radiação ou quimioterapia pode ser realizada ou cirurgia adicional pode ser feita.

A maioria dos cânceres testiculares se desenvolve em homens com menos de 40 anos. É um dos cânceres mais comuns em homens jovens, desenvolvendo-se em cerca de 9.600 homens a cada ano e causando cerca de 410 mortes. Entre os tipos de câncer que aparecem nos testículos, incluem-se o seminoma, o teratoma, o carcinoma embrionário e o coriocarcinoma.

Não se conhece a causa do câncer testicular, mas os homens cujos testículos não desceram para o escroto (criptorquidia) até os 3 anos de idade têm um risco maior de desenvolver câncer testicular do que aqueles cujos testículos desceram até essa idade. A criptorquidia é melhor corrigida cirurgicamente na infância. A correção da criptorquidia diminui o risco de câncer testicular. Entretanto, mesmo se a criptorquidia for corrigida, o risco de câncer ainda é mais alto do que nos homens que nunca tiveram criptorquidia. O câncer também pode ocorrer no outro testículo, mesmo se este desceu normalmente. Por vezes, recomenda-se aos adultos a extração de um testículo que não desceu para reduzir o risco de câncer.

Sintomas

O câncer testicular pode provocar o crescimento de um testículo ou o aparecimento de um nódulo. Um testículo normalmente é oval e liso, com o epidídimo fixado atrás e no topo. O câncer testicular causa um nódulo crescente e firme no testículo ou fixado a ele. O testículo que apresenta câncer perde sua forma normal, aumenta de tamanho e torna-se irregular ou de aspecto nodular. Embora o câncer testicular seja normalmente indolor, o testículo ou o nódulo pode doer quando levemente tocado e pode, até mesmo, doer sem ser tocado. O aparecimento de um nódulo sólido no testículo requer assistência médica imediata. Ocasionalmente, ocorre a ruptura de vasos sanguíneos dentro do tumor, produzindo um inchaço aumentado e seriamente doloroso repentino.

Diagnóstico

  • Ultrassonografia

  • Exames de sangue (alfa-fetoproteína, gonadotrofina coriônica humana)

Exame físico e ultrassonografia podem indicar se o nódulo é parte do testículo e se é sólido (sendo assim, maior a probabilidade de ser câncer) ou preenchido com líquido (cístico). A determinação dos níveis sanguíneos de duas proteínas, alfa-fetoproteína e gonadotrofina coriônica humana, pode ajudar a estabelecer o diagnóstico, mas não é definitiva. Os valores dessas proteínas frequentemente aumentam nos homens com câncer testicular. Exames adicionais, incluindo uma radiografia do tórax e tomografia computadorizada, podem ser realizados para determinar se houve propagação do câncer. A maioria dos médicos recomenda que jovens verifiquem seus próprios testículos quanto a nódulos uma vez por mês.

Você sabia que...

  • A perda de um dos testículos não prejudica a libido nem a capacidade de ter filhos ou ereções.

Tratamento

  • Cirurgia

Numa fase inicial, o tratamento do câncer testicular consiste na extração cirúrgica da totalidade do testículo afetado (orquiectomia radical). Um testículo artificial (prótese) pode ser colocado se o homem desejar. O outro testículo não é extraído para que o homem mantenha níveis adequados de hormônios masculinos e continue fértil. Por vezes, o câncer testicular provoca infertilidade, mas este sintoma pode desaparecer depois do tratamento. Guardar esperma pode ser possível antes do tratamento.

Nos cânceres que não são seminomas, os linfonodos no abdômen também são removidos (dissecação dos linfonodos retroperitoneais) porque o câncer frequentemente se propaga para lá primeiramente. A radioterapia pode ser curativa para um seminoma.

Com frequência, a combinação de cirurgia com quimioterapia consegue curar um câncer testicular propagado. Os níveis sanguíneos da alfafetoproteína e da gonadotrofina coriônica humana, que estavam elevados no momento do diagnóstico, diminuem depois de um tratamento eficaz. Quando esses níveis aumentam depois do tratamento, é provável que o câncer tenha reaparecido.

O prognóstico para os homens com câncer testicular depende do tipo e extensão do câncer, mas normalmente é excelente se o câncer não se propagou. Mesmo que o câncer tenha se propagado, a cura é, frequentemente, possível.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Remoção da próstata
Vídeo
Remoção da próstata
A próstata faz parte do sistema reprodutor masculino. É uma glândula pequena e arredondada...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Stent arterial
Modelo 3D
Stent arterial

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS