Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Rins

Por

Glenn M. Preminger

, MD, Duke University Medical Center

Última revisão/alteração completa jun 2019| Última modificação do conteúdo jun 2019
Clique aqui para a versão para profissionais
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Os rins são órgãos com formato de feijão que figuram proeminentemente no trato urinário. Cada um tem 12 centímetros (4 a 5 polegadas) de comprimento e pesa 150 gramas (cerca de um terço de libra). Estão localizados um de cada lado da coluna vertebral, logo atrás da cavidade abdominal onde se encontram os órgãos digestivos.

Cada rim recebe sangue através de uma ramificação da aorta, denominada artéria renal. O sangue flui da artéria renal até as artérias progressivamente menores, sendo as menores as arteríolas. Das arteríolas, o sangue flui até os glomérulos, que são novelos de vasos sanguíneos microscópicos, denominados capilares. O sangue sai de cada glomérulo por uma arteríola que faz a ligação para uma pequena veia. As veias pequenas unem-se para formar uma só veia renal grande, que transporta o sangue para fora de cada rim.

Visualização do trato urinário

Visualização do trato urinário

Os néfrons são unidades microscópicas que filtram o sangue e produzem a urina. Cada rim contém cerca de um milhão de néfrons. Cada néfron contém um glomérulo circundado por uma estrutura com parede fina em formato de tigela (cápsula de Bowman). No néfron também há um tubo fino (túbulo) que drena o líquido (que logo se torna urina) do espaço na cápsula de Bowman (espaço de Bowman). Cada túbulo tem três partes interconectadas: o túbulo contornado proximal, a alça de Henle e o túbulo contornado distal. Uma terceira parte do néfron é um duto coletor que drena o líquido do túbulo. Depois de o líquido deixar o duto coletor ele é considerado urina.

Os rins são compostos por uma parte externa (córtex) e uma interna (medula). Todos os glomérulos estão localizados no córtex, enquanto os túbulos se encontram tanto no córtex como na medula. A urina drena a partir dos dutos coletores de muitos milhares de néfrons para uma estrutura em forma de taça (cálice). Cada rim tem vários cálices, que drenam para uma só câmara central (pelve renal). A urina drena da pelve renal de cada rim para um ureter.

Funções dos rins

Todas as funções, que normalmente são realizadas pelos dois rins, podem ser realizadas adequadamente por apenas um rim saudável. Algumas pessoas nascem com somente um rim e outras decidem doar um rim para ser transplantado para outra pessoa com insuficiência renal. Em outros casos, um rim pode ficar gravemente comprometido devido a uma doença ou uma lesão.

A principal função dos rins é

  • Manter o equilíbrio apropriado de água e minerais (incluindo eletrólitos) no organismo

Outras funções renais incluem

  • Filtração e a excreção dos resíduos do processamento de alimentos, medicamentos e substâncias danosas (toxinas).

  • Regulação da pressão arterial

  • Secreção de certos hormônios

Equilíbrio hídrico e eletrolítico

As pessoas consomem água regularmente para manter a vida. Mais água é produzida pelo processamento (metabolismo) de alimentos. Se a quantidade de água adicionada ao organismo não for igual à quantidade que sai, a água se acumula rapidamente e a pessoa fica doente e pode até mesmo morrer. A água em excesso dilui os eletrólitos do organismo, enquanto que a restrição de água os concentra. Os eletrólitos do organismo devem ser mantidos em concentrações muito precisas. Os rins regulam e ajudam a manter o equilíbrio apropriado de água e eletrólitos.

O sangue penetra no glomérulo a uma pressão elevada. Uma grande parte da fração líquida do sangue é filtrada por pequenos poros no glomérulo, ficando na circulação as células sanguíneas e a maioria das moléculas, como as proteínas. O líquido claro e filtrado penetra no espaço de Bowman e passa para o túbulo proveniente da cápsula de Bowman. Em adultos saudáveis, cerca de 180 litros (47 galões) de líquido são filtrados pelos túbulos do rim todos os dias. Quase todo esse líquido (e os eletrólitos nele contidos) é reabsorvido pelo rim. Somente cerca de 1,5 a 2% do líquido é excretado como urina. Para que esta reabsorção ocorra, partes diferentes do néfron ativamente secretam e reabsorvem eletrólitos diferentes, que levarão junto a água e outras partes do néfron, variando sua permeabilidade à água, permitindo que mais ou menos água volte à circulação. Os detalhes desses processos são um pouco complicados.

Na primeira parte do túbulo (túbulo contornado proximal), a maior parte do sódio, água, glicose e outras substâncias filtradas são reabsorvidas e, posteriormente, reincorporadas ao sangue. Na parte seguinte do túbulo (a alça de Henle), sódio, potássio e cloreto são bombeados para fora (reabsorvidos). Dessa forma, o líquido restante fica cada vez mais diluído. Este líquido diluído passa pela parte seguinte do túbulo (o túbulo contornado distal), onde a maior parte do sódio remanescente é bombeada para fora em troca de potássio e ácido, que são bombeados para o interior.

O líquido dos túbulos de vários néfrons entra em um tubo coletor. Nos tubos coletores, o líquido pode permanecer diluído ou a água pode ser absorvida do líquido e devolvida ao sangue, deixando a urina mais concentrada. A reabsorção de água é regulada pelo hormônio antidiurético (produzido pela glândula pituitária) e outros hormônios. Esses hormônios ajudam a regular a função renal e a controlar a composição da urina para manter o equilíbrio hídrico e eletrolítico no organismo.

Filtração e excreção

À medida que o organismo metaboliza os alimentos, certos resíduos são criados e esses produtos precisam ser removidos do corpo. Um dos principais resíduos é a ureia, que tem origem no metabolismo da proteína. A ureia passa livremente através dos glomérulos para o líquido tubular e, como não é reabsorvida, é passada para a urina.

Outras substâncias indesejáveis incluem resíduos metabólicos, como ácidos, muitas toxinas e medicamentos, são ativamente secretados na urina pelas células no túbulo renal (e dá à urina seu odor característico).

Regulação da pressão arterial

Uma outra função dos rins é ajudar a regular a pressão arterial do organismo através da excreção do excesso de sódio. Se for excretado muito pouco sódio, é provável que a pressão arterial aumente. Os rins também ajudam a regular a pressão arterial através da produção de uma enzima denominada renina. Quando a pressão arterial cai abaixo dos níveis normais, os rins secretam renina para a corrente sanguínea e, deste modo, ativam o sistema renina-angiotensina-aldosterona, que eleva, por sua vez, a pressão arterial. Os rins também produzem urotensina, que faz com que os vasos sanguíneos se contraiam e ajudem a aumentar a pressão arterial. Uma pessoa com problemas renais é menos capaz de regular a pressão arterial e tende a ter pressão arterial alta.

Secreção de hormônios

Através da secreção de hormônios, os rins ajudam a regular outras funções importantes, como a produção de glóbulos vermelhos e o crescimento e manutenção dos ossos.

Os rins produzem um hormônio denominado eritropoietina, que estimula a produção de glóbulos vermelhos na medula óssea. A medula óssea, então, libera os glóbulos vermelhos para a corrente sanguínea.

O crescimento e a manutenção de ossos saudáveis são um processo complexo que depende de vários sistemas de órgãos, incluindo os rins. Os rins ajudam a regular os níveis de cálcio e fósforo, minerais que são essenciais para a saúde óssea. Eles atuam convertendo uma forma inativa de vitamina D, que é produzida na pele e também está presente em muitos alimentos, em uma forma ativa de vitamina D ( calcitriol) que atua como um hormônio para estimular a absorção de cálcio e fósforo do intestino delgado.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Litotripsia por ondas de choque
Vídeo
Litotripsia por ondas de choque
A litotripsia por ondas de choque utiliza ondas sonoras para fragmentar os cálculos renais...
Modelos 3D
Visualizar tudo
Cálculo renal no ureter
Modelo 3D
Cálculo renal no ureter

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS