Manual MSD

Please confirm that you are not located inside the Russian Federation

Carregando

Considerações gerais sobre a cefaleia

Por

Stephen D. Silberstein

, MD, Sidney Kimmel Medical College at Thomas Jefferson University

Última revisão/alteração completa jun 2018| Última modificação do conteúdo jun 2018
Clique aqui para a versão para profissionais
Fatos rápidos
OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Recursos do assunto

Uma cefaleia é a dor em qualquer parte da cabeça, incluindo o couro cabeludo, pescoço superior, face e o interior da cabeça. Cefaleias são um dos motivos mais comuns que fazem as pessoas visitar um médico.

Cefaleias afetam a capacidade para o trabalho e para a realização de tarefas diárias. Algumas pessoas têm cefaleias frequentes. Outras pessoas quase nunca sofrem de cefaleias.

Causas

Ainda que as cefaleias possam causar sofrimento e angústia, poucas vezes são indício de um problema grave. As cefaleias podem ser divididas em dois tipos:

  • Cefaleias primárias: Não causadas por outro problema

  • Cefaleias secundárias: Causadas por outro problema

Distúrbios de cefaleia primária incluem enxaquecas, cefaleias em salvas e cefaleias do tipo tensional.

As cefaleias secundárias podem resultar de doenças do cérebro, olhos, nariz, garganta, seios nasais, dentes, mandíbulas, orelhas, ou pescoço ou a partir de uma doença de corpo inteiro (sistêmica).

Causas comuns

As duas causas mais comuns de cefaleia são as primárias, do tipo:

Causas menos comuns

Menos frequentemente, as cefaleias são devido a um problema primário menos comum chamado de cefaleia em salvas ou a um dos muitos transtornos de cefaleia secundária ( Algumas causas e características de cefaleias). Algumas cefaleias secundárias são transtornos graves, particularmente aquelas que envolvem o cérebro, como a meningite, um tumor cerebral ou sangramento dentro do cérebro (hemorragia intracerebral).

Febre pode causar cefaleias, assim como muitas infecções que não envolvem especificamente o cérebro. Tais infecções incluem doença de Lyme, febre maculosa e a gripe.

As dores também ocorrem normalmente quando as pessoas deixam de consumir cafeína ou param de tomar remédios para aliviar a dor (analgésicos) depois de usá-los por um longo tempo (o chamado “uso excessivo para a medicação de cefaleias”).

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a fadiga ocular e a pressão arterial elevada (exceto para pressão arterial extremamente elevada) geralmente não causam cefaleias.

Avaliação

O enfoque dos médicos é:

  • Determinar se a cefaleia tem outra causa (ou seja, se é uma cefaleia secundária)

  • Verificar sintomas que sugerem que a cefaleia seja causada por uma doença grave

Se nenhuma causa for identificada, eles focam na identificação de qual tipo de cefaleia primária está presente.

Sinais de alerta

Em pessoas com cefaleias, certas características são motivo de preocupação:

  • Alterações súbitas nas sensações ou na visão, fraqueza, perda de coordenação, convulsões, dificuldade de fala ou compreensão de fala, ou alterações nos níveis de consciência, como sonolência ou confusão (sugerindo uma doença cerebral)

  • Uma febre e rigidez no pescoço faz com que baixar o queixo ao tórax seja doloroso e por vezes impossível

  • Uma cefaleia súbita e intensa (cefaleia trovoada)

  • Dor na têmpora (como ao pentear os cabelos) ou dor na mandíbula ao mastigar

  • A presença de câncer ou de uma doença que enfraqueça o sistema imunológico (distúrbio de imunodeficiência), como AIDS

  • Sintomas que afetem todo o corpo, como febre ou perda de peso

  • Uma cefaleia que piora progressivamente

  • Olhos vermelhos e halos ao redor de luzes

Quando consultar um médico

Pessoas que tenham qualquer sinal de alerta devem consultar um médico imediatamente. A presença de um sinal de alerta pode sugerir que as cefaleias podem ser causadas por um problema grave, conforme as características a seguir:

  • Uma cefaleia grave com febre e rigidez na nuca: meningite – uma infecção das membranas que revestem o cérebro e a medula espinhal (meninges), com risco letal

  • Uma cefaleia em trovoada: uma hemorragia subaracnoide (sangramento dentro das meninges), muitas vezes causada por um aneurisma rompido

  • Sensibilidade na têmpora, particularmente em pessoas idosas que perderam peso e têm dores musculares: Arterite de células gigantes

  • Cefaleias em pessoas que apresentam câncer ou um sistema imunológico enfraquecido (devido a uma doença ou medicamento): meningite ou disseminação do câncer para o cérebro

  • Olhos vermelhos e halos ao redor de luzes: glaucoma que, se não for tratado, leva à perda irreversível da visão

Pessoas sem sinais de alerta, mas com alguns outros sintomas, exigem uma avaliação urgente em poucos dias até uma semana. Estes sintomas incluem

  • Cefaleias que aumentam em frequência ou gravidade

  • Cefaleias que começam após os 50 anos

  • Piora da visão

  • Perda de peso

Se as pessoas com nenhum dos sintomas ou características acima mencionadas começam a ter cefaleias que são diferentes de qualquer uma que eles tiveram antes ou se as suas cefaleias habituais se tornam invulgarmente graves, elas devem procurar o seu médico. Dependendo de seus outros sintomas, o médico pode aconselhar tomar um analgésico ou pedir que venham para uma avaliação.

O que o médico faz

Primeiro, os médicos fazem perguntas sobre os sintomas e o histórico médico. Em seguida, os médicos fazem um exame físico. O que encontram durante a análise do histórico e o exame físico geralmente sugere a causa da dor e exames clínicos que precisam ser feitos ( Algumas causas e características de cefaleias).

Os médicos perguntam sobre as características da cefaleia:

  • Com que frequência ela acontece

  • Quanto tempo dura

  • Onde dói

  • Qual a intensidade

  • Qual é o tipo de dor (por exemplo, se é latejante, prolongada e indistinta, ou parecida a uma facada)

  • Se vem acompanhada de quaisquer sintomas

  • O tempo que uma cefaleia súbita demora para atingir sua intensidade máxima

  • O que desencadeia a cefaleia, o que faz com que ela piore, e o que a alivia

Outras perguntas podem incluir

  • Se a pessoa já havia tido cefaleias antes

  • Se as cefaleias estão reincidindo e, neste caso, quando elas começaram e com que frequência ocorrem

  • Se a cefaleia atual é a mesma ou diferente das cefaleias anteriores

Os médicos também perguntam sobre os fatores de risco para cefaleia. Incluem

  • Se a pessoa toma ou parou de tomar determinados medicamentos

  • Se realizou uma punção lombar recentemente

  • Se apresenta um problema que pode explicar a cefaleia

  • Se tem familiares com cefaleias graves

  • Se sofreu uma lesão recente na cabeça

As pessoas podem pensar nas respostas às perguntas acima e anotá-las antes de irem ao médico. Isso economiza tempo e ajuda a orientar a avaliação.

Um exame físico geral é feito. Ele se concentra na cabeça e no pescoço, bem como no cérebro, na medula espinhal e na função nervosa (exame neurológico). Às vezes também é realizado um exame oftalmológico.

Exames

A maioria das pessoas não precisa de exames. No entanto, se os médicos suspeitarem de uma doença grave, exames normalmente são feitos. Para algumas doenças suspeitas, os exames são feitos com a maior brevidade possível. Em outros casos, os exames podem ser feitos dentro de um ou mais dias.

São feitos exames de imagem por ressonância magnética (RM) ou tomografia computadorizada (TC) assim que possível se as pessoas tiverem

  • Uma cefaleia de trovoada

  • Alterações nos níveis de consciência, como sonolência ou confusão

  • Uma febre e rigidez no pescoço faz com que baixar o queixo ao tórax seja doloroso e por vezes impossível

  • Inchaço do nervo óptico (papiledema), detectado pelo exame ocular com um oftalmoscópio

  • Sintomas que sugerem uma resposta séria generalizada do corpo a uma infecção (sepse), por exemplo, certo tipo de erupção cutânea ou choque

  • Sintomas que sugerem um problema cerebral, como alterações súbitas na sensação ou visão, fraqueza, perda de coordenação, convulsões, dificuldades de fala ou de compreensão de fala

  • Pressão arterial extremamente alta

  • Uma lesão na cabeça que cause cefaleia e perda de consciência

É feita uma RM (geralmente) ou TC em aproximadamente um dia se a pessoa tiver doenças como:

  • Câncer

  • Sistema imunológico debilitado (devido a um distúrbio como AIDS ou um medicamento)

A RM ou TC é feita dentro de alguns dias se a pessoa tiver outras características como as seguintes:

  • Cefaleias que começam após os 50 anos

  • Perda de peso

  • Visão dupla

  • Uma nova cefaleia que é pior quando a pessoa acorda pela manhã ou que a desperta durante o sono

  • Aumento na frequência, duração ou intensidade das cefaleias crônicas

Geralmente se faz uma punção lombar (punção na coluna vertebral) se

  • Houver suspeita de meningite ou encefalite (uma infecção no cérebro) aguda.

  • As pessoas tiverem uma cefaleia de trovoada (sugerindo hemorragia subaracnoide) mesmo se os resultados da TC ou da RM forem normais.

  • As pessoas tiverem um sistema imunológico debilitado.

Geralmente, os médicos pedem uma TC ou RM antes da punção lombar se acharem que a pressão dentro do crânio pode estar aumentada, por exemplo, por uma massa (como um tumor, abscesso ou hematoma). Uma punção lombar pode ser perigosa quando a pressão no crânio aumenta. Quando o líquido cefalorraquidiano é retirado e a pressão dentro do crânio estiver aumentada, partes do cérebro podem se deslocar para baixo repentinamente. Se essas partes forem pressionadas pelas pequenas aberturas nos tecidos que separam o cérebro em compartimentos, isso resulta em um distúrbio com risco de morte chamado herniação do cérebro.

Outros exames são feitos dentro de algumas horas ou dias, dependendo dos resultados do exame e das causas que são suspeitas.

Tabela
icon

Algumas causas e características de cefaleias

Tipo ou causa

Características comuns*

Exames

Cefaleia primária (não devido a outro problema)

Uma cefaleia intensa, dolorida que

  • Afeta um lado da cabeça e é concentrada em torno do olho

  • Tem duração de 15 a 180 minutos (geralmente de 30 minutos a 1 hora)

  • Geralmente ocorre na mesma hora do dia

  • Ocorre em salvas, separada por períodos quando não ocorrem cefaleias

  • Geralmente, não piora com luz, sons ou odores

  • Não é acompanhada por vômitos

Incapacidade para deitar-se e inquietude (às vezes expressa por ritmo)

Ao mesmo lado da dor: Coriza nasal, lacrimejamento, ptose da pálpebra (síndrome de Horner) e, às vezes, inchaço da área abaixo do olho

Exame médico

Ocasionalmente, RM ou TC da cabeça para excluir outros problemas, especialmente se as dores tiverem surgido recentemente ou se o padrão de sintomas tiver mudado

Uma cefaleia moderada a grave que

  • É tipicamente pulsátil ou latejante, em geral de um lado, mas por vezes em ambos os lados da cabeça

  • Dura várias horas a dias

  • Pode ser desencadeada por falta de sono, uma lesão na cabeça, fome ou certos vinhos e alimentos

  • Pode agravar-se com atividade física

  • É diminuída com o sono

  • É geralmente acompanhada de náuseas, vômitos e sensibilidade a sons altos, luz brilhante e/ou odores

Muitas vezes, uma sensação de que a enxaqueca está começando (chamada de pródromo), que pode incluir mudanças de humor, perda de apetite e náuseas

Às vezes precedida por perturbações temporárias na sensação, equilíbrio, coordenação muscular, fala ou visão, como, por exemplo, ver luzes piscando e ter pontos cegos (estes sintomas são chamados de aura)

Igualmente como a cefaleia em salvas

Normalmente, uma dor leve a moderada que

  • É sentida como o aperto de uma fita em torno da cabeça, começando na frente da cabeça ou na área ao redor dos olhos

  • Se espalha por toda a cabeça

  • Dura de 30 minutos a vários dias

  • Pode ser pior no final do dia

  • Não é agravada pela atividade física, luz, sons ou odores

  • Não é acompanhada de náuseas, vômitos, ou quaisquer outros sintomas

Igualmente como a cefaleia em salvas

Cefaleia secundária (devido a outro problema)

Falta de lucidez, perda do apetite, náuseas e vômitos, fadiga, fraqueza, irritabilidade ou dificuldade para dormir

Em pessoas que recentemente passaram por uma altitude elevada (incluindo voar por 6 horas ou mais em um avião)

Exame médico

Tumor cerebral, abscesso ou outra massa no cérebro, como um hematoma (acúmulo de sangue)

Uma cefaleia leve a grave que

  • Pode tornar-se progressivamente pior

  • Geralmente se repete mais e mais vezes e, por fim, torna-se constante sem alívio

  • Pode resultar em visão turva quando uma pessoa muda de posição repentinamente

  • Pode ser acompanhado por inépcia, fraqueza, confusão, náuseas, vômitos, convulsões ou deficiência visual

RM ou TC

Exposição ao monóxido de carbono (durante o inverno, as pessoas podem respirar esse gás se o equipamento de aquecimento não for adequadamente ventilado)

Possivelmente, nenhuma consciência da exposição porque monóxido de carbono é um gás incolor e inodoro

Um exame de sangue

Infecções dentárias (no maxilar superior)

Descrição da dor

  • Geralmente sentida sobre a face e na maior parte, de um lado

  • Pior ao mastigar

Dor de dente

Exame odontológico

Encefalite (infecção do cérebro)

Cefaleias com diversas características

Muitas vezes acompanhadas de febre, piora da sonolência, confusão mental, agitação, fraqueza e/ou inépcia

Convulsões e coma

RM ou TC e punção lombar

Uma latejante dor sentida em um lado da cabeça, na têmpora

Dor ao pentear o cabelo ou ao mastigar

Às vezes artérias alargadas nas têmporas (artérias temporais) e dores, principalmente nos ombros, coxas e quadris

Possivelmente deficiência visual ou perda de visão

Mais comum entre as pessoas com mais de 55 anos

Um teste de sangue para medir a taxa de hemossedimentação de eritrócitos (VHS), que pode detectar inflamação

Biópsia da artéria temporal

Exames de imagem, como RM ou angiografia por ressonância magnética (ARM)

Glaucoma — um tipo chamado glaucoma de ângulo fechado — que começa abruptamente (agudo)

Há dor moderada ou grave na parte da frente da cabeça, dentro do olho ou sobre ele

Olhos vermelhos, halos ao redor das luzes, náuseas, vômitos e perda de visão

Um exame oftalmológico com a maior brevidade possível

Traumatismo craniano (síndrome pós-concussão)

Cefaleia que começa imediatamente ou logo após uma lesão na cabeça (com ou sem perda de consciência)

Às vezes, memória falha, mudança de personalidade ou ambos

TC ou RM

Hipertensão intracraniana idiopática (aumento da pressão dentro do crânio sem nenhuma evidência de uma causa)

Cefaleias que

  • Ocorrem diariamente ou quase diariamente, com intensidade flutuante

  • Afetam ambos os lados da cabeça

Por vezes, visão dupla ou borrada, náuseas, ou zumbidos nos ouvidos que ocorrem em sincronia com o batimento do pulso (zumbido pulsátil)

Imagem por ressonância magnética e venografia de ressonância magnética, seguidas de uma punção lombar

Hemorragia intracerebral (sangramento dentro do cérebro)

Dor leve ou grave que

  • Começa de repente

  • Ocorre em um ou em ambos os lados da cabeça

  • É acompanhada de náusea e por vezes, por vômitos

Possivelmente grave sonolência, inaptidão, fraqueza, dificuldade de fala ou compreensão de fala, perda de visão, perda de sensação ou confusão

Ocasionalmente, convulsões ou coma

TC ou RM

Cefaleia de baixa pressão (que ocorre quando o líquido cefalorraquidiano é removido ou vaza)

Cefaleias intensas, frequentemente acompanhadas por pescoço rígido e náusea

Dor que piora quando sentado ou em pé e que alivia ao deitar-se

Normalmente, ocorre após uma punção lombar

Exame médico

Se a cefaleia surgir espontaneamente (não após uma punção lombar), RM após um agente de contraste ser injetado na veia.

Cefaleia por excesso de medicação para cefaleia

Muitas vezes crônica e frequentemente cefaleias diárias

Muitas vezes, as pessoas que têm enxaqueca ou cefaleia do tipo tensão

Uso abusivo de analgésicos (medicamentos analgésicos, como AINES ou opioides), barbitúricos, cafeína ou, às vezes, triptanos ou outros medicamentos para tratar cefaleias

Exame médico

Uma cefaleia grave e constante

Febre

Rigidez no pescoço faz com que abaixar o queixo ao tórax seja doloroso e por vezes impossível

Uma sensação de doença, sonolência, náusea ou vômitos

Uma punção lombar (geralmente precedida por uma TC)

Dor que

  • Às vezes é sentida no rosto, na parte da frente da cabeça, ou como dor de dente

  • Pode começar repentinamente e durar somente um breve período ou pode surgir de forma gradual e ser persistente

Coriza, por vezes com pus ou sangue

A sensação de uma doença, possivelmente uma tosse durante a noite e, com frequência, uma febre

Exame médico

Possivelmente a TC dos seios paranasais ou endoscopia do nariz

Hemorragia subaracnoide (sangramento entre as camadas interna e intermediária dos tecidos que recobrem o cérebro)

Dor severa e constante que

  • Começa repentinamente e atinge seu pico em poucos segundos (cefaleia de trovoada)

  • É muitas vezes descrita como a pior das dores já experimentadas

Possível breve perda de consciência no começo da cefaleia

Possível sonolência, confusão mental, dificuldade em ser despertado ou coma

Rigidez da nuca, náuseas e vômitos, tontura e dor na região lombar

RM ou TC

Se os resultados da RM ou da TC forem negativos, uma punção lombar

Hematoma subdural (bolsa de sangue entre as camadas externa e intermediária dos tecidos que recobrem o cérebro)

Cefaleias com diversas características

Possível sonolência, confusão, esquecimento e/ou fraqueza ou paralisia de um lado do corpo

RM ou TC

Dor ao mastigar alimentos duros

Às vezes dor em ou ao redor da mandíbula ou no pescoço

Às vezes clique ou estalos quando a boca é aberta, bloqueio da mandíbula ou dificuldade de abertura da boca

Exame físico, às vezes por um dentista

Ocasionalmente, RM, radiografias ou TC

*As características incluem sintomas e resultados do exame médico. As características mencionadas são típicas, mas nem sempre estão presentes.

TC = tomografia computadorizada; RM = imagens por ressonância magnética; AINEs = drogas anti-inflamatórias não esteroides.

Tratamento

O tratamento da cefaleia depende da causa.

Se a cefaleia for do tipo tensional ou se acompanhar uma pequena infecção viral, pode-se tomar paracetamol ou um anti-inflamatório não esteroide (AINE).

Informações essenciais para idosos

Se as dores começarem após os 50 anos de idade, os médicos em geral supõem que elas resultam de outro problema até prova em contrário. Muitas doenças que causam cefaleias, como arterite de células gigantes, tumores cerebrais e hematomas subdurais (o que pode resultar de quedas), são mais comuns entre as pessoas idosas.

O tratamento da cefaleia pode ser limitado em pessoas mais velhas. Eles são mais propensos a ter doenças que os impedem de tomar alguns dos medicamentos usados para tratar enxaquecas e cefaleia em salvas (triptanos e diidroergotamina – Medicamentos usados para tratar enxaquecas). Esses problemas incluem angina, doença arterial coronariana e pressão arterial alta descontrolada.

Se idosos precisarem tomar medicamentos para tratar cefaleias que podem deixá-los sonolentos, eles devem ser monitorados de perto.

Pontos-chave

  • A maior parte das cefaleias não têm uma causa grave, especialmente se a dor começou em uma idade mais jovem, se elas não mudaram ao longo do tempo, e se os resultados do exame forem normais.  

  • Se as cefaleias ocorrerem com frequência ou se houver sinais de alerta, deve-se consultar um médico.  

  • A maioria das cefaleias não exige exames. 

  • Os médicos normalmente podem determinar o tipo ou causa de cefaleia com base no histórico médico, nos sintomas e nos resultados de um exame físico.

  • Se os médicos suspeitarem que a causa é um problema grave (como, por exemplo, uma hemorragia ou uma infecção), geralmente é feita uma tomografia computadorizada ou imagem por ressonância magnética, muitas vezes imediatamente.  

  • Se os médicos suspeitarem de meningite, encefalite ou de hemorragia subaracnoide, é feita uma punção lombar.

OBS.: Esta é a versão para o consumidor. MÉDICOS: Clique aqui para a versão para profissionais
Clique aqui para a versão para profissionais
Obtenha o

Também de interesse

Vídeos

Visualizar tudo
Considerações gerais sobre o sistema nervoso
Vídeo
Considerações gerais sobre o sistema nervoso
Modelos 3D
Visualizar tudo
Coluna vertebral e medula espinhal
Modelo 3D
Coluna vertebral e medula espinhal

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS