honeypot link

Manual MSD

Please confirm that you are a health care professional

Hipocalcemia neonatal

Por

Kevin C. Dysart

, MD, Perelman School of Medicine at the University of Pennsylvania

Última modificação do conteúdo dez 2018
Clique aqui para acessar Educação para o paciente
Recursos do assunto

A hipocalcemia refere-se a uma concentração sérica do cálcio total < 8 mg/dL (< 2 mmol/L) no recém-nascido a termo ou < 7 mg/dL (< 1,75 mmol/L) nos pré-termos. Também é definida como cálcio ionizado < 3,0 a 4,4 mg/dL (< 0,75 a 1,10 mmol/L), dependendo do método (tipo de eletrodo) usado. Os sinais incluem hipotonia, apneia e tetania. O tratamento é IV ou com suplementação oral de cálcio.

(Ver também a discussão geral sobre hipocalcemia.)

Etiologia

A hipocalcemia neonatal ocorre sob 2 formas:

  • Acometimento precoce (nos primeiros 2 dias de vida)

  • Acometimento tardio (> 3 dias), raro

Alguns recém-nascidos com hipoparatireoidismo congênito (p. ex., síndrome de DiGeorge com agenesia ou disgenesia das glândulas paratireoides) têm tanto a hipocalcemia precoce quanto a tardia (prolongada).

Hipocalcemia de início precoce

Fatores de risco de hipocalcemia precoce incluem prematuridade, ser pequeno para a idade gestacional, diabetes materno e asfixia perinatal. Os mecanismos variam. Normalmente, o paratormônio ajuda a manter os níveis de cálcio normais quando, ao nascimento, é interrompida a infusão constante de cálcio ionizado que cruza a placenta. Hipoparatireoidismo relativo e transitório pode causar hipocalcemia em neonatos pré-termo e em alguns recém-nascidos pequenos para a idade gestacional, cujas glândulas paratireoides ainda não funcionam adequadamente, e em recém-nascidos de mães portadoras de diabetes ou hiperparatireoidismo, uma vez que essas mulheres apresentam níveis de cálcio ionizado maiores do que o normal durante a gestação. A asfixia perinatal também pode aumentar a calcitonina sérica, que inibe a liberação de cálcio ósseo e resulta em hipocalcemia. Em outros neonatos, a fosfatúria renal normal em resposta ao paratormônio está ausente; o fosfato elevado no soro leva a hipocalcemia.

Hipocalcemia de início tardio

A causa da hipocalcemia de início tardio está geralmente ligada à ingestão do leite de vaca ou de fórmulas preparadas com alto teor de fosfato; níveis de fosfato elevados no soro ocasionam hipocalcemia.

Sinais e sintomas

Sinais e sintomas da hipocalcemia em recém-nascidos ocorrem raramente, a menos que o cálcio sérico total seja < 7 mg/dL (< 1,75 mmol/L) ou cálcio ionizado < 3,0 mg/dL (< 0,75 mmol/L). Os sinais incluem hipotonia, taquicardia, taquipneia, apneia, deficiência alimentar, nervosismo, tetania e convulsões. Sintomas semelhantes podem ocorrer com a hipoglicemia e a suspensão de opioides.

Diagnóstico

  • Nível sérico de cálcio total ou ionizado

O diagnóstico da hipocalcemia em recém-nascidos é feito pela medição do nível sérico de cálcio total ou ionizado; o cálcio ionizado é uma medida mais fisiológica porque não exige a correção da concentração proteica e do pH. O prolongamento do intervalo QT corrigido (QTc) no ECG também é sugestivo de hipocalcemia.

Tratamento

  • Acometimento precoce: gliconato de cálcio a 10% IV

  • Acometimento tardio: calcitriol ou cálcio oral

A hipocalcemia de acometimento precoce geralmente resolve-se em poucos dias, e os neonatos assintomáticos com níveis de cálcio sérico > 7 mg/dL (1,75 mmol/L) ou ionizado > 3,5 mg/dL (0,88 mmol/L) raramente necessitam de tratamento. Os recém-nascidos de termo, com níveis < 7 mg/dL (1,75 mmol/L), e os pré-termos, com cálcio < 6 mg/dL (< 1,5 mmol/L), devem ser tratados com 200 mg/kg de gliconato de cálcio a 10% por lenta infusão IV durante 30 minutos. Infusões muito rápidas podem provocar bradicardia, assim deve-se monitorar a frequência cardíaca durante a infusão. Deve-se ficar atento para o local da injeção IV porque a infiltração de solução de cálcio é irritante e pode provocar lesão tecidual local ou necrose. As manifestações da infiltração de cálcio incluem hiperemia da pele, calcificação e necrose ou crosta de ferida, podendo haver lesão do nervo radial no punho.

Após a correção aguda da hipocalcemia, o gliconato de cálcio deve ser associado a uma infusão IV de manutenção e administrado continuamente. A dose inicial de 400 mg/kg/dia de gliconato de cálcio pode ser aumentada gradativamente para 800 mg/kg/dia, se necessário, para prevenir recorrência. Quando a alimentação oral tiver início, a fórmula pode ser suplementada com a mesma dose diária do gliconato de cálcio, se necessário, adicionando solução de gliconato de cálcio a 10%. A suplementação é geralmente necessária por apenas alguns poucos dias.

O tratamento da hipocalcemia de acometimento tardio consiste no acréscimo de calcitriol ou cálcio à fórmula do lactente até que os níveis sejam mantidos; fórmula com baixos níveis de minerais (incluindo baixo teor de fosfato), como para lactentes com função renal prejudicada, pode ser útil. As preparações orais de cálcio contêm alto teor de sacarose, o que pode provocar diarreia nos pré-termos.

Pontos-chave

  • A hipocalcemia em recém-nascidos geralmente ocorre nos 2 primeiros dias de vida e a causa mais frequente é a prematuridade, ser pequeno para a idade gestacional, ter hiperparatireoidismo e diabetes materno e asfixia perinatal.

  • Recém-nascidos podem ter hipotonia, taquicardia, taquipneia, apneia, deficiência alimentar, nervosismo, tetania e/ou convulsões.

  • Diagnosticar medindo o nível sérico de cálcio total ou ionizado; medir o nível de glicose para descartar hipoglicemia.

  • Tratar a hipocalcemia de início precoce com gliconato de cálcio IV a 10%, seguido por vários dias de suplementação oral de cálcio.

Clique aqui para acessar Educação para o paciente
OBS.: Esta é a versão para profissionais. CONSUMIDORES: Clique aqui para a versão para a família
Profissionais também leram

Também de interesse

MÍDIAS SOCIAIS

PRINCIPAIS